Outros Blogs do meu grupo:

segunda-feira, 31 de dezembro de 2012

FELIZ ANO NOVO 2013




Vivo em esperança...

Vivo em esperança cada dia
não querendo apenas existir!
Busco forças neste caminhar
para superar as pedras
que encontro
e que noutros tempos as originei!
Não as deixo ali
para outro as apanhar.
Serei eu a enfrentrar
as dificuldades da estrada da Vida!
Vivo em esperança
até ao final deste caminho...

José Manuel Brazão

Eu representando toda esta imensa equipa de Poetas residentes, Colaboradores especiais e jovens Autores desejamos a todos os Visitantes e mundo da Poesia um ano 2013 esperançoso!
Beijos e Abraços
José Manuel Brazão



domingo, 30 de dezembro de 2012

Tua Alma pede Vida!


Amanheci diferente
em que o Sol era radioso
e logo pensei em ti;
tua alma cruzou-se com a minha,
pressenti e senti mesmo,
ela a pedir Vida!

José Manuel Brazão

sábado, 29 de dezembro de 2012

Pássaro verde


Oh! pássaro verde
que te esqueceste do ninho
do aconchego das palhas de feno
carregadas pelo bico de amor sereno...

Agora voas perdido
com o orgulho ferido
as asas cansadas
do mundo que te aclamou
e logo te deixou na aflição...

Oh! pássaro verde
o regresso é o mesmo caminho
nunca será distante
se o buscares dentro do peito

Mas não leves contigo o ego
pois as asas não suportam
o papel da viagem
que será sim um ato de coragem!

Ana Coelho

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

Repousarei em mim!


Na minha Vida
tudo te dei, pensando
que te sentisses feliz
ou com momentos felizes!

Senti no silêncio das palavras,
que a chama viva do Amor
se apagava lentamente
com a agonia do tempo!

Com palavras
rompidas no silêncio
dizias que morava em teu coração!

Bati à porta dele
e ninguém respondeu:
Ontem, hoje;
e amanhã
repousarei apenas em mim...
guiado para águas tranquilas
e nada me faltará !

José Manuel Brazão

Nos braços da Poesia


Durante muito tempo em minha vida,
escrevi meus rabiscos, poemas contos
e meus
escritos particulares, cartas de amor!
Sempre apaixonada por algo indivisível,
o transcendental, algo que nem eu mesma
sabia e nunca foram publicados!
Guardava tudo que escrevia...
engavetava, não tinha a
pretensão de ser Poeta!
Emocionava-me a cada musica
que escutava e outras tantas
que eu tocava em meu piano!
Quando começaram as paixões
na adolescencia, a cada desilusão,
a cada momento bom escrevia mais e mais...
Depois a vida levou-me por outras estradas
outras trilhas e meus papéis assim
como meus brinquedos ficaram
esquecidos no passado!
Meus papeis ficaram amarelados
pelo tempo...muitos perdidos e
considerados como arroubos da juventude.
O tempo inexorável passou ...
de volta áqueles poemas e escritos
os que restaram de minha juventude
hoje me fazem companhia dia após dia...
e os leio ao som do meu piano...e nesse
cenáriode magia e emoção acalento-me
nos braços da poesia!

celinavasques

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Pétalas de sonhos


Sopro as pétalas dos sonhos
Nasce um rasto de cor purpura

Longe está o futuro que anseio

Da voz que se ergue ao vento
Escorrem pensamentos já maduros
Cujo sumo
Bebo na passagem do tempo

Ampla é a paisagem que me rodeia

Mostro as mãos ao mundo
Trazendo à luz as palavras mortas
Que tanto esperaram…
Pelo rasto de cor purpura
Transformando-se em cinzas

Crescem agora sorrisos sérios
Que entram na noite de mão dada

Sopro as pétalas dos sonhos
Que te beijam os lábios de madrugada

Vanda Paz

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

A Poesia já vivia em mim!



Com a poesia,
 sinto alegria;
repousam os dilemas,
nascem os poemas.

Com a poesia,
param as angústias,
as tristezas,
as desilusões.

Com a poesia
nascem emoções,
mensagens de paz,
harmonia e amor.

Com a poesia
nasce a esperança
de viver
e de conhecer amigos,
amigos de verdade.

Com a poesia,
nasce a libertação,
a conversão
aos valores humanos.

Com a poesia
nasce um estilo,
uma forma de vida,
uma visão do mundo,
que leva o poeta
à descoberta:
da verdade,
da realidade,
sem palavra encoberta.

Com a poesia,
nasce a minha poesia!
e...
... Por tua causa a minha vida
nunca mais foi a mesma;
tudo se alterou
na rotina, no descanso,
mas em mim - o Homem -
houve a conquista
de valores adormecidos
e hoje fortalecidos,
que fazem do poeta
um homem com outra visão,
com horizontes sem limites
no espaço e no tempo,
numa entrega desmedida
àqueles que me seguem,
acarinham e valorizam,
tornando o meu sentir e acreditar
em verdadeira sintonia,
que recuando no tempo,
sonhava, pretendia,
mas não sabia se conquistaria!

Hoje por tua causa
estou reflectindo em palavras
e apenas por tua causa,
escrevendo poesia da paz,
da harmonia e do amor...
... a minha poesia!

José Manuel Brazão

Bom dia futuro!


Já tanto vivi
e fiz tão pouco
para aquilo que sonhei;
mas pacientemente
viverei
dia após dia
cumprindo para o que vim,
semeando tudo de bom que existe em mim
e serenando pelo Amor que dei
e todo aquele que recebi!

Diante da Vida
bom dia esperança
bom dia futuro!

José Manuel Brazão


Ana Bailune disse...
Abrimos os braços e damos bom dia ao desconhecido. Coragem? Não; destino.


http://www.youtube.com/watch?v=QcgEgtkMW6w




segunda-feira, 24 de dezembro de 2012



Esta noite de Natal de 2012

O silêncio me rodeia,
convive comigo
há muito tempo
como amigo
a que já me habituei
e resignei!

Vou à janela

virada para o Rio Tejo,
vejo as águas serenas,
chuva a cair,
que deixa um cheiro,
invulgar, confortante
que me serena,
me relaxa
e me leva a pensamentos
distantes e recentes.

Vejo imagens

de tempos que não se apagam
e de um presente doloroso,
mas que me deixa uma luz,
que mostra a esperança
a sorrir com a Lua,
iluminando
meu corpo e alma,
sentindo eu as forças
para amanhã
continuar a minha caminhada,
sem hesitar, sem parar!

José Manuel Brazão

24.DEZ.2012

domingo, 23 de dezembro de 2012

Mais um Natal

Então, chegamos a mais um Natal. Mais um dia que estaremos comemorando ao nascimento do Filho do Altíssimo.

Contudo, sabemos bem que muitos não têm esta mesma percepção. Hoje, na véspera do Natal venho com alguns questionamentos: O que seria do comércio se não existisse Natal? O que seria deste momento natalino sem papai-noel? Ou será que o papai-noel foi realmente uma história inventada pelas pessoas de pouca fé?

Peço desculpas pela forma que escrevo, mas não consigo fechar os olhos e não perceber como muitos venderam a sua alma, a sua fé, sua esperança pela falsa riqueza do materialismo. E te pergunto: o que levaremos desta vida? A vida não se resume somente aos presentes. A vida se resume aos risos, às fiéis amizades, aos pequenos e grandes momentos, a confraternização, e principalmente a família. É muito mais valioso receber um abraço verdadeiro, do que receber a hipocrisia embrulhada num presente.

Sim, a hipocrisia está embrulhada. Muitas pessoas fingem sentimentos que não existem em seus corações. As pessoas não sabem o significado do amor, do respeito, da solidariedade, do perdão. Perdeu-se o caráter, a dignidade das boas ações. O Natal perdeu o verdadeiro sentido em muitos lares.

Mais um Natal, e não vi nada de especial este ano. Simplesmente vi o interesse político; a ganância do materialista; vi também muitas desgraças e desastres em muitas famílias e cidades.

Então, logo mais, estaremos numa gostosa ceia com a nossa família, esbanjando comida e trocando presentes, e será que lembraremos de fazer uma oração? Será que lembraremos que o aniversariante é o Menino Jesus? Enquanto muitos outros estarão desperdiçando, outros estarão passando um Natal de dificuldade, de fome, da falta de abrigo, da falta de sonhos... Desejo e torço que cada um repense em seus atos e suas atitudes.

Por que perdemos a essência humana? Por que ficamos sentimentais somente no Natal? Por que não colocarmos um pouco da nossa solidariedade todos os dias? Penso que Natal não se resume apenas no dia 25 de dezembro, mas sim, o ano todo, nos 365 dias.

Mais uma vez chegamos ao Natal, e eu desejo em minhas orações que muitos de vocês leitores se sensibilizem e repensem em tudo que acabou de ler.

Finalizo a minha mensagem desejando que todos tenham uma profunda reflexão e um Abençoado Natal!

Graciele Gessner.

Sensações virtuais


FORTES EMOÇÕES


Fechar os olhos,
sentir o abraço forte,
o selinho roubado,
o beijo de boa noite...

Olhar para o céu
sentir que alguém
do outro lado
em algum lugar do planeta
olha também para o céu
e vê seu sorriso nas estrelas...

E como olhar pra lua e esquecer
Que esse alguém
está lá...
sempre cuidando da gente...


 Amor metafísico
que arrepia a pele...
explode em sonhos e sensações
enche o mundo de imaginação
faz o romantismo invadir o coração.
Não dá mais pra viver sem ele...

Ah! Sensações virtuais!

Sueli Rodrigues

Saudades com lágrimas



Meus dias são sempre diferentes,
uns mais intensos
com emoções fortes,
saudades imensas
e hoje é um desses dias!

Logo pela manhã
meu coração chorou,
lembrando filhos e netos!

Não me chega as suas vozes,
mas preciso de olhos nos olhos;
sentir o seu respirar,
ver os seus olhos de amar,
enfim, que me vejam vivo!

José Manuel Brazão



sábado, 22 de dezembro de 2012

Cumplicidade silenciosa


Sorrio-te com o olhar
beijo-te com o pensamento quente
nos lábios entrego-te
o reflexo da alma
nos instantes só nossos
com a multidão a correr
em palavras desordenadas...

Captas o meu sentir
na objetiva sensível de ti em mim...

O sentir revestido e vestido
de ti
onde habitas eternamente
na cumplicidade silenciosa
trocada em todos os espaços
com o brilho do nosso silêncio
a transparecer nas faces da minha íris! 

Ana Coelho

O céu da ilusão


Não quero mais o céu da ilusão
que fazia bem ao meu coração,
mas confundia minha Alma!

A vida ensinou a encontrar o chão
que piso mesmo com pedras
que guardo num monte
e serão o meu banco de reflexão da vida
daí avistarei a natureza
nesse horizonte sem fim
e já não verei o céu de ilusão
que fará mudar o meu rumo
com a esperança que dias melhores virão
e entrarão pelas janelas da minha Alma!

José Manuel Brazão

Mar aberto


Mais uma cambalhota do ano
Bem no meio da minha vida
Desde muito é sempre assim
E trato de agradecer essa rotina
A felicidade dos reencontros
Alegria dos bons presságios
Bençãos que se cumpriram
Som e silêncio bem colocados
Tudo com carinho e afagos

Planos, muitos planos
Um novo livro de retratos
Histórias à poetar
Taças que transbordarão

Reluzentes, tom magenta
Sem mais coisas do avesso 
Apenas muito bem estar
Felicidade do lado certo
Releitura da minha vida
Momento de recomeçar

Linda viagem me espera
Com faíscas no horizonte
Sol nascente junto ao mar
Levarei as minhas raízes
Colherei todos os frutos
E saberei cada um saborear
Segue seu rumo a eternidade
Muitas águas tenho a navegar

Beatriz Prestes
em participação especial

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

No lago da paixão


No lago da paixão reflito
Reconheço-me nas densas águas do lago cristalino
Neste belo e misterioso lago mergulho meus anseios de menina
E meus desejos de mulher
Revejo nele as minhas vontades outrora esquecida
Lembro-me de outras vidas vividas

No belo lago me conheço
Sou o que sou sem nada esconder
Meus olhos decifram o oculto em mim
Vejo-me sem disfarce

Minhas asas refletidas no lago
Voam pelos meus pensamentos
Levam-me ao momento em que conheci você

Momento mágico eternizado
Em minha mente e coração
Eternizado também
No fundo lago
No fundo do lago cristalino
Da nossa paixão.

Nanda Costa

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Aspas


Por entre asas
"aspas"
emplumadas - sonhos
Vislumbra-se
o ser
Talvez seja esse
O minuto que antecede
o fruto
Mãos espalmadas
Silencio e lucidez.

Luciana Silveira

Colorido mágico


SONHO MARCANTE

Nunca mais vi seu rosto, seu sorriso ,
O desespero, às vezes, toma conta
Uma lágrima brota no olhar...

Difícil aceitar que estas longe
E a noite, quando sonho com você...
Seu sorriso faz festa na minha mente.
Parece tão real...
Chego a sentir seu perfume,
Teu abraço
Seus olhos
Suas mãos...

Então seca o pranto com um beijo carinhoso.
Acordo, tateando a cama a procura do meu sonho...
Sinto saudades sua e não quero acordar.
Quero ir ao encontro do sonho perfeito,
fazer dele, versos que iluminam a noite,
e juntos assistir ao nascer do sol,
caminhar pelos campos,
sentindo o cheiro das flores
que alegres dançam pra gente...

E quando o sol se por, admirar as estrelas
cultivar e continuar sonhando...
dar a vida um colorido mágico.

Sueli Rodrigues

Flor recebida, flor cuidada!


AURORA RICH: Feliz aniversário


Anjo da madrugada

Este anjo
acompanha a minha vida,
neste longo Caminho,
sempre com o mesmo fervor
e amor.
Olho para trás
e vejo só
boas recordações,
em palpitantes corações.
És um anjo da madrugada,
atento ao dia e à noite.
Para ti não há tempo!
A tua disponibilidade
e felicidade,
é para dar uma palavra,
tomar uma atitude,
fazer um afecto.
Que melhor nome este,
se já és uma aurora para nós,
um sol nascente para o Fernando,
o nosso Rich …


José Manuel Brazão

* Parabéns minha querida Amiga-Irmã Aurora


Ilimitadas sensações


Nessa pele, remendada de carícias amorfas, onde se enrugam as esperas consumadas. Nesse condimento revelado pelas intenções omitidas em ânsias de tanta espera. Nesse subtil corpo decorado pelo rubor de uma qualquer cereja, estendida na plenitude de toda a contemplação. Nesses poros sequiosos, onde manobram as glândulas de toda a exposta sensualidade em metamorfoses de movimentos inesperados, mas determinantes. Nesse perjúrio revoltante cintila a luz de todo o fragor, regurgitado pela adjacente exteriorização. Nesse todo clamam as fontes das águas onde prima a clarificação do teu ser. Torna-se inebriante esse expoente sem mácula e o sagaz efeito de tanto desejo. Há prazeres que as palavras não conseguem justificar, nem sequer enunciar.

António MR Martins

Olhai Mundo (Natal dos pobres)


Vem aí
mais um Natal!

Data cristã,
mas pouco tem de irmã!

Olhai Mundo
para a abastança,
a loucura, o frenesim
de quem
não precisa de poupança!

Olhai Mundo
para o Natal dos Pobres,
sem um cobertor,
sem pão
e apenas um coração,
com dignidade,
esperando compaixão
e um alimento para a alma,
que os ajude a entender,
os contrastes da Vida!

Olhai Mundo,
para o Natal dos Pobres:
não toleremos,
estes
sem um cobertor
e outros
com um “vison”!

Olhai Mundo,
para o Natal dos Pobres:

O meu grito de revolta,
soará até ao Infinito!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Densidade do olhar


Voar
sentir o ar em liberdade
inspirar o sal do mar
mergulhar em bravura e suavidade
na densidade do olhar penetrado no alto...

Mas é nos vales
sentada na mente
com o pensamento aberto
a escutar os murmúrios passados
-que deixei em pausa-
algures em todo o tempo
que renasço...revivo!

Aprendo sem lamentos
mesmo com a alma em sangue
o corpo caminha
numa nova linha
com a verdade de sempre
a consequência em plena consciência
de que viver é padecer e ressurgir
no puzzle composto
por todas as cores do universo...

Num só... som intimo
aquele que prevalece
acima das vicissitudes de tudo!

Ana Coelho

Da lágrima


E da lágrima que brotou
Botões vermelhos surgiram
Embalados ao véu da noite
E cada canto contido
Escondido
Extraído agora
Nessa onda noturna
Onde tudo é silêncio
e descoberta
Uma luz no fim do túnel
Um beco onde há saída
Vida.

Luciana Silveira

Quero alegria


Amuleto

O céu amanheceu cinzento,
as flores choraram lágrimas de orvalho
Minha estrela da manhã não brilhou
E uma lágrima irada desabou 
Hoje o dia ficou triste.
Os pássaros cantaram?
Nem ouvi
Poesias de amor?
Não escrevi
Senti falta dos sonhos
que vinha sonhando 
dormindo ou acordada
Sonhos risonhos, emocionantes, alegres.
Agora,
é reunir forças
sobrenaturais.
Me encantar novamente...
mas como?
Quem sabe um amuleto!

Sueli Rodrigues

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Paixão


Ah! Deixa que a saudade
dilacere meu coração
e nos pedaços - mil pedaços -
eu escreva versos tão apaixonados
que o mais imortal
dos poetas sinta inveja de mim!

Ah! Deixa que esta febre ardente
arrebente o meu peito e que
este amor se transforme em flores
- de todas as cores -
eu as ofereço pra ti

Ah! Deixa que no meu piano
- saudoso em harmonia -
eu toque canções infindas
e as melodias divinas
falem da minha paixão por ti.

Ah! Deixa que eu siga teu
rastro - como se fôras
uma estrela que transpondo
a sombra ilumine o
meu caminho - e todas as
trilhas me levem pra ti!

Ah! Visão do meu amor,
fulguras meu doce amante
em todos os meus sonhos e
fantasias, deixa que eu te afague,
quero respirar por tuas narinas
todo o meu alento, nem que seja só
neste momento,
quero tua alma, teu pensamento,
todo o teu sentimento.

Ah! Deixa que eu morra por ti !

Celina Vasques

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Depois de ti...


Sonhei com um lugar
somente nosso,
onde vivessemos
olhos nos olhos
os silencios
dos nossos pensamentos.

Uma distância que nos separa,
uma vontade que nos aproxima,
um desejo que nos une!

Cada dia que passa
existe ansiedade neste viver
em que sabes
que o meu coração é teu.

E junto de ti
apenas desejo,
que o meu sorriso final
seja em teu braços ficar!

José Manuel Brazão

domingo, 16 de dezembro de 2012

Sonhei-te em cada amanhecer...


Tocou minha alma profundamente
Por ti, movi montanhas e mares atravessei
Enlacei-me lentamente neste sentimento
Por ser tudo que um dia eu desejei.

Sonhei-te em cada amanhecer...
Em versos tu foste a minha inspiração
Procurei-te na lua e em cada anoitecer
Amei-te na mais linda poesia e canção.

Muitas lágrimas foram derramadas
Esperando loucamente por teu amor
Só distancia e silencio deixou nas madrugadas
E nenhuma chance pra curar a minha dor.

Hoje, deixarei tantas poesias espalhadas...
Feitas com lágrimas diante de tua indiferença
Pois são palavras que por ti foram ignoradas
Mas que me ajudaram a atravessar as tormentas.

Um dia talvez possa compreender
O quanto tentei te alcançar...
E mesmo longe sempre te amei
Mas por orgulho não soube me amar.

Belarose

sábado, 15 de dezembro de 2012

Esses olhos tristes


Esses olhos tristes
Olhos de outono
Como viajam esses  olhos
de cores sombrias!
Olhos de noite,
de madrugadas insones
Olhos que miram o horizonte...

Ah... esses olhos marejados
Visão embaçada
Tão tristes e tão belos
O que verão nessa estação?

Olhos amenos
Olhos de poesia

Ah ...esses olhos
emoldurados por um rosto
tão bonito!
Por que será que neles nunca é verão??

regina ragazzi

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Coração-lar


Nestes dias frios queria você aqui
Não preocupe-se não, minha mãe
É só essa necessidade de aconchego
No teu doce colo-ventre-pátria
Esse cheiro do alimento vindo de ti
Minha paz e conforto instaurados
Quando estou sob teus olhares
Plenos de luz, amor e doação
É só um fim que quero dar na solidão
Desses dias longos de inverno rígido
E uma vontade de dormir abraçada a ti
Por que mãe, um dia a gente tem que sair
De onde não devia ter deixado nunca?
Por que ter que abandonar o ninho
Deixar para de vez em quando o carinho?
A vida é assim, não é, mãe?
Ambas sabemos a importância de crescer
E aprender a se fazer o conforto de outro ser
Costurarmos essa colcha de retalhos em outras teias
Sem contudo perder o sangue de nossas veias
Mas quero dizer sem ter que chorar
E se for preciso que eu chore então
Que sempre estarei agarrada à tua mão
E dentro de ti, no coração, meu lar.

Luciana Silveira

Quem ama sente saudades!


Sempre com saudade,
muita saudade,
porque amo sem limites,
mesmo quem me ame em silêncio,
ou quem me manifeste
com um simples carinho,
com um sorriso
ou uma mão estendida!
Eu espero...

José Manuel Brazão

"Engana-se quem pensa que o tempo conserta tudo. Quando existe um amor, o tempo passa e a saudade não escassa."
Plinio Ditano

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Dos céus imortais


O teu Amor veio em forma de pássaro
Dos céus imortais... Chegou com a madrugada
Com perfume de alvorada
Nas rimas apaixonadas... Orvalhadas e belas
Paixão de minhas canções das manhãs brilhantes
Intenso e profundo igual ao mar!

celina vasques

Doces palavras


Quando te leio,
tuas palavras
escorrem doçura!

Mulher bela
de sorriso natural,
ternura,
dás à tua beleza
o que vai na tua alma!

Olhas-me e serenas
apenas com o meu olhar!

É apenas o olhar,
porque meu coração
é um coração sofrido!

Ele aguenta tudo:
até dar amor aos outros
e eu tão carente dele!

Aguenta
com as doces palavras
de ti
e de muitos outros…

José Manuel Brazão

[....]


Leve contigo
minhas doces palavras,
deixe que transbordem em doçura.

De um sorriso natural brotará
toda a beleza da alma.

Se o olhar é sereno
É conforto do amor refletido
destruindo o sofrimento
do coração descompassado...

Ah! Coração sofredor
Tudo aguenta. E ainda assim:
Dá afeto independente de sua carência.

Leve contigo meus sonhos coloridos,
carinho,
amor,
alegria...
na doçura das minhas palavras

Sueli Rodrigues




quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Um poema de Vanda Paz


Gostava de te escrever uma canção
Para juntos cantarmos as estrelas
Espantarmos os silêncios e dizermos nós
Quando dos lábios sai a melodia
Quando do corpo sai o ritmo
E das tuas mãos o som da guitarra
Entrego-me ao abraço que me falta
Esquecendo assim a noite

Gostava de te escrever uma canção
E sorve-la nos teus lábios…

Vanda Paz

Lembrando: Caminhos


Sou viajante errante,
a surpresa tomou conta de mim,
ao escalar o caminho das emoções.

Atravessei o oceano,
para além mar aportar...
Balancei feito ondas.

Emoções me dominaram
vivenciei novos sonhos.
E das mãos do poeta,
em ritmo suave, virei poesia.

Agora sou verso, sou rima,
sou amor, sonho e ilusão.
Sou gota de azul, 
pintando o oceano.

Viajarei por outros caminhos,
serei textos da vida ou
diálogos de amor ...


Meu coração quero aportar
no refúgio das emoções,
viver amor sem limites
e voltar entre nossos sonhos.

Aportarei de vez no caminho das emoções
e encontrarei o Zé e suas poetas
farei de lá,  meu porto seguro.
Serei poesia com emoções.


Sueli Rodrigues

Querida SU
Estou emocionado com este poema!
Muito bem elaborado em que usaste
nos versos os títulos do meu grupo
de Blogs de que sou titular!
Um lindo gesto de amor da Poeta
além de Poeta residente desta equipa
e uma grande Amiga!

Beijo grande do ZÉ

Sueli Rodrigues disse...



Zé esse porto é lindo! quisera eu poder chegar até aí, não apenas em sonhos, mas de corpo e alma, enquanto isso não é possível, deixo aqui registrado toda a sedução que seus cantinhos poéticos me encantam e seduzem... É seu esse poema, e assim me sinto hoje, versos e poesia.
Su

A flor do meu poema


Todos os dias te contemplo
em minhas mãos, te acaricio
como a flor do meu poema
uma flor mulher
que invade minha alma e instintos,
e vejo despida em poema!

Sinto o teu desejo
reflectido em meus versos,
pulsando esse coração
entre as tuas pétalas,
pétalas de amor,
que deixa o poeta em dor
por sentir o teu aroma
e não sentir o teu corpo...
apenas a essência...

José Manuel Brazão

[...]

Quando contemplas e acaricias
as pétalas da flor,
dessa flor feito poesia
que invade sua alma e seus instintos
de poeta sonhador
e a vê despida em poema:
É para saciar sua sede
de desejos e inspiração.

Quando sente o desejo refletido em poema
é para saborear o encanto do verso.
Ele deixa o coração pulsante
mais acelerado.

E quando a dor sentires
por conta da sensação
do aroma exalado
e o corpo não sentires.
Tenta entenderes que
toda flor tem espinhos
que a protegem da cobiça.

É preciso transpor as barreiras da dor
para possuir a flor
que perfuma, e encanta sua poesia,
trazendo a essência do amor!

Sueli Rodrigues