Outros Blogs do meu grupo:

sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Um amor sem sobras


Passeamos na nossa velha casa
e por aí lembramos o nosso amor,
hoje envelhecido pelo tempo,
mas nas nossas lembranças muito desejado!

Passeámos abraçados pelos cantos,
em cada um deles uma história,
noutros o desejo elevou,
disse-te o que ia em minha alma:
Sem ti minha vida
não tinha sentido!

Faltava-me a tua voz,
a tua palavra, o teu carinho,
o teu amor!

O teu sorriso
trouxe-me a Luz
que sempre nos uniu
e alimentou a nossa alma!

Choraste a saudade,
a dor de forte sentimento,
que só nós entendemos,
só nós sentimos!

Fizémos silêncio...
... nossos corpos se uniram
e naqueles momentos
provámos que nosso amor e nossos corpos
estavam mais rejuvenescidos que aquela casa!

José Manuel Brazão


Ana Bailune disse...
Há muitas histórias impregnadas nas paredes de velhas casas... algumas são lembranças felizes; outras, tristes. Mas tudo é história de vida. Belo poema!

1 comentário:

Ana Bailune disse...

Há muitas histórias impregnadas nas paredes de velhas casas... algumas são lembranças felizes; outras, tristes. Mas tudo é história de vida. Belo poema!