Outros Blogs do meu grupo:

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Vencendo as paredes

Meu teto virou infinito
Abriu-se de estrelas
Para que meu pensamento
Flua e crie asas
Quase um vandalismo
Vendaval dentro de mim 
Movimento entre nuvens
Dissolução dos medos fugitivos
Nesta noite repleta e indecifrável
Onde meu corpo sussurra
Tentando se fazer entender
Brindo a noite através de minha taça
Marcada pelo meu batom
Desenhada com linhas leves
Insinuado por gosto de fruta doce
Quase um impasse soprando 
Dizendo o que posso fazer
Como voar por entre nuvens
Acenar para os meus sonhos
Com asas dispersas em luz
  
Beatriz Prestes
em participação especial


Sem comentários: