Outros Blogs do meu grupo:

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Pétalas de sonhos


Sopro as pétalas dos sonhos
Nasce um rasto de cor purpura

Longe está o futuro que anseio

Da voz que se ergue ao vento
Escorrem pensamentos já maduros
Cujo sumo
Bebo na passagem do tempo

Ampla é a paisagem que me rodeia

Mostro as mãos ao mundo
Trazendo à luz as palavras mortas
Que tanto esperaram…
Pelo rasto de cor purpura
Transformando-se em cinzas

Crescem agora sorrisos sérios
Que entram na noite de mão dada

Sopro as pétalas dos sonhos
Que te beijam os lábios de madrugada

Vanda Paz

1 comentário:

Ana Bailune disse...

Um lindo poema de Vanda!