Outros Blogs do meu grupo:

segunda-feira, 23 de julho de 2012

Saudades desse tempo



Tens saudades,
saudades desse tempo,
do tempo
com os filhos da Verdade (Vida),
que sofriam
num sorriso cativante;
a tua mão
pegava no pão
que era para a tua boca
e estendia-se
para essas bocas sedentas
de uma côdea!


Sentias alívio,
sorrias;
o teu coração
derramava amor
por esses filhos da Verdade,
que hoje
recordas com saudade,
paz e tranquilidade,
por essa Verdade (Vida)…


José Manuel Brazão



Poema dedicado ao coração inquietante da minha querida Amiga Cristina Moita

Sem comentários: