Outros Blogs do meu grupo:

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Calor Calor (in)consciente



Renasci no ressurgir de teus lábios,
no toque cálido, ávido, enlouquecedor
da pele, do pelo, dos apelos, do sabor...

Nos segredos que desvendo em gemidos,
dos corpos que o teu procuro em sigilo
em paixões que em mim coabitam.

Ressurgi de sentidos sofridos,
de amores vazios e amantes vadios.
Acordei para a tez de teu ventre...

No calor veemente, (in) consciente
abrangente...do prazer experiente.
Renasci das ardências que vem de ti.

Anna Carvalho


Anna querida

Um poema de nível superior! "Bebi" cada palavra e identifico-me por inteiro com o teu pensamento tão bem expresso!
 Escrevi num poema que eras "Poeta divina". Não exagerei; antes pelo contrário.
 E este poema prova bem, que nem qualquer Poeta escreveria com este conteúdo e qualidade!
Beijo grande
do ZÉ 

Sem comentários: