Outros Blogs do meu grupo:

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Coração... sempre o coração!

Para quem já tenha amado e por fim, amado uma ideia que fazia da pessoa em questão, sabe que acaba machucado, sem qualquer defesa.

Quando gostamos daquela pessoa, há momentos inesquecíveis e também terríveis pelo simples fato de como revelar tais sentimentos. Chegamos a desejar em jogar tudo para o alto e revelar que o coração tão puro e frágil está apaixonado.

Contudo, não há garantias para o coração, estamos sujeitos a rejeição, as mágoas, as dores do mundo... Então, há garantias para o coração? Como bloquear ou defendê-lo das (des)ilusões?

Graciele Gessner

[...]


Se um coração teimoso entende que não recebe do(a) outro(a) tudo aquilo que dá, fica com a angústia de que só ele(a) ama!

Mas não será assim! O amor entre duas pessoas vive-se sem medições. Cada um entrega-se com aquilo que a sua capacidade estrutural e harmónica lhe permite.

No amor a fidelidade e a lealdade devem ser igualitárias, mas os sentimentos afectivos já estão sujeitos à tal estrutura pessoal!

Fundamentalmente o amor exige tão simplesmente verdade de ambos e ela nem sempre é aquilo que pretendemos!

José Manuel Brazão

acalenta Que lindo dueto,adoro seus duetos parabens Ze e Graciele vocês dão shou.
beijos aos dois.
José Manuel Brazão acalenta, És muito querida com os teus comentários.
Agradeço a tua presença.
Beijos nossos
Graci e Zé






Sem comentários: