Outros Blogs do meu grupo:

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Meus poemas


É no peito que guardo meus melhores poemas
 Arquivo de todas as minhas emoções
Rabiscos que traço somente em pensamento
 Rascunhos que faço sem usar as mãos

Meus poemas por vezes são jardins abandonados
 Onde crescem ervas que não consigo arrancar
São dias de chuva, beiras de precipícios
 São pedaços meus que não posso juntar

Por outras vezes são janelas que ficam abertas
 Por onde entram a luz do sol, das estrelas, do luar
 São rios calmos longe das fortes correntezas
São paisagens coloridas que se refletem em meu olhar

É no meu peito que guardo meus melhores poemas
Arquivo de todas as minhas emoções
 Meu livro secreto, somente eu o leio
 E é nele que aprendo as  maiores lições

regina ragazzi

1 comentário:

Zélia Cunha disse...

Boa noite José Manuel,

Que belo poema! São belas sensações nele vividas, dependendo de cada estado de alma por ti sentidas. Lindo! Ótimo fim de semana.
Abraços.