Outros Blogs do meu grupo:

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

As lágrimas de muitas mães


Choram as mães o suceder de tanta desgraça no choro de cada esperança. Choram pelos filhos que partem em busca da sobrevivência. Choram os matrimónios dos nados de si com a lágrima da saudade e do orgulho. Chora
m o tempo que passa sem a noção efectiva da sua existência. Choram a saúde nas pautas valorizadas por cada corpo que a tanto instante clama pelo seu nome. Choram a angústia pelo passado na aflição de cada presente. Choram os filhos que morrem no tempo que deveria ser o seu. Choram os pedaços cortantes de cada dor por elas sofrida. Choram as nuances de carinho que gostariam de dar e receber eternamente. Choram os retalhos da vida por tudo o que de bom e mau contêm. Choram também o sorriso por onde salpica o puro amor. Choram a sua superior força que lhes permite resistir até à próxima alegria. Choram finalmente a grandeza de serem simplesmente mulheres.

António MR Martins

Sem comentários: