Outros Blogs do meu grupo:

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

Espelhos


Mirei em teu espelho
Por dentro, me vejo
E será esse meu segredo
Aquele que se expõe
Grita, gira o mundo
E volta sempre pra ti
Marco em minha mente
Teu beijo de serpente
Pronto pra me devorar
Sorvo cada semente
Desmedidamente de ti
E transcendemos
Quebramos os espelhos
enfim.
Luciana Silveira


[....]

Espelho-me em ti,
viajo pelo teu corpo,
beijo-te com fervor
pelo amor
que me entregas,
pelas sementes
que existem em ti
e perdidos
Quebramos os espelhos
enfim.
José Manuel Brazão



Cacos


“Os cacos da vida, colados, formam uma estranha xícara.
Sem uso, ela nos espia do aparador”
Carlos Drummond de Andrade

Juntei meus cacos, meus trapos, meus laços
e  refiz minha história.

Mas sobraram pedaços
que não se encaixavam em lugar algum.

Com eles, tentei me reinventar
numa outra história
Deixando de lado
os velhos cacos, e trapos, e laços
Guardados, intactos
em algum lugar do meu passado.

regina ragazzi


Em busca da luz


São tão mortos os pensamentos
quando morro por dentro
e do lado oposto um sorriso
se esboça com esforço...

É a alma que grita
em suplicas refeitas
no espírito em tormenta
em busca da luz
que não se ausenta...

O corpo diz...não
não posso...não quero
a alma rebate
no mais intimo impulso
sim...sim tu crês
sim vais conseguir...

O espírito espreita
inquieto nos beirais da Primavera
que canta canções sem harpas
derrete o gelo
tudo se completa
caminho mais uma vez
sem olhar para o abismo...

Ana Coelho


quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Poesia Avulsa: O MEU NOVO LIVRO "FLOR DAS MEMÓRIAS PERDIDAS" SERÁ APRESENTADO NO PRÓXIMO DIA 9 DE DEZEMBRO, EM LISBOA, NO AUDITÓRIO DO CAMPO GRANDE, 56. VAI SER UM DIA COM UM PROGRAMA MUITO INTERESSANTE:


Poesia Avulsa: O MEU NOVO LIVRO "FLOR DAS MEMÓRIAS PERDIDAS" SERÁ APRESENTADO NO PRÓXIMO DIA 9 DE DEZEMBRO, EM LISBOA, NO AUDITÓRIO DO CAMPO GRANDE, 56. VAI SER UM DIA COM UM PROGRAMA MUITO INTERESSANTE::


Sou nada e sou muito!



Sou uma partícula deste Universo,
um corpo que vive na Terra,
uma Alma que vive e convive por aí,
aprendendo a evoluir,
com provações constantes
neste destino que não ignora,
mas escolheu!

Daí as provações
que tenta superar,
para evoluir,
cumprindo missão
com amor ao próximo
para neste caminho
ver em mim
o sou muito
em vez do sou nada!

José Manuel Brazão

Ah! Poeta!


DESEJOS

Ah! se eu pudesse
seguraria sua mão
e viajaria  estradas ao seu lado.

Sorriria só de olhar você sorrindo
e secaria sua lágrimas, bebendo o sal
com beijos em sua face.

Ficaria feliz ouvindo o canto dos pássaros,
vivendo contigo nas montanhas
ou correndo pela areia da praia.

Alegre seria
ouvindo o som das ondas.
Que, em festa, brincam no mar.

Ah! Poeta!
Se eu pudesse seria a menina,
A menina dos seus versos.

Levaria você ao delírio!
Em êxtase ficaria...
faria você sonhar.

Sueli Rodrigues

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Nudez sensual


No espaço fugidio da luz
se esquece a brisa do ar
onde entre amantes seduz
um controverso respirar

beijos carícias e afagos
mãos que mexem e sentem
bocas lábios e tragos
olhares trocados não mentem

gotejam os poros suados
abraços infindos apertam
envolvendo corpos sentidos

pela sedução penetrados
em sublime prazer despertam
num imenso abraço despidos

António MR Martins

Brisas de amor


Vejo a tua imagem
sempre em mim;
penso e escrevo
o amor que  envolve
as nossas vidas
e te envio
por esse vento amigo
minhas palavras
em poemas
que atravessam este mar imenso
e chegam a ti
pousando em teu colo.

Abraças e beijas
cada uma delas,
acaricias
como se fosse meu  corpo!

Olhas o horizonte,
fixas o mar,
esperas pelo vento
que me trará
teus pensamentos
de paixão e amor,
que guardavas em teu coração!
E este vento amigo
de mim tudo levou
e de ti trouxe a esperança
de sermos felizes
no resto dos nossos caminhos!

José Manuel Brazão

Tuas mãos


Gosto quando tocas em meus cabelos
Quando acaricias meu rosto com leveza
Quando seguras com firmeza minha mão
Nas horas de minhas angústias

Gosto do toque de tuas mãos em meu corpo
Nas nossas noites de amor
Das mãos que estendes
Quando me chamas pra junto de ti

Gosto quando secas minhas lágrimas
E me acalmas
Falas comigo através de tuas mãos
Não precisas de palavras
Ao segura-las
Não tenho medo de nada

Amo as tuas mãos

regina ragazzi

Teu olhar...


Sabe meu grande amor...
Foi dentro deste teu olhar, que perdi meu coração.
Sim... São os teus olhos que me fascinam,
São os teus olhos que me roubam e me enche de emoção,
Pois neles posso ver os reflexos dos meus sonhos.

Quando nossos olhares se encontram, eu perco as palavras,
E eu não vejo nada ao redor - é impressionante,
é mágico... É um momento único.

Eu sinto elevar-me, flutuando ao encontro desta luz que clareia meu viver.

Tudo é reluzente... Pois em teu olhar , encontro o brilho da luz que aquece minha alma, e que rompe toda a escuridão.

Nesta viagem adentro em tuas pupilas, que são pra mim como um mar, eu que navego em busca de minha verdade...Tu olhaste-me com tanta profundidade que me fazes perder o rumo...

Agora só me resta sonhar para que eu possa novamente encontrar teu olhar
para resgatar a minha felicidade...

Belarose



A quem um dia se teve amor


Da janela da minha Vida
olho esse mar da ilusão,
de ondas e maresia de amor,
que me lembram
esses momentos de fervor
de amor intenso
ora sonhado
ora vivido
e agora sofrido,
deixando dor
a quem um dia
se teve amor...
... hoje olhamos
as nossas imagens,
sentimos o cheiro
desse amor
e da saudade por inteiro
em nossas almas!

José Manuel Brazão

terça-feira, 27 de novembro de 2012

Amiga


Deixa-me ser a tua amiga, Amor,
A tua amiga só, já que não queres
Que pelo teu amor seja a melhor,
A mais triste de todas as mulheres.
Que só, de ti, me venha mágoa e dor
O que me importa a mim?! O que quiseres
É sempre um sonho bom! Seja o que for,
Bendito sejas tu por mo dizeres!
Beija-me as mãos, Amor, devagarinho ...
Como se os dois nascêssemos irmãos,
Aves cantando, ao sol, no mesmo ninho ...
Beija-mas bem! ... Que fantasia louca
Guardar assim, fechados, nestas mãos
Os beijos que sonhei prà minha boca! ...

Florbela Espanca

Esta Lisboa que eu amo


Lisboa,
minha cidade,
onde nasci
e tenho vivido,
crescido,
aprendido,
ensinado
e criado
tudo aquilo que me deste,
até a liberdade,
que uns sabem usar
e outros abusar.
Quase toda te conheci,
de oriente
a ocidente,
mas há sempre um cantinho,
desconhecido
ou mal observado,
durante este caminho,
igual à minha idade.

José Manuel Brazão

Miriade
Zé uma otima ideia,um lindo poema e maravilhoso video,adoro Portugal, tenho uma afinidade com seu pais, deve ser essa amizade luso-brasileira que temos nas entranhas.Estive ai por duas vezes a tentar conhecer melhor e me identifiquei com tudo que vi,parece minha cidade Natal,as ruas de Lisboa,suas escadarias, sua arquitetura unica,seus azulezos poéticos, a roupa no varal das janelas, os bordados,o forte de Saõ Jorge,passa para mim uma sensação de nostalgia e romantismo, até escrevi um texto também na epoca que a visitei, deve está na gaveta, quando o encontrar posto para você ok? Achei lindissimo seu texto poema, viajei no video e no fado, obrigada por compartir,
 Beijocarinho, Lu


http://www.youtube.com/watch?v=LOa9Q4RvSKw&feature=player_embedded




Estrela do mar


Quantas vezes meus olhos fitando o infinito
Viram este mar se desmanchando em ondas espumantes
dançando e quebrando na beira da praia
beijando teus pés na areia…
Estrela do mar…

Quantos Sonhos exalados, colados
Nos barcos do meu eu ilusório
Prenhe de tempestades
No Aroma de maresia
Suave cheiro de terra molhada
Orvalhos de alvorada a difundir cheiro de mato
Brilhando ao toque dos primitivos
raios entorpecidos do sol...

Na tua pele a fragrância de campo
E a lua cheia, te espiando sempre invejosa
do teu precioso encanto
Sedenta de amores devassos-sensuais!

À margem das pedras neste imaginário
eu ancorava meu corpo em teu cais.

celina vasques

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Educar a dor


Felizes os educadores que educam a dor.
Que fazem de uma necessidade
a oportunidade de crescerem
e evoluírem como humanos,
mostrando àqueles que precisam de mais atenção,
que a vida os considera
tão importantes quanto a todos.

Felizes os educadores que educam a dor.
Que transformam seus alunos especiais
em mais que especiais,
fazendo deles iguais em direitos,
iguais em tratamento,
com um pouco mais de cuidado,
já que também são obras de Deus.

Felizes os educadores que educam a dor.
Que fazem destas,
quando tão transparentes,
motivo de conscientização
e de exclusão de preconceitos,
pois ninguém pede ou até mesmo se enobrece
por precisar tanto de outros.

Felizes os educadores que educam a dor.
Que num passe de mágica
fazem a criança ou o adulto
ainda cheios de esperanças,
pensar que sua única diferença
é serem tão perfeitos a ponto
de todos notarem o que não é defeito.

Patricia Ximenes

Parabéns a todos os educadores que usam o coração para tornar mais leve a necessidade de muitas crianças.

Da tua janela olhas esse mar...


Todas as manhãs
abres a janela da nossa Vida,
olhas esse mar e recordas
esta Lisboa que eu amo,
desejando abraçares as ondas,
que te tragam até mim
e aqui reconquistarmos
na memória do tempo
os momentos felizes
vividos e perpetuados!

José Manuel Brazão



e esperança em cada verso meu amigo
abraço bem grande Nina

Beatriz Prestes 
Zé meu amigo!!!
Que LINDO E INSPIRADO!!
Repleto de presença almejada! Uma maravilha em versos!
Beijo Bea

- versos em dissipações de ondas oceânicas, um poema feito uma imagem na tela, pinceladamente, por mãos lusitana, a Europa se fazendo presente numa interação diplomática, através da poesia.  Viva a democracia da poesia. Mário Bróis

domingo, 25 de novembro de 2012

Um adeus maior


Uma lágrima
Me cai dos olhos 
Pela tristeza que me consome

Uma perda
Num cântico triste
Em melodia inigualável

Um abraço
Na despedida
Mais interioriza tal findar

Um baixar a cabeça
E num repente a levantar
Porque aquele ser agora dorme

Um sorriso
Pela partilha
E pela amizade inesgotável

Um adeus
Eternamente profundo
Pelas memórias que me deixou ficar

António MR Martins


António MR Martins disse...
 Agora sim, comovi-me. Ao reler o poema, neste grandioso espaço, ao som da melodia do mesmo. Forte abraço, amigo Zé.

No limite do silêncio


No limite do silêncio
morrem as palavras caladas
…cansadas
como uma gazela
após a corrida nos prados…

No limite do silêncio
construo um relógio sem tempo
com os ponteiros em contramão
para rebobinar as horas
…talvez assim
tudo o que se afundou volte à tona
na praia onde o sol se deita!

No limite do silêncio
há uma linha que separa
a importância dos importantes
a forma das borboletas
no parto do casulo
para a suprema beleza
da natureza divina
sem que alguém a defina!

Ana Coelho

Quem sou eu? (²)


Dizem que sou a filha não desejada. Dizem que não fui bem-vinda ao mundo. Apesar de tudo, aqui estou. Estou bem viva!

Dizem que meus primeiros dias de vida num lugar de maior proteção, eu sofri nas mãos da pessoa que hoje amo muito.

Dizem que fui uma criança arteira, travessa, brincalhona, esperta. Dizem que fui uma menina caprichosa, estudiosa, curiosa.

Até que um dia ouvi... Eu surpreendi muitas pessoas quando retornei a minha cidade natal.

Hoje, eu sei o que sou. Sou filha de Deus. Deus traçou uma missão e estou aqui para cumprir.

Sou apenas o que sonhei ser. Tenho muitos sonhos, mas tenho os pés no chão. Queria ser maluca o bastante para enfrentar tudo e todos para conquistar o meu maior anseio. É preciso ser um pouco maluco para vencer na vida.

Por fim, entender que sou o que sou pelo que vivi e me vi obrigada a enfrentar sozinha. Sou o que sou pelas pessoas que cruzaram o meu caminho, e deixaram um pouco de suas vidas como exemplos.

Hoje, descubro um pouco mais da minha existência. Vejo minhas antigas fotografias e nelas vejo apenas traços de um pai desconhecido. Porém, comparo as minhas fotos atuais com meus descendentes maternos, e descubro que sou a descrição completa da minha mãe, da minha avó, da minha bisavó. Pois é, também fiquei surpresa!

Cada novo dia, cada sol que nasce, cada alvorecer, eu descubro como é difícil nos definir.

Quem sou eu? Algumas indefinidas e arriscadas ideias já posso declarar.

Sou a menina que cresceu achando que na vida adulta tudo seria mais fácil.

Sou a menina que se apaixonou e não esqueceu do seu grande amor.

Sou a menina que prometeu aos nove anos que mudaria de vida.

Sou a menina que chora quando está feliz e quando está triste.

Sou a menina que nasceu no momento que Deus desejou, e dirá adeus quando for à hora certa.

Sou a menina que aprendeu logo cedo como é importante viver cada minuto, cada instante.

Sou a menina que vai morrer deixando um pouco de si. Acredite!

Sou a menina que se tornou uma garota determinada e guerreira.

Sou aquela que escreve através da sua sensibilidade, mas guarda dentro de si uma brava e lutadora criatura que acredita em seus sonhos.

E ainda assim, não me defini totalmente. Estou em constante mudança, e a cada dia descubro um pouco mais de mim.

Quero agradecer a todos que acreditaram e continuam acreditando no meu potencial, nos meus sonhos, na minha persistência, na minha determinação. Obrigada!

Graciele Gessner.

Meus poemas


É no peito que guardo meus melhores poemas
Arquivo de todas as minhas emoções
Rabiscos que traço somente em pensamento
Rascunhos que faço sem usar as mãos

Meus poemas por vezes são jardins abandonados
Onde crescem ervas que não consigo arrancar
São dias de chuva, beiras de precipícios
São pedaços meus que não posso juntar

Por outras vezes são janelas que ficam abertas
Por onde entram a luz do sol, das estrelas, do luar
São rios calmos longe das fortes correntezas
São paisagens coloridas que se refletem em meu olhar

É no meu peito que guardo meus melhores poemas
Arquivo de todas as minhas emoções
Meu livro secreto, somente eu o leio
E é nele que aprendo as  maiores lições

regina ragazzi

sábado, 24 de novembro de 2012

Uma saudade que ficará...


Não queria alimentar
esta saudade constante,
mas ela não me deixa
como parte do meu amor!

Adormeço e amanheço
tendo ela como companheira
fiel dos meus dias,
que provoca em mim
uma nostalgia para viver
e comigo morrer!

Assim  viverá
no meu destino
na Vida e na Poesia
uma saudade que ficará...

José Manuel Brazão

Abraço o teu silêncio



Passa o tempo
e o teu silêncio
abraçado à dor,
por um amor
sonhado, desejado
e vivido na sombra
das nossas almas!

Amor
que a Lua sorri
em noites de luar!

Luar
que aumenta a paixão
o desejo, a libertação
de um amor que existe
nas nossas mentes,
que será o nosso destino!

 José Manuel Brazão

[....]

Oiço um novo ritmo
no meu coração
... quebro a promessa...

Sinto o sangue quente
a ultrapassar qualquer limite.

Encontro-me infinitamente
a olhar o azul do céu,
a cheirar uma rosa vermelha
e a sorrir...

Sinto-me a planar
no significado
das tuas palavras
... uma a uma...
declamadas num livro teu.

Sinto a intensidade
do teu beijo
... letra a letra...

Abraço o teu silêncio
e sonho
um dia encontrar o teu olhar...



Vanda Paz

Amar sem tempo



É neste afecto desmedido
que me encosto ao devaneio
e sonho o luar a beijar-me os sentidos.
Existe um horizonte
que nos separa das lágrimas.
Existe um querer
que nos junta em constelação
e nos faz brilhar a alma.
Gostava que fosses céu
e eu serra despida ao sabor do teu desejo.
Gostava de ser rio,
correr no leito do teu corpo
e amar-te sem tempo.
A foz será sempre o encontro dos teus lábios.

Vanda Paz

Suspiros voluntários!

Imagem: Antonio Caputo
**¨¨¨¨¨¨¨**


Ao chegar ao portão
Já se exala o aroma
vindo do interior da escola.

Chega de mansinho
formando um rastro...
de fumaça branquinha
brincando com o vento
Em forma de espiral.

Suave sensação... Sensacional!
Sentir os sonhos suspirando
suspiros de amor.
Doce encontro previsto.

Deliciosa sensação!
Crocante por fora:
Crec, crec, crec...
ao contato com os lábios...

Macio por dentro:
derrete todo
Hum!
 ao contato quente da língua.

Explosão de prazer.

Ah! Sensação suspirante...
Whow! Uf!
Decorados amorosamente,
por mãos voluntárias,
trazendo encanto
ao coração da gente.

Olhares curiosos...
Atentos ao passo a passo
Que vira obra de arte.
Doce sensação de alegria.

E lá fora esperando...
Ansioso e apressado,
O menino pergunta:
Já está pronto?

Ah! Suspiros voluntários!

Sueli Rodrigues

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Forte brisa


Meu amor é forte
Qual escultura de concreto
É reto.
Caminha léguas
Transpõe montanhas
Navega mares
É erva de raiz forte
Nunca reconhece a morte.

Meu amor é brisa
Leve tal qual pluma rara
É livre.
Flutua suavemente
Baile de borboletas
Revoada de andorinhas
É todo ele harmonia
Minha mais lúcida fantasia.

Luciana Silveira

Noturno


Genial!
Abrir a janela,
contemplar o céu
e
ao ver a primeira estrela da noite
pensar que é você lá
a me vigiar,
querendo apenas amor...

O dia começa lindo!
Feito o abrir de uma apaixonante carta...
Corações, em festa, saltam felizes
brindando o amanhecer
de um dia feliz!
Bom Dia!

Sueli Rodrigues

Pleno de amor


Felipa Florença
Quero realizar as tuas fantasias...
amar-te ao céu aberto
abraçar-te forte
deitados na areia, à dança dos corpos;
beijar a tua boca
descer pela tua pele numa gula deliciosa.

Quero os teus mais ardentes desejos…
sentir teu gosto
a tua boca a sugar-me o corpo.
Quero a minha voz a sussurrar-te ao ouvido
causando-te arrepios
provocando prazer, brilhando nos olhos!
Só nos teus braços sou mulher
Venha, entrega-te a mim,
quero levar-te à plena loucura!

Felipa Florença
 em participação especial


Tudo bem Zé?
Abraço
da Felipa Florença!

Felipa querida
Que saudades!
Feliz com o teu contacto.
Beijo do ZÉ

Ilusões


Foi no brilho
dos teus olhos
que vi
o meu sorriso.
Foi no sal
das tuas lágrimas
que senti
o teu calor.
Foi no ilusionismo
das tuas mãos
que me senti tua...
Ilusões
de uma vida
feita de sonhos...

Vanda Paz

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

O teu mundo


Encosto-me
nesta penumbra do vácuo
onde me perco
no sabor agridoce das horas.

Questiono os sonhos
as vozes dos homens
o teu oculto pensar
que me faz inquietar
as veias mornas.

Desço devagar
ao encontro do teu olhar
nesse mundo enclausurado
onde não deixas brechas
para ninguém entrar…

Enrosco-me mais um pouco
busco no silêncio
fios diáfanos de luz…

Estendo as mãos
penteio a seda negra dos teus cabelos
trago ao peito o teu corpo,
aninho-te no colo
…tu deixas!
Qual criança indefesa
no leito materno.

Apago o pensamento
bebo contigo os soluços
desse teu mundo
onde só eu te vejo!

Ana Coelho


Relembrando: GRACI e ZÉ uma Amizade para a eternidade


Poesia com emoções: Relembrando: GRACI e ZÉ uma Amizade para a eternidade:



Nostalgia


Cada dia que nasce
a nostalgia percorre
teu corpo e alma
e fica dentro do teu coração!

Vives com olhar distante
vindo até mim,
olhas-me em imagens,
nas palavras e pausas...

O olhar se aproximou,
beijas os poemas,
sentes o perfume romântico
de cada um
- viveste dentro deles –
queres evitar de reler e reviver,
mas não consegues,
a nostalgia vive em ti!

José Manuel Brazão

Sabor a nada ou menos disso


Hebao, na China, by Gonçalo Lobo Pinheiro.

 Valem os versos de apoio
entre outros de contestação
nas vozes de teor “saloio”
e nos enredos da contenção
riscam deslizes sucessivos
e sugando os mais carentes
exultam votos expressivos
sempre dos mesmos clientes
filtram virtudes esquecidas
na selva da incongruência
das belas imagens perdidas
retornam sempre à saliência
de muitas teses mal paridas
pelos restos da penitência


 António MR Martins

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Saudade


Suspiro saindo agonia,
                                   grito oculto fome
                                                        vontades, desejos saudade subindo,
                                                                galgando gemidos,
marcando sentidos,
 umbigo, pele, amor descendo,
                                     incandescente,
                                                                    o dia é frio, a noite é quente
                                                                                           sorvendo limites,
                                                                   a boca saliva na lingua os dentes,
  a taça de vinho,
o fogo indecente,
que queima a distância,
 que mata arrogância,
a sede de amar,
  inconsciente, 
                            você não sente,
                                                          seu corpo é um rio
                                                                                 que vem pro meu mar.


Sandra Freitas

Um sonho de Nelson Mandela


''Sonho com o dia em que todos levantar-se-ão e compreenderão que foram feitos para viverem como irmãos.''

Nelson Mandela


Uma história de amor

Numa cidadezinha muito distante da civilização, existia um casal muito apaixonado. Porém, ambos não sabiam dos seus reais sentimentos.

A história que relato envolve uma moça de 15 anos e um rapaz de 23 anos. Este relacionamento era uma história de amor eterno, mas não foi assim que procedeu. O término foi inevitável.

Ambos eram diferentes, mas se amavam. A moça era apaixonada pelo rapaz e pelos seus estudos, muitos diziam que ela não daria nada na vida. O rapaz só pensava no trabalho e amigos, deixando de lado a sua romântica e poetisa namorada.

O tempo passou e com ele surgiram os primeiros desentendimentos, maneiras diferentes de pensar e agir, as brigas se tornaram constantes. As diferenças entre eles se tornaram visíveis e foi onde os dois acabaram terminando uma história que poderia ter dado certo.

Os anos seguiram e a moça jamais conseguiu esquecer do seu grande amor e tentou várias formas uma aproximação, mas não foi bem-sucedida.

O rapaz por sua vez, não fez nada para impedi-la de ir embora e veio a procurá-la depois de muitos anos.

O reencontro foi arrebatador, a moça se tornou uma bela mulher de 25 anos, amadurecida, inteligente e guerreira. O amor que ela sentiu por aquele rapaz manteve em silêncio em seu coração.

O rapaz se tornou um homem frustrado na vida amorosa, pois ele jamais entendeu o término desta relação. E hoje, vivem intensamente cada momento, cada encontro casual. Ele jamais perdeu as esperanças de um dia reconquistar a sua amada.


(...) Esta história é baseada em fatos reais e por fim, não existe um final concreto no momento.
Graciele Gessner.

Teus lábios


Era só o reencontro do teu olhar
talvez um beijo, um sorriso, um abraço.

Era só o tempo
de uma conversa por terminar,
e o movimento embriagante …dos teus lábios.

Foi só um toque das tuas mãos.
O calor intenso em carne fria das longas madrugadas,
o cumprir de um sonho… e os teus lábios.

Foi o encurtar do espaço, o jogo das bocas,
em beijos vigorosos e línguas ansiosas.
Um atear de sentidos, e novamente… os teus lábios.

Depois,
o mergulhar intenso numa ondulação inquietante
numa combinação perfeita entre os corpos já maduros,
e ainda, freneticamente …os teus lábios.

Num acumular de voluptuosos desejos,
houve a perda de qualquer razão
pela loucura incontrolável… dos teus lábios.

Foram os murmúrios, os espasmos, o prazer
o chegar ao areal para descanso das almas,

e depois, 
e ainda

os teus lábios.

Vanda Paz


terça-feira, 20 de novembro de 2012

Taça de vinho


Espantosa a
Angústia do teu silencio gritante no
eco destas paredes
Vejo fantasmas rodopiando, dando risadas,
Enquanto luzes pálidas...
Transpõem
Trazendo-me a tua imagem por entre
as janelas semi- abertas!

Hoje a desesperança entorpece o que fora
A felicidade de ontem...
Que guardo no meu coração...
- Éramos felizes -
Tu partiste... Peço à magia da brisa
Que te traga de volta pra mim...

Tudo que anseio é uma taça de vinho
Agitam-se submisso os sentires
Mas só quero erguer esta taça e brindar
ao meu amor por ti que nunca termina!
Celina vasques

Que tenha força a esperança


Aposto minhas esperanças no horizonte
Em mais um tempo, tempo sem vésperas
As infinitas que não trouxeram o esperado
Que não permitiram minha alma em festa
Aposto minhas esperanças no nascente
Quero acreditar no imenso futuro
"Plenitudes" que sei virão também no poente 
Aposto minhas esperanças nas confissões
Conversa em tom baixinho, bem ao pé do ouvido
Nas promessas, segredos muitos à trocar
Coisas todas que estão por vir, que sonho experimentar
Vinho para brindar, petiscos, música de fundo para encantar
Coisas simples? Não! Grandiosas que quero planejar 
Sentimentos muitos, profundos, amor que pode mudar o mundo
Aposto minhas esperanças no beijo, abraço, no conversar 
Sem a contagem regressiva do tão mirado relógio 
Carinhos muitos, sem hora marcada para acabar
Aposto minhas esperanças nos sonhos que vou realizar
Impulsos demorados de paixão, sem os escândalos
Aquelas coisas do escondido, amor que não se pode contar
Aposto minhas esperanças no sol radioso que vai me iluminar
Em poder abrir portas, descerrar as cortinas das janelas
No querer de quem em meio à tudo isso, comigo irá caminhar
Olhares eternos, íntimidade ofertada, inflexões confirmadas
Aposto minhas esperanças no abraço frequente e quente
Gestos perscrutadores, coração em descompasso
Noites inteiras para mim reservadas, na mais doce certeza
Nisso tudo e assim, aposto minhas esperanças
Felicidade que irá se confirmar, certezas sem fim
  
Beatriz Prestes
em participação especial

 Comecei a assistir no Telecine, o filme Amantes...com Joaquim Phoenix e Gwyneth Paltrow. Um filme que trata além de qualquer coisa, do que permitimos ou não que façam com nossas vidas...
Do quanto é perigoso se iludir, acreditar (coisa que acontece com todos os personagens em suas intrincadas histórias e sentimentos).
Mas, o mais importante é que sempre existe uma esperança, luz no final do túnel...sempre! Pois no final das contas, existe gente que faz...e acontece!
A vida tem facetas demais à considerar...rs
Agradeço à este filme pela inspiração concedida!! rsrs
Beijo amigos!