Outros Blogs do meu grupo:

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Alegra meu coração!

Andei triste,
nem a voz do coração
se ouvia,
nem o seu pulsar
sentia,
apenas
o eco das tuas palavras
parecendo sonhar!

Não era sonho
mas a vida girando
em nós girando,
num despertar do coração,
que me levava a ti
e olhava para as palavras
suadas de amor
e meus olhos
fixaram um verso:
alegra meu coração!


José Manuel Brazão

Não sei


Cora Coralina
20.AGO.1889
10.SBR.1985


Não sei... se a vida é curta... Não sei... 

Não sei... se a vida é curta ou longa demais para nós. 

Mas sei que nada do que vivemos tem sentido, se não tocarmos o coração das pessoas. 
Muitas vezes basta ser: 
colo que acolhe, 
braço que envolve, 
palavra que conforta, 
silêncio que respeita, 
alegria que contagia, 
lágrima que corre, 
olhar que sacia, 
amor que promove. 

E isso não é coisa de outro mundo, é o que dá sentido à vida. 
É o que faz com que ela não seja nem curta, nem longa demais, mas que seja intensa, verdadeira e pura... enquanto durar.


Cora Coralina



Entre nossos sonhos: Anjo da noite


Entre nossos sonhos: Anjo da noite:


regina ragazzi
José Manuel Brazão

A quem um dia se teve amor

Da janela da minha Vida
olho esse mar da ilusão,
de ondas e maresia de amor,
que me lembram
esses momentos de fervor
de amor intenso
ora sonhado
ora vivido
e agora sofrido,
deixando dor
a quem um dia
se teve amor...
... hoje olhamos
as nossas imagens,
sentimos o cheiro
desse amor
e da saudade por inteiro
em nossas almas!

José Manuel Brazão

Amiga

Deixa-me ser a tua amiga, Amor,
A tua amiga só, já que não queres
Que pelo teu amor seja a melhor,
A mais triste de todas as mulheres.
Que só, de ti, me venha mágoa e dor
O que me importa a mim?! O que quiseres
É sempre um sonho bom! Seja o que for,
Bendito sejas tu por mo dizeres!
Beija-me as mãos, Amor, devagarinho ...
Como se os dois nascêssemos irmãos,
Aves cantando, ao sol, no mesmo ninho ...
Beija-mas bem! ... Que fantasia louca
Guardar assim, fechados, nestas mãos
Os beijos que sonhei prà minha boca! ...

Florbela Espanca


quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Dias melhores virão!

Olho-te fascinado
com as tuas palavras,
com sorrisos
e lágrimas…

Sinto-te
mulher de luta,
mas,
sempre um mas,
no tempo,
os dias não são iguais,
e tu
nuns sentes-te só
e correm imagens mentais,
passam por ti
pessoas e páras em mim:

Sorris, choras,
vês meus abraços abertos,
vens para mim,
abraço forte,
olhamo-nos,
beijamo-nos,

E digo-te
olhos nos olhos:
“dias melhores virão…”.

José Manuel Brazão


Lembrar é fácil para quem tem memória,
esquecer é difícil para quem tem coração.
(William Shakespeare)

Afectos por onde andarão?

Parecem perdidos,
por onde andarão?

Eu tenho os meus
e dou ao próximo
sem pedir nada.

Muitos
carecem deles.
Outros
sabem como dar!

Neste desencontro,
preocupo-me
com este mundo assim!

Vejo uma Luz
e agradeço:

É a esperança
dos afectos
que não me abandona,
para que haja
tolerância, compreensão,
solidariedade, compaixão.

Que as crianças
cresçam nos afectos!

Assim haverá amor!

José Manuel Brazão

Poesia com emoções: Entrego-me a ti, meu anjo menino!


Poesia com emoções: Entrego-me a ti, meu anjo menino!:

Beijo especial meu Anjo
com o amor do ZÉ
José Manuel Brazão


A verdadeira amizade mora no
coração independente de distancia.
E seguem juntos pela vida inteira.
Enfim a amizade é um sentimento
muito além do amor.
È através da minha fé
e da sua amizade.
Que encontro forças para seguir sempre
com esperança e alegria de viver.
Um abençoado final de semana.
Beijos ternos e carinhosos.
Evanir...Paz.. 

Poesia com emoções: Menino sem idade! (Lição de Vida por Alice Barros)


Poesia com emoções: Menino sem idade! (Lição de Vida por Alice Barros):


Um dos momentos mais belos que senti como Homem e Poeta!


José Manuel Brazão

Mar imenso

Olho para o mar,
perco o horizonte!

Mar imenso
que nos distancia,
mas não nos afasta!

Nosso amor
conhece o mar,
navega nele
todos os dias
da nossa vida!

Não haverá
naufrágio
e chegará a bonança,
as águas acalmarão,
e o meu coração,
liberto da tempestade,
esperará com esperança,
o dia
em que o mar imenso
nos aproximará,
para sempre,
para sempre, meu amor!

José Manuel Brazão



*************

Olhando o mar me perdi
Diante de sua imensidão
Mais profundamente
Posso ver além
E me encontro em ti
Este mesmo mar que separa nos une
Salgadas e densas como ele
São minhas lágrimas de saudade
Mas nosso barco é leve e belo
E o nosso amor,
Ainda mais imenso que esse mar
Que apenas pensa nos separar.

Luciana Silveira

Poesia com emoções: Não entendo!


Poesia com emoções: Não entendo!:


Graciele Gessner
José Manuel Brazão

Ilha de Luanda

Os raios crescem pela areia
Parecem raízes
A escorrer ao final da tarde
Que se encostam
Provocando os coqueiros
E as mãos que se entrelaçam
Sonhando com a longevidade dos Embondeiros


Pára o suspiro, o pensamento


Pára tudo naquele momento


O brilho do sol deita-se suave
Pelo mar que se aconchega
Nos lençóis da noite que chega

A terra pulsa vida
Soltam-se os sonhos
Estremece-me o corpo
Cala-se a tristeza apetecida

Pára o suspiro, o pensamento.

Vanda Paz



http://nocaminhodasemocoes.blogspot.com/2011/09/livro-dedos-acesos-de-vanda-paz_25.html

No último alento

A vida ensina duramente a cada
passo infalso na caminhada
e é tudo controlado pelo invisivel,
a força cósmica...
o Mundo é uma roda gigante que
gira..gira..gira...

hoje tu estás no cume da montanha
e eu preciso de ti,
mas amanhã, quem sabe, talvez és tu
quem precisará de mim...
quem sabe aliviar a queda...
pois ela vem vertiginosa...
ferindo...
estraçalhando...deixando marcas...

Sentada na beira da estrada da vida
na minha solidão
observo o vazio dos sonhos que nutri e
os quais nunca realizei...
muitas coisas na minha vida aprendi...
muitas lágrimas derramei...
meu coração partiu-se muitas vezes
em fragmentos e sangrou

A verdade da vida me ensinou
outras o tempo duramente me fez esquecer...
Não penses que poderás ferir, enganar,
mentir, destruir
sem que a justiça do sobrenatural
caía sobre ti...

Temeis...não serão perdoados os ultrajes
o flagelo , a vergonha a tortura
de uma alma inocente
que nunca fez mal a ti...e eu
sem medo no fim do caminho
apenas calçada pela fé encontrarei o meu "eu"

E no fim não importarão as privações,
as humilhações
as lagrimas derramadas desde que
cada passo dado tenha sido consciente
um passo certo...
no meu ultimo alento... serei
verdadeiramente eu! 

Celina Vasques

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

O meu grande sonho

Na adolescência
O meu grande sonho
Nunca foi casar
Ter uma grande festa,
não tenho alma de princesa


Quando me deitava a sonhar
Queria muito ser mãe
...Ter alguém nos meus braços
Para embalar...
O bebé, a criança
sempre me encantou
Adoro a sua sinceridade
O poder de brincar
A naturalidade
Sem maldade
Os cristalinos olhos que nos falam
No Choro
No sorriso
No palrar
Que só nos vai encantar
Ser mãe é tanto
É tudo
É tão bom!
Uma enorme sensibilidade
Um enorme poder de criar
Quando se sente dentro de nós um corpo
Tanto nos faz levitar
Amar
É tão nosso


O meu grande sonho
Foi triplicado
Agradeço
Não me posso queixar.

Cristina Moita

Querida Cristina
Gostei muito deste poema.
Acho dos mais belos
que escreveste.
Hoje estou a republicá-lo!
Flores para ti e teus filhos.

A nostalgia em que vives...

Cada dia que nasce
a nostalgia percorre
teu corpo e alma
e fica dentro do teu coração!
Vives com olhar distante
vindo até mim,
olhas-me em imagens,
nas palavras e pausas...
O olhar se aproximou
beijas os poemas,
sentes o perfume romântico
de cada um
- viveste dentro deles –
queres evitar de reler e reviver,
mas não consegues,
a nostalgia viverá em ti!

José Manuel Brazão

Eras a menina do mar

Olhando o mar
contemplo a calmaria
que transmite ao meu olhar
e a força das suas ondas
num vai-vem constante!

E nesse instante
vejo a tua imagem
de mulher que me dá
serenidade,
gestos de carinho,
de gratidão
e com isso recebo
a força bastante
para continuar este caminho
até ao sorriso final...

... deixei de te ver...
sem saber dessa imagem
numa vida sonhada
e procurei-te no silêncio,
estás diferente
sem a imagem do passado,
agora insegura, sem rumo;
já não vais ao mar,
perdeste a paixão,
que abraçavas com fervor
no fundo desse coração,
que já não pulsa,
já nada te importa,
nem as ondas
num vai-vem constante,
onde te encontrei
como uma sereia do amor!

José Manuel Brazão



LUZ disse...
Olá Zé,

Belo poema!
Ainda bem, que o verbo é usado no Pretérito Imperfeito do Indicativo.
Parabéns!
Acordamos, sempre, a tempo.

Beijos de luz.

No caminho das emoções: Amar você


No caminho das emoções: Amar você:

'Nanda Costa
José Manuel Brazão

terça-feira, 27 de setembro de 2011

EU e as minhas Poetas

Foram tantos
e tantos poemas,
poemas de amor
que te fiz!

Tu e eu
nascemos para a Poesia,
para encantar os outros,
alimentando as suas almas!

Quantas vezes
sofríamos nas nossas Vidas
e a inspiração,
superava tudo isso!

Os poemas que te fiz,
sentidos pela voz do coração,
derramaram amor,
muito amor,
que te comoveram
e davam forças
para sair de ti
Um outro poema,
suave,
expressivo,
emocionante,
iluminando
quem o lesse!

Dos poemas que te fiz,
ficam os sentimentos,
nas palavras
que o Poeta não renega
e guarda em seu coração!

José Manuel Brazão

* Dedico às Poetas minhas parceiras fixas em duplas de poemas: Graciele Gessner, Luciana Silveira, Regina Ragazzi e Sandra Freitas *

Entre nossos sonhos: Deixemos amanhecer

Entre nossos sonhos: Deixemos amanhecer:


regina ragazzi
José Manuel Brazão

Refletindo

Tenho visto beleza em coisas tão pequenas
que antes passavam despercebidas aos meus olhos
Talvez por isso, hoje me sinta mais plena, mais feliz,
alma leve, coração calmo ...
Todas as reflexões que tenho feito sobre a vida,
sobre mim
têm me deixado num estado de paz e alegria
Busco o equilíbrio das minhas emoções,
dos meus sentimentos
E só estou conseguindo isso porque parei
de ter pressa
Minha dualidade é um desafio, mas não um obstáculo
para que eu chegue onde quero chegar

Viver é algo mágico...

regina ragazzi


Regi
Nem imaginas quanto importante é este teu poema! Foi uma reflexão para ti, mas é para todos nós!
Hoje em dia as pessoas têm grande ansiedade de atingir objectivos e não olham - muitas vezes - a forma e os meios dos conquistar. Sendo fácil e sem luta se se dá o negativo a queda é maior. Na Vida atentos e prudentes.
Beijoo do ZÉ

Liderança e submissão

Fiz
do meu silêncio
um slogan
para amenizar
a consternação
que aflige a humanidade

Fiz
do meu protesto
uma enciclopédia
condenando
os que usam
o nome da democracia
para promover genocídios

Napoleão Bonaparte
primeiro anti-cristo
Adolfo Hitler
segundo anti-cristo
Átila
até poderia ser o terceiro
por ter sido o paradigma
da crueldade e da rapina
mas não;
haverá ainda o terceiro anti-cristo
pressupões-se que terá a alma incorporada
aos três sanguinários da história da humanidade
já supra citados.

Fiz
do meu discurso inflamável
um protesto
contra os ditadores,
tiranos, retrógrados

são na verdade psicopatas
e usam da liderança
para proveitos encíclicos e egocêntricos

Porque
a humanidade precisa
sempre e sempre e sempre
de um líder?
se até então houve decepção
mas, o maior líder não precisa de votos
o maior líder não vive a fazer guerras
e sim promover a paz

Até quando
vamos ter como
submissão o voto
pela obrigatoriedade?

Não é preciso ser ateísta
para estar distante de Deus
Caetano Veloso
num acerta canção diz:
"Quem foi ateu
e viu milagres como eu"

Quando ocorrem
fenômenos sobrenaturais
ficamos se questionando
- de onde vem tanta força?
o que a ciência explica
já está nos planos de Deus

Enfim
a matéria é putrefaz
e os espíritos imunes a ela
que bom
que Deus seja uma energia
que não podemos vê-lo
mas podemos tocá-lo.

Luiz Mário da Costa
Poeta e Amigo em participação especial





Mário um belo texto para reler e relembrar. Em minha opinião do melhor que te li.
 Abraço do ZÉ

Sinto a leveza da tua Alma

Sinto a leveza da tua alma
percorrer meu corpo
deixando em mim
a calmaria, a sensação
de paz interior
que me dá força necessária
para lutar contra os desvarios da vida
que me atormentam sem explicação.

Continua dentro de mim
numa vivência comum
de puro amor
de um amor sem limites!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Entre nossos sonhos: Vivendo


Entre nossos sonhos: Vivendo:
regina ragazzi

Entre nossos sonhos: Corações teimosos



Entre nossos sonhos: Corações teimosos:


José Manuel Brazão

Vejo a luz do Sol!

Tanto pedi,
que Ele ouviu;
o que era uma tormenta,
passou a serenidade.
Precisei de tempestade,
para ver a luz do Sol,
como há muito não via!

Só os desencontros
nos levam aos encontros:
connosco!

Quero a essência do amor,
para os que me amam,
os que se aproximem,
de mim...

Não quero confusões,
apenas Amor
e tudo, mas tudo,
que me faça viver,
com alegria a vida,
vendo a luz do Sol,
com Verdade...

José Manuel Brazão



*Como é bom vivermos e convivermos com aqueles que escolhemos para estarem na nossa Vida!

Oração de todo o dia

Amar é não morrer, que a entrega de si mesmo não significa a morte, faze com que eu sinta uma alegria modesta e diária, faze com que eu não te indague demais, porque a resposta seria tão misteriosa quanto a pergunta, faze com que me lembre de que também não há explicação "Alivia a minha alma, faze com que eu sinta que tua mão está dada à minha, faze com que eu sinta que a morte não existe porque na verdade já estamos na eternidade, faze com que eu sinta que não há explicação porque um filho quer o beijo de sua mãe e no entanto ele quer e no entanto o beijo é perfeito, faze com que eu receba o mundo sem receio, pois para esse mundo incompreensível eu fui criada e eu mesma também incompreensível, então é que há uma conexão entre esse mistério do mundo e o nosso, mas essa conexão não é clara para nós enquanto quisermos entendê-la, abençoa-me para que eu viva com alegria o pão que eu como, o sono que durmo, faze com que eu tenha caridade por mim mesma, pois senão não poderei sentir que Deus me amou, faze com que eu perca o pudor de desejar que na hora de minha morte haja uma mão humana amada para apertar a minha, amém."

Clarice Lispector

Dia de domingo

Não há lugar para espinhos
Nos dias de domingo
Acordo junto com o nascer do sol
E logo me sinto envolvida
Pela paisagem mágica e acolhedora
Cheia de luzes, aromas e cores

Nasce o dia e eu renasço com ele
Com o coração cheio de vida e calor
E minh’ alma transbordando alegria
Estou viva!! Sem feridas, sem dor
Volto a ser a menina sonhadora
A borboboleta, o anjo, a flor...

O silêncio e a solidão nesse momento
Me trazem uma paz que me acalma e conforta
E tudo o mais fica tão pequeno
Diante dessa imensidão de emoções e sentimentos
Que é impossível não dizer que estou feliz...

regina ragazzi

domingo, 25 de setembro de 2011

Entre nossos sonhos: Regina Ragazzi: a Mulher e a Poeta


Entre nossos sonhos: Regina Ragazzi: a Mulher e a Poeta:


Nivaldo Ferreira
Poeta em participação especial

Poesia com emoções: Nasce o dia e eu renasço com ele


Poesia com emoções: Nasce o dia e eu renasço com ele:


regina ragazzi
José Manuel Brazão

Livro "DEDOS ACESOS" de Vanda Paz


Agora é que é
Conto com todos no dia 1 de Outubro às 16horas no Museu do Vinho Bairrada em Anadia
Abraço
Vanda Paz

Sim querida Amiga,
agora é mais um sucesso!
Beijo grande
do ZÉ

Lançamento do livro de poesia "Falua da Saudade" de Cristina Pinheiro Moita



"A Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira, a editora Lua de Marfim e a autora Cristina Pinheiro Moita têm o grato prazer de convidar V. Ex.ª a estar presente no lançamento do livro, "Falua da Saudade".

O evento terá lugar dia 2 de Outubro de 2011, pelas 15h00 no Auditório da Junta de Freguesia de Vila Franca de Xira, Rua Dr. Vasco Moniz, nº 27/29 - 2600-273 Vila Franca de Xira.

Obra e autora serão apresentadas pela Escritora Maria João Cantinho.

Contará com momentos musicais por Marcelo Costa.

Cristina


este teu Amigo
deseja-te muito sucesso!

Beijo com carinho
do ZÉ



Primavera em flor

Breve e ilusória alegria
Fazendo sorrir meus olhos de primavera
Flor já enraizada em meu jardim
Perfume que me chega trazido pela brisa


Breve e ilusória alegria
Fazendo chorar meu olhar de infinito
Flor perdida no horizonte
Pétalas que minhas mãos já não conseguem tocar


Breve... tão breve e ilusória alegria
Flor que me inspira
Flor que morre e nasce em meu peito
Todos os dias...

Regina Ragazzi


[....]


Primaveras passadas
com flores e amor,
neste jardim do meu encanto,
que é a Vida por mim vivida,
não olhando para trás
com saudosismo,
mas caminhando
com a ansiedade
desse futuro que me espera!

Primaveras passadas
com alegrias e tristezas
necessárias
ao meu viver autêntico
e que fez de mim quem sou!
Um homem
que ama a Vida
e todos os que passem
pela minha existência na Terra!

Primaveras passadas
com pensamento constante
de Paz, Harmonia e Amor!

José Manuel Brazão



Diante do teu olhar

Não, não perderei
diante do teu olhar
os pensamentos
que despertam
os meus sentimentos
de dar-te o Sol e a Lua
provocando paixão
e irradiando amor
nesta alegria de viver
por ti e para ti!

José Manuel Brazão

sábado, 24 de setembro de 2011

Ciclos da Vida

Num certo momento da vida ouvi que a vida passa por transformação a cada sete anos. Apesar de algumas crenças populares, eu acredito que a vida é feita de ciclos, de comprometimentos, de metas.

Todo ciclo que chega ao fim estabelece um novo início do ciclo. Recomeçar é necessário. E, como encaramos a vida? Temos um papel importante em cada ciclo, na vida de cada pessoa, em cada jornada percorrida.

O que é a vida? O que são os ciclos? A vida exige determinação e vontade para vencer. A caminhada pode ser longa, mas todos nós estamos preparados para enfrentar cada ciclo, cada situação inesperada.

A vida pode ser misteriosa, e nos ensina que devemos simplesmente vivê-la, traçando metas reais. Nada é igual para ninguém. Os ciclos mudam constantemente.

É preciso reencontrar a felicidade. É preciso deixar amargos dissabores esquecidos no passado. É preciso sonhar novos sonhos. É preciso aprender que só vencemos quando estabelecemos objetivos na vida, quando damos uma oportunidade. Somente a superação, a determinação e a disciplina farão a diferença na vida de um vencedor.

Ciclos são etapas, que devem ser avaliados a cada instante, como também devem ser eliminados da vida caso não estejam agregando nada. Para então, dar um novo início...

Ninguém é obrigado ficar amarrado a algo, nada faz sentido. Nada que tivemos ou temos é necessário, simples assim. A vida é feita de novos ciclos, e os antigos ciclos devem ter os seus términos. O que passou virou cinzas, não faz mais sentido no presente.

Lembre-se, a vida é feita de momentos, começo e fim. Quando chegar ao fim, não se entristeça; mas alegre-se que um novo ciclo te aguarda.

Graciele Gessner.

Desejo deitar na tua noite...

Eu queria dançar em volta dos meus silêncios
Dançar no verso, emoldurando retratos que olhos não se cansam de ver
Dançar os pensamentos numa melodia que vai além alma,
Num toque suave de embalos que se unem com a transmissão de olhares.
Dançar os dedos num tocar de mãos
Dançar os lábios num tocar de pele
E pausar a canção...
E depois de toda dança, depois de toda melodia
Desejar deitar na tua noite
E não desejar chegar o dia...

Marcia Grossi
Poeta e Amiga em participação especial
Marcia dantes esgotavam-se os vocábulos para te comentar o que acabava de te ler. Presentemente continuo assim e apenas digo-te: encanto, muito encanto!



Beijooo do ZÉ

Promessa

Os olhos fecham-se
A viagem recomeça
Aquele beijo guardado
Ainda não dado
Ilumina a mente
Promessa de felicidade
Abandono-me na cidade
E plena de liberdade
Vou ao encontro teu
Quisera realizar
A quimera de te amar
E de novo me encontrar.

Luciana Silveira

As flores que vieram do nosso antigo Blog.


LU
Quando reapareces
e te leio, valeu a pena!

Beijo do ZÉ

*Sopro da Alma*

Sopra e voa de mim a alma,
Que insiste em balançar nos ventos de cores,
Que bebe com os amores,
De lembranças que ficaram de passar,
Por onde esse vento quer dançar.

Balanço nessa dança,
Ao som da música fúnebre da dor,
Que vai num adeus e num temor,
De não mais voltar…
De não encontrar aqui nesta alma mais lugar…

Balanço nessa dança,
Que abraça a melodia assobiada,
Pela Pomba branca salgada,
Trazendo para minha alma o doce amar,
A brisa perfumada pelo cheiro de mar.

Sopra e voa de mim a alma,
Que solta gargalhadas na minha memória,
Onde saltava e pulava noutra história,
Que guardo e revivo a dançar,
Por lembranças de aromas e de mar…

Marlene Carneiro