Outros Blogs do meu grupo:

sábado, 10 de dezembro de 2011

Poema do soldado

Com o olhar meio perdido
e o cabelo caído
falas-me dos tempos em que foste feliz.
Passaram alguns anos,
ninguém o pode negar...
é muito doloroso sentir o tempo passar.
Com a cara pálida
e os lábios semi cerrados
falas da glória e do auge do passado.
Cai uma gota preguiçosa
pelo teu rosto esguio
que fazem sentir o presente sombrio.
Não baixes os braços agora
meu bravo guerreiro;
Já chegou a "Primavera"
não sentes o cheiro?
Não pode "chover" para sempre
e este inverno acabou.
Respira fundo e sorri,
lembra-te daqueles que gostam muito de ti!


Vera SOL


Em Março de 2006 a minha grande e jovem amiga Vera SOL (a Verinha) quis tributar-me amáveis palavras, ao meu percurso na vida e na poesia.
Assim, entendeu transformar as palavras neste bonito poema.
Beijos do 

Sem comentários: