Outros Blogs do meu grupo:

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Versos em lágrimas


Como estão enfastiados meus olhos!
Nem as belas palavras os alegram,
Nem belos jardins com eles combinam;
Há muito se perderam nos abrolhos.

Triste não sentir nos olhos o sabor
Das preces presentes na natureza,
Porque tudo que sentem é tristeza,
O gosto presente é o do amargor.

Lá fora, a vida passa normalmente...
Noutros olhos o prazer predomina;
Todavia, nos meus, não tenho essa sina.

O tempo pra sempre seguirá em frente,
Sem os meus olhos demais fatigados
Que agora esperam a morte entre os prados.

Luciene Lima Prado

Lu querida Amiga
Este soneto profundo e intenso
é dos mais belos que já te li.
Beijo do ZÉ

Sem comentários: