Outros Blogs do meu grupo:

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Surge a nova Mulher...

A razão ao buscar a sua verdade
É persuasiva e não imperativa
No diálogo sem som do pensamento
De si para consigo
Na reflexão.

E, quando a tensão provocada
Por uma forte emoção
Ocasiona uma queda livre
Dentro de si mesma
Um mergulho no íntimo
Surge uma reação
Da oportuna razão.

A nova Mulher
Antes, afetada e sofrida
Surge cantando seu fado.

Tremo sinto calafrios
Mas, venci derrotei o vazio.

Fui exilada
Não me importa mais
Desisti transgredi
Reagi não me submeti.

Matei de um só golpe
A inferioridade e a carência
Que tinham plantado
Em mim.

Em tempo algum
Nenhum ato ou sentimento
Deve ser maior
Que nossa liberdade
Nosso amor próprio.

Nenhum efeito
Deve ser maior
Que aquilo que o causou.

Libertei-me sou outra
Renasci no ato da revolta.

Quando perguntarem
Direi que não existo mais
Alforriei-me sou livre
Me amo me respeito.

Tornei-me uma alma
Iluminada corajosa feliz
A noite de outrora acabou.

O presente (agora) me diz
Que aquela mulher sofrida
Escrava das circunstâncias
Se foi... desvaneceu-se.

O amanhã rege meu hoje
Sou dona da minha vida
Cúmplice do meu destino.

(sou a nova Mulher...)


ALICE LUCONI NASSIF

em participação especial


DEDICADO ÀS MULHERES QUE RACIOCINAM E REFLETEM - AMAM A SI MESMAS E AOS SEUS SEMELHANTES.






Sem comentários: