Outros Blogs do meu grupo:

sábado, 11 de agosto de 2012

De mãos dadas na Vida e neste Blog



És fruto de ventos fortes e de brisas, de sol e de sombra, de ti próprio e de outros. Um pouco de tudo te faz ser como és: homem, amigo e dançarino de emoções. Assim te vejo. Vanda Paz

Com a tua humildade e sempre que falamos, nota-se pudor em te considerar uma grande Poeta da primeira linha dos Autores contemporaneos. A tua atitude é bonita, mas não representa a realidade da tua obra. José Manuel Brazão


Este é um poema de braços abertos
Um poema de corpo quente e olhar embriagado
Um poema de frases maduras como boca nos seios
Um poema de mar pelo teu olhar esverdeado

Este é um poema de um querer
Um poema com versos num coito vadio
De murmúrios ofegantes por te saber
De palavras soltas como a água do rio

Este poema és tu, sendo meu, pelo desejo de te ter.

Vanda Paz


[....]

Por tua causa a minha vida
nunca mais foi a mesma;
tudo se alterou
na rotina, no descanso,
mas em mim
- o Homem -
houve a conquista
de valores adormecidos
e hoje fortalecidos,
que fazem do poeta
um homem com outra visão,
Com horizontes sem limites
no espaço e no tempo,
numa entrega desmedida
àqueles que me seguem,
acarinham e valorizam,
tornando o meu sentir e acreditar
em verdadeira sintonia,
que recuando no tempo,
sonhava, pretendia,
mas não sabia
se qonquistaria!
Hoje
por tua causa
estou reflectindo em palavras
e apenas por tua causa,
escrevendo
poesia da paz,
da harmonia e do amor...
... a minha poesia!

José Manuel Brazão


Sem comentários: