Outros Blogs do meu grupo:

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Sem que eu percebesse...


O tempo passou voando. Fui um bebê, também uma menina, moça, mulher e, hoje, para sempre mamãe.

Sem que eu percebesse passava por transformações, no instante que carregava o meu pequeno anjo dentro de mim.

A maternidade não veio com o tempo, brotou com a surpresa da gravidez. Após o nascimento do meu menininho, um amor incondicional e eterno já desabrochava dentro de mim.

Ser mãe é algo inexplicável e único. Cada gesto, cada palavrinha nova, os primeiros passos, as risadinhas, os primeiros beijinhos dado pelo meu anjinho me mostra que o bem sempre vencerá. Hoje, tenho certeza que existe algo muito Superior, que a maldade existente na terra é incapaz de destruir.

Independente da idade que o meu filho tiver; todos os momentos que eu puder estar ao seu lado serão únicos e inesquecíveis.

Uma mulher jamais saberá o quanto é grandioso ser mãe até o momento que não estiver gerando uma vida dentro de si. Temos dentro de nós sentimentos fortes, e defenderemos até a morte o nosso rebento.

Agradeço a Deus pelo anjo que me permitiu gerar e ter em meus braços. Olhar o meu anjinho dormindo e ter a certeza que está tudo bem com ele.

Sem que eu percebesse, desabafei um minúsculo momento de ser mamãe, num dia especialmente especial, em que pude passar mais um domingo com o meu pequeno príncipe.

E fica no ar uma sugestão, por mais que existam mulheres que não possa ter seus próprios filhos, não há motivo de desistir deste sonho. Por que não adotar uma criança? Há tantas crianças em orfanatos, desamparadas, abandonadas, ou até que perderam seus pais.

Graciele Gessner.

Sem comentários: