Outros Blogs do meu grupo:

domingo, 23 de setembro de 2012

Neste texto onde me perco


Reservo-me nas horas que preenchem os dias que faltam. Cruzo o olhar com a espera, enquanto os lábios respondem ao silêncio. Submersos, os sentimentos reclamam o amanhã, fugindo aos olhares inquisidores. Entorna-se então o pensamento, em auxílio, num lânguido momento, onde a linha do meu corpo reclama as tuas mãos. As minhas, vazias, lembram o suor da tua pele ateando o fogo às palavras que escrevo. Fecho os olhos e encontro-me no teu respirar, gemendo a saudade e suspirando a distância. Beijo-te longamente o sorriso. Desmaio devagar no teu anseio e deixo que me faças tua, afogando os sentidos em prazer profundo. Renascemos em cópula, numa estreita cumplicidade que grita no horizonte o futuro, que espero, neste texto onde me perco.

Tália

Sem comentários: