Outros Blogs do meu grupo:

sábado, 19 de novembro de 2016

Eu serei o meu próprio futuro


Pouco pedi à Vida,
apenas aquilo
que fosse merecedor!

Pacientemente
aguardei os momentos,
doando
o que meu coração
um coração sofrido,
mas sempre pulsante,
nas mãos da Vida
entregava esse amor,
que guardo
no cofre da minha alma!
Recebi
mais do que esperava,
mas senti
que foi tudo o que mereci!
E assim
a Vida sorriu para mim
e eu abraçei esse amor
que não me larga, a Vida!

Mas não sei
se serei futuro para alguém;
eu sou o meu próprio futuro!

José Manuel Brazão

terça-feira, 4 de outubro de 2016

No teu sorriso vejo Luz!

Quando apareces,
no teu sorriso,
vejo Luz
e fico sereno!

Quando olhas,
no teu sorriso,
vejo Luz
nos teus olhos!

Quando falas,
no teu sorriso,
vejo Luz
nas tuas palavras!

Teu sorriso
é um gesto de carinho,
um gesto de amor;
é o teu Caminho,
haver Luz no teu sorriso.

José Manuel Brazão


* Só TU me dás essa Luz que neste momento me ajuda! *


sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Pensando em ti!


Em cada momento
o meu pensamento
está em ti!

Pensando,
pensando em ti,
vejo o céu azul,
sorrindo para mim!

Pensando,
pensando em ti,
vejo o sol radiante,
com muita Luz
que me cega de amor!

Pensando,
pensando em ti,
vejo a vida
com alegria,
com outro sabor!
Doce,
simplesmente doce!

Pensando,
pensando em ti,
sinto
na minha Alma,
amor e mais amor,
sinto
no meu corpo
desejo e prazer,
pensando em ti,
somente em ti!

José Manuel Brazão

sábado, 6 de agosto de 2016

Não te vejo. não te ouço!


Não te vejo
nas palavras
e nos sorrisos!

Vestiste o silêncio,

partiste o coração
e o amor
por onde anda?

Não te ouço

a voz do coração;
mas existe o amor?

luto,

por seres o ontem,
que o hoje esqueci
e o amanhã será:
já te vejo
e já te ouço…!

José Manuel Brazão

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Um pedaço meu


Longa vida,
entregando-me aos outros.
Uns entenderam-me.
Outros ignoraram-me!

Longa vida,
com alegrias:
o caminho era esse.
Com tristezas:
erros que não entendi.

Tenho tempo para os corrigir,
pedir o meu perdão
e perdoar aos que erram comigo.

Em cada pessoa vejo um amigo,
e depois …
As desilusões, os desencontros,
a angústia invadindo meu corpo,
palpitando o meu coração.

Renasce a esperança,
creio e vou por diante.

Há sempre um pedaço meu,
com verdade e amor,
compaixão e tolerância,
um sorriso vibrando Luz!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Por ti daria a Vida!

No amor tudo pode acontecer!
Paixões incontroladas,
loucos amores,
arrebatadores,
de desejos permanentes,
de prazeres sem fim!

Amores

que se perpetuam
em que ele lhe diz:
por ti daria a vida!

Ela sorri!

Ele olha e pergunta:
porque estás assim?

Volta a sorrir

e diz:
amor,
tu és a minha vida!

José Manuel Brazão



Marta Vasil disse...
"Dar a vida... tu és a minha vida"... duas premissas na cumplicidade do amor, desse amor que bonito que costuma residir nos teus poemas.

domingo, 3 de julho de 2016

Serei assim até ao fim!

Nesta caminhada,
aprendi o bastante,
para nesta vida constante,
me entregar!

Errei.
muitas vezes
por imaturidade,
ignorância,
rebeldia,
mas nunca por saber tudo !

Procurei
compreensão,
tolerância, compaixão!
Pouco recebi…

Virei
a página da vida,
que me enganava,
me torturava,
sem saber o porquê?

Mudei
sinto-me bem comigo
e com os outros!.
Cada porta fechada,
agora está aberta!
Respiro
como nunca respirei!
Dou um sorriso
e recebo muitos!
Dou amor
recebo muito;
com carinho,
afecto, beijo,
sorriso e respeito!

Encontrei
o equilíbrio, a lucidez,
para me entregar
aos outros
que amam
ou que de mim precisam!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 3 de junho de 2016

Desnudo a alma

Tenho dias assim
em que pareço não me conhecer!
Dias em que minha mente
fica nublada
de tanto sentir e ver...

Por momentos apenas existo
e tive alegria de viver...

Sonhos perdidos,
ilusões e desilusões,
mas existe em mim
uma luz que pressinto
e um dia
foi intensa e ecoou uma voz em minha alma:
existes e vives, porque alguém precisa de ti!

José Manuel Brazão

sábado, 14 de maio de 2016

Meu último Filho

Este é o meu último filho,
um filho feito como os outros.
Com o conhecimento
de duas almas…
Com paixão…
Com a união da poesia…
Este é o meu último filho,
um filho feito de palavras,
como o nosso amor…
Um filho feito
da habilidade dos sentimentos
com o calor de um peito
afogueado…
Com duas mãos quentes
húmidas de desejo…
Este é o meu último filho,
um filho gerado como os outros.
É menino,
chama-se Poema... e é teu.

Vanda Paz

quarta-feira, 11 de maio de 2016

Olhamos o Céu




Olhamos o Céu
e agradecemos A Luz
que te trouxe até mim!

Chegaste,
sorriste,
estendi a mão,
o amor na minha mão
e disseste:
encontrei
a minha Paz,
a minha vida,
sou feliz!

Também sorri,
de novo olhei o Céu
e agradeci este amor,
que nasceu,
floresceu
e dará pétalas de amor!

Olhamos o Céu
que nos envia
muitas pétalas,
pétalas de amor!

José Manuel Brazão