Outros Blogs do meu grupo:

quarta-feira, 31 de dezembro de 2014




segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Sublimação

Dou-te o azul que não tenho
Dás-me o verde que não tens
Meus olhos impuros
Por tuas negras asas
Teu silêncio causticante
Minhas ríspidas palavras
Joguemos tudo de comer aos leões
Benzemo-nos
Meus olhos se pregam nos teus
E o que vejo me enternece
Tua palavra entra pela minha boca
E adoca minha língua
Tuas asas levam-me
Atravessamos o tempo
Perdemo-nos
Encontramo-nos
No infinito... Inspiração...


regina ragazzi

quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

Bom dia futuro!

Já tanto vivi
e fiz tão pouco
para aquilo que sonhei;
mas pacientemente
viverei
dia após dia
cumprindo para o que vim,
semeando tudo de bom que existe em mim
e serenando pelo Amor que dei
e todo aquele que recebi!

Diante da Vida
bom dia esperança
bom dia futuro!

José Manuel Brazão

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Esta noite de Natal de 2014

O silêncio me rodeia,
convive comigo
há muito tempo
como amigo
a que já me habituei
e resignei!

Vou à janela
virada para o Rio Tejo,
vejo as águas serenas,
chuva a cair,
que deixa um cheiro,
invulgar, confortante
que me serena,
me relaxa
e me leva a pensamentos
distantes e recentes.

Vejo imagens
de tempos que não se apagam
e de um presente doloroso,
mas que me deixa uma luz,
que mostra a esperança
a sorrir com a Lua,
iluminando
meu corpo e alma,
sentindo eu as forças
para amanhã
continuar a minha caminhada,
sem hesitar, sem parar!

José Manuel Brazão
24.DEZ.2014



quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Pedaços de Lua



Amanheceu um sonho
Interminável madrugada
No clarear do dia
Relembrando momentos
Irreais! Sombrios! Inquietantes!
Tão densos de seus mistérios
Não poderia deixar passar
A sede de descobrir teu íntimo mistério...
Que mesmo ao longe, mexe com os sentidos.
Despe a alma, corada, sinto-me nua...
Como se adivinhasse
meus segredos e fantasias.
Olho para o céu, sinto-te poema
E vejo a lua se desmanchando em versos
Derramando flashes iluminados
Sobre o amor que existe em mim
E me desfaço em pedaços
Pedaços de lua.

Su Simon


sábado, 13 de dezembro de 2014

Almejando sentires



verdadeiramente,
olho-te!...
surpreendentemente,
olhas-me!...
moderadamente,
sorrio para ti!...
energeticamente,
sorris para mim!...
fantasticamente…
em plena
e mútua empatia!...
majestosamente…
um sopro de felicidade!...
inesperadamente,
abraças-me!...
prontamente,
abraço-te!...
repetidamente
abraçamo-nos!...
indubitavelmente…
preciso de ti!!!
António MR Martins


sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Palavras


Palavras
só palavras!

Tantas gastas

e pouco usadas.

Quando procuro

quem as disse
ou escreveu,
fico desiludido!

O poder da palavra

é infinito!

As palavras

estimulam
ou desmotivam.

As palavras

criam paz
ou convulsões.

As palavras

causam desavenças,
em vez de uniões …

Para mim


as palavras

são um dom da natureza
para se conviver bem
com elas
e um elo de aproximidade
e de fraternidade …

José Manuel Brazão

domingo, 7 de dezembro de 2014

Aguardo uma brisa de ti

Nesta noite prometida
aguardas de mim
uma brisa
um carinho,
um abraço,
um sorriso.

Aguardas e sentes
que te desejo
e teu corpo entregas
em suor para te possuir
nesta noite prometida.

Rendidos nossos corpos,
os desejos foram cumpridos
entre quereres e sentires!

José Manuel Brazão

sábado, 29 de novembro de 2014

Olhando...

Fico olhando
para a vida
e não sei
o que pensar,
o que dizer…

Vagueio os olhos,
por aí…

… sem destino,
sem vontade
dum sentir,
dum viver
e dum sorrir!

Serei merecedor
de tudo, mas tudo,
o que sofro?

Reflicto
e nesta hora,
apareces-me
como a minha Luz
para sentir,
viver e sorrir!

Amo
e procuro ser amado…

José Manuel Brazão

sexta-feira, 28 de novembro de 2014

Retalhos



Busco um poema perfeito
escrito com amor e desejo
nos retalhos de meus defeitos
qual pedaços de amores
desfeitos à luz
dos meus espelhos
onde refletem a paixão!

Ontem vivia esse amor perfeito
cheio de sorrisos e anseios
caminhando por estradas de flores
canções de amor e cores
como pássaros a arrulhar
em minhas mãos!

Por um momento pensei (e vivi)
entre nossas almofadas e sedas
que eu pudesse ter
a certeza desse amor ...
e eu acreditei em ti!

Parti-me em fragmentos
onde os pedaços qual
luzes brilhavam e eu cria
que eram estrelas iluminando
todas voltadas pra mim!

Vagando sozinha
em busca de meus sonhos perdidos
me descubro sobrevivendo
trilhando novos caminhos
mas escrevendo poemas de amor!

Celina Vasques

quinta-feira, 27 de novembro de 2014

Noite de luar

Passeamos por esse caminho
junto à praia
apreciando essa noite rara
de luar intenso
em que a Lua nos ilumina,
sorri para nós,
para o encanto do nosso amor,
que faz recordar tudo de belo
que nos aconteceu
e que está guardado
no nosso cofre da Vida!

Vemos o bater das ondas
junto à muralha
por onde vamos sem destino!
Mas paramos
e sentamos nessa muralha,
planeando os nossos quereres,
que preencherão nossos seres,
alimentando os sentimentos,
de paixão e amor!

Um amor que é verdadeiro,
muitas vezes sonhado
e com o nosso querer
se transforma em realidade!

E assim vivemos
uma vida em plenitude!

José Manuel Brazão


Voo livre dos versos



Voo livre das suas letras
Alimentavam os sonhos mais profundos
Criavam alegorias internas 
Ritmadas  melodias.

Eles se foram...
Um a um se perderam no ar
Um vento forte os levou pra longe
E sabe-se lá onde foram parar.

Estão voando por aí
Além do horizonte?
Onde os olhos não alcançam
Onde o coração não sente
Onde a alma não sonha....

Ah! Inútil desespero!
Criando abismo!

E quando vem à lembrança
Os beijos que senti
O amor que calei
O calor que queimou
O arrepio da pele...

Nasce uma lágrima no olhar
E um profundo silêncio na alma!
Que vontade de chorar!

Su Simon

quinta-feira, 20 de novembro de 2014

Não foi adeus!



TUDO ERRADO

Um aperto no coração...
suficiente pra querer mudar o rumo...
O rumo de uma história sem fim,
recheada de amor profundo,
Toques suaves, pitadas de humor e sedução...

Assim, sem mais nem por quês
saio de cena,
retirada estratégica da linha de frente
de uma luta em vão comigo mesma..
Pra seguir em frente,
sentindo o que sinto, sem censuras...

Não, não pense que foi fácil
decidir, resolver, partir...
Não, não foi...

Sei o que perdi, o que ganhei...
Sei o que sentirei em meu coração
Que agora: aperta, chora, despedaça...

Mas pense que sou uma flor rara, suave e sensível
Forte o suficiente pra rachar uma rocha
e mostrar toda beleza de uma vida cor-de-rosa...
Vida que criei, em sonhos pra nós...
Uma flor que a tudo resiste...
até mesmo aos intempéries do tempo.

Estarei sempre por perto
Numa ponta de estrela,
ou num raio de sol
vigiando: noite e dia
seu jeito gostoso de amar!

Não, não foi Adeus...

Su Simon

sábado, 1 de novembro de 2014

Vento da minha terra

Todas as manhãs
o vento da minha terra
vai ao teu encontro
e junto ao mar da tua cidade,
esperas que toque teu corpo
ardente, saudoso,
desejoso,
acariciando tua pele,
passando pelos teus lábios
e de tua boca
roubando teus beijos
e já com saudades
amanhã aguardas ansiosa
novos ventos da minha terra;
voltarei sempre!

José Manuel Brazão



terça-feira, 28 de outubro de 2014

Como eu desejo teus beijos

Nestas horas do meu silêncio
em que a saudade mora no meu peito
e neste “mundo” que me rodeia
só vejo a tua imagem,
os teus susurros
o eco de te amo demais,
e sinto o teu melhor beijo!

Vem, quero teu corpo por inteiro,
nos prazeres mais intensos...

José Manuel Brazão

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Memória do tempo


Recordo,
as primeiras palavras;
palavras vividas
e revividas,
com saudade
da tua mocidade!

Nasceu a amizade:

envolvida em mares,
nunca navegados,
envolvida em palavras,
palavras sentidas,
cobertas de emoção,
por vezes:
vestidas de paixão!

Recordo,

muitas palavras,
de amor,
amor ao próximo,
com autenticidade
e cumplicidade,
que guardo no tempo,
na memória do tempo …


José Manuel Brazão

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Esses olhos tristes

Esses olhos tristes
Olhos de outono
Como viajam esses  olhos
de cores sombrias!
Olhos de noite,
de madrugadas insones
Olhos que miram o horizonte...

Ah... esses olhos marejados
Visão embaçada
Tão tristes e tão belos
O que verão nessa estação?

Olhos amenos
Olhos de poesia

Ah ...esses olhos
emoldurados por um rosto
tão bonito!
Por que será que neles nunca é verão??


regina ragazzi

sábado, 11 de outubro de 2014

Se pudesse por ti...

Se pudesse por ti
faria e daria tudo,
tudo o que mereces,
não pedes
e assim tem valor infinito
cá dentro do meu coração!

Mulher enviada
para  na minha Vida ficar
e eu saborear
o quanto se pudesse por ti...

José Manuel Brazão

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

JOÃO e as rosas amarelas

Rosas amarelas (nunca estaremos sós)!

São as rosas que gostas:
rosas amarelas!
Belas
como o teu olhar,
o teu sorriso.
Belas
como os teus gestos,
as tuas atitudes.
Belas
como o teu amor!
Vejo rosas,
rosas amarelas,
ao meu redor.
O seu aroma
é o teu perfume.
Perfume que não me deixa
e, tu que não me abandonas!


José Manuel Brazão
 (pensando no meu filho João que nasceu em 6.OUT.1972 e partiu
na viagem necessária em 24.AGO.1997).
A Mãe, eu e os irmãos Pedro e Paulo sentiremos sempre a sua presença!


domingo, 5 de outubro de 2014

Ah! Poeta!

DESEJOS

Ah! se eu pudesse
seguraria sua mão
e viajaria  estradas ao seu lado.

Sorriria só de olhar você sorrindo
e secaria sua lágrimas, bebendo o sal
com beijos em sua face.

Ficaria feliz ouvindo o canto dos pássaros,
vivendo contigo nas montanhas
ou correndo pela areia da praia.

Alegre seria
ouvindo o som das ondas.
Que, em festa, brincam no mar.

Ah! Poeta!
Se eu pudesse seria a menina,
A menina dos seus versos.

Levaria você ao delírio!
Em êxtase ficaria...
faria você sonhar.

Su Simon

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

Memórias

Tirei o dia pra esquecer 
Esquecer problemas, 
Esquecer passado, 
Esquecer você... 

Saí pela cidade, 
caminhei por lugares de outrora, 
revisitei memórias. 
Tudo tão diferentemente igual... 

Cada edifício uma singular arquitetura, 
então lembrei 
Antes, não reparava a arquitetura
da Capital Paulistana... 
Visão linear,
Não admirava o horizonte 
e o fascínio que a metrópole produzia... 

Por alguns segundos consegui esquecer 
Esquecer problemas 
Esquecer passado 
Esquecer você. 

Foram os melhores momentos vividos...
distraída, divagando, esquecida 
Mas saiba amor: 
Você ainda está em tudo que vi e vivi.

Su Simon


quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Entreguei meu coração ao teu encanto

Adormeço sonhando
com o eco das tuas palavras,
num amor que não morre!

Amanheço com o Sol
raiando em mim,
e deixando o calor
do teu corpo desejado
nestes momentos de entrega
do meu coração ao teu encanto!

José Manuel Brazão

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Instante

Um clarão no céu
iluminou nossos sonhos
em êxtase nos envolvemos num abraço
Mergulhamos num aquário de ilusões...

Aquele beijo no rosto
arrepiou o corpo
anunciando o momento.

E o sorriso meigo 
era prova da felicidade anunciada...
Que proteção divina!
O abraço apertado proporciona.

E a rosa em silêncio
espera, dengosa,
o êxtase do momento...
rubra de prazer ...

Su Simon


sábado, 27 de setembro de 2014

Pássaro assustado

INTUIÇÃO

Não tem como esconder
os segredos do amor
eles ficam explícitos
no brilho das estrelas
no raio de luar
nas pétalas de uma flor...

Nem tente esconder os segredos.
por medo de amar demais...
Nem bater asas ligeiro
feito pássaro assustado...

A primavera há de florir
e os campos enfeitar...
com flores de todas as cores...

E a flor mais dengosa
chegará bem de mansinho
e desabrochará para ti


Su Simon

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Em um lugar somente nosso

Em algum lugar
Em que pudesse
Revê-lo e te amar,
Querer-te e abraçar.

Um lugar apenas,
Em que seria o sempre,
Pertenceria, permaneceria
Em nossa eterna história.

 Um lugar somente nosso, de encantos;
Quão mágico e cheio de esperança,
Lembranças dos nossos sentimentos.

Graciele Gessner

[....]

Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Conhecemo-nos
tão bem,
como se vivêssemos,
juntos
cada instante da vida!

Distante
vivo as tuas amarguras,
os teus dilemas,
o querer e não poder,
que por vezes
penso :
estamos tão  próximos!

O meu coração
embriaga-se de paixão,
de amor;
visto-te rosas vermelhas.
Olho o teu corpo,
fascino-me
com  esse jardim,
delicio-me
com as pétalas de amor,
cheiro
o aroma que vem do teu corpo!

São os meus pensamentos,
distante de ti!
Estou cansado de sonhar,
mas vivo para te amar!

Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Aguardo o teu sorriso!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Deus tá vendo

Quando criança os adultos me ensinaram que tudo que eu fizesse de errado "Deus tá vendo" dependendo da gravidade do erro
"Isso é coisa do Diabo", ou "Tá com o diabo no corpo" e ainda por cima eu estaria correndo o risco de "Ir para o inferno".
E quando chovia e trovejava"Deus tá bravo" . Será que era comigo!!??
O Deus que me empurraram guela abaixo era um Senhor ranzinza, muitomal, impaciente, castigador( que eu não podia ver, nem tocar)
e que me mandava recados através da boca de outras pessoas.
Foi o que me ensinaram no catecismo E de certa forma reforçado em casa(porque eles também aprenderam assim com meus avós, que aprenderam...
E eu pobre inocente me enchia de medo porque não sabia qual era o tamanho do pecado que já me colocaria em risco, então melhor evitar de cometer algum.
Mas humanos erram, em ato e pensamento...

Demorei pra entender que isso era uma maneira (suja) que os homens criaram para receber respeito e obediência à eles próprios.

Creio que cada um de nós tem um Deus e um Diabo dentro de si.
E somos apenas nós que temos o poder de escolher qual deles vai dirigir a nossa vida. Esse é o Deus que eu creio!
O que me ouve, analisa, pondera. O que me guia, traça os caminhos que devo seguir. O que me alivia e perdoa, mas tb o que me mostra minhas falhas e me pune se for preciso, não como um castigo, mas um alerta, um ensinamento.
Esse é o Deus que eu quero pra minha vida. É o que busco.

O que aprendi em pequena tb refletiu em meus filhos, talvez não com tanta força, porque já a algum tempo eu acordava desse "feitiço"
Mas sim, eu passei muitos dos meus medos à eles .
Peço que me perdoem , e pelo Deus que existe dentro deles ( que eu sei que é um Deus poderoso em amor) que nunca ensinem aos seus filhos o que me ensinaram.
Vamos cortar essa corrente que vem de longa data aterrorizando criançinhas.
Respeito e obediência só se conseguem com respeito, carinho, amor.

O que aprendi me travou, mas ainda tento ser uma pessoa melhor

regina ragazzi

sábado, 13 de setembro de 2014

Esse teu olhar

Admiro o teu olhar.
fixo os meus olhos
nos teus…
pensas na vida.
nos sonhos que te invadem,
nas ilusões que tiveste,
nos dramas que esqueceste.

Os teus olhos

procuram os meus gestos,
a minha alegria de viver,
os meus mimos …

Sorris

e os lábios mexem,
com palavras de encanto,
tornando-os sensuais,
desejados
por um amor sonhado,
por um amor contido.


José Manuel Brazão

terça-feira, 9 de setembro de 2014

Paradigmas de uma folha de papel em branco

Deixei-te uma folha de papel viva
repartida por entre pedaços de mim,
com a nossa maior palavra cativa
e um suave cheirinho a jasmim.

Folha num sobrescrito inserida,
restando-se dobrada em três partes,
ficou outra palavra esquecida!...
Amor novo de múltiplos encartes.

No fundo desse invisível texto
coordenado pela sabedoria,
sendo instituído nesse contexto.

Entre o silêncio veio a ousadia,
êxtase para simular um pretexto...
de te enviar um beijo à revelia!...

António MR Martins 

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Vida

Noite sem lua
Sussurros de vento
Dança de vagalumes
Colorindo o negro tempo
Tudo em volta, silêncio

Também em mim
Dançam os pensamentos
Variadas cores, diversos tons
Emoções, sentimentos
Avançam madrugada à dentro

Mais um pouco e já amanhece
Como será o meu amanhecer?
Há de surgir o sol no horizonte
E uma luz de igual intensidade
Irá brilhar dentro de mim

Já é quase outra vez
Primavera em meus olhos
E tantas serão as flores
Que se debruçarão nas janelas
Do meu olhar!

Já as sinto brotarem em minh’alma
Um lindo e perfumado jardim
Vida que se renova em mim
Mais uma vez
Vida que me insiste em ser ...


regina ragazzi

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Dupla sedução

Foi num sábado à noite, daqueles!
A chuva caia torrencialmente...
Encontro marcado
Ansiedade a mil.
E a chuva
Ah! A chuva
não parava de cair
Vou, não vou?
Fui!
Roupa legal,
cabelo alinhado,
unha feita
maquiagem
e combinando com tudo:
O guarda chuva!

Cheguei, chegou
Ele também,
com um terrível guarda chuva preto:
Sem graça, sem glamour, sem noção...
Mas a alegria foi tanta
que esquecemos a chuva,
vivemos o amor:
Abraços, beijos, segredinhos
a dois.
E os guarda-chuvas ali...
Como que assistindo as cenas
picantes de um momento de amor!
Hora de ir embora...
A chuva... Ah! A chuva
já tinha passado
e os guarda-chuvas
ali a nos espreitar,
esquecidos num canto
Felizes também
a se amarem...

Su Simon


domingo, 24 de agosto de 2014

Aguardo uma brisa de ti

Nesta noite prometida
aguardas de mim
uma brisa
um carinho,
um abraço,
um sorriso.

Aguardas e sentes
que te desejo
e teu corpo entregas
em suor para te possuir
nesta noite prometida.

Rendidos nossos corpos,
os desejos foram cumpridos
entre quereres e sentires!

José Manuel Brazão