Outros Blogs do meu grupo:

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Como nos queremos amar!

Por um poema
que o sentiste
e não esqueceste,
nossas almas se juntaram
e nossos corpos se uniram!

Naquela noite
e juntos à lareira,
relemos o poema:
abraçaste
e beijaste meu corpo,
deste o teu para eu beijar
e rolámos pelo tapete do amor!

Teu corpo
manifestou o desejo
que andava escondido…
… entregámo-nos a ele,
que explodia…
há muito tempo…

Naquela noite
e com os corpos
exalando amor,
amor sem limites,
começou em nós
um amor sem hesitação,
com muita paixão
e um amor sem recuo!

Como
nos queremos amar!

José Manuel Brazão


Sem comentários: