Outros Blogs do meu grupo:

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Sem nome



Não sei o nome desta chuva
densa e negra
que me dói no peito.


E lá fora apenas pinga.


Vergasta o vidrado do peito,
quebra o verniz do olhar,
esgaravata na essência da alma,
sulca feridas desnecessárias.


E lá fora pinga. Apenas pinga.

Marta Vasil

Sem comentários: