Outros Blogs do meu grupo:

domingo, 8 de abril de 2012

Histórias de Coelhinho


Há algumas horas minha mãe passou a mão nas lembranças e lançou o comentário diante da pia das louças do jantar: "Quando vocês (eu e meus irmãos) eram pequenos, a gente fazia a brincadeira de que o coelhinho trazia os ovos de chocolate e colocava debaixo da cama. Lembra?"

"Eu me lembro", eu emendei, com toda a ternura da lembrança de me abaixar para procurar o coelhinho antes que ele pudesse ter fugido, e em seguida constatar com tristeza que o reflexo eufórico do meu movimento curioso não tinha sido eufórico o suficiente para flagrá-lo; como se na verdade eu estivesse me assistindo e não somente vivendo o momento. "Eu sempre olhava debaixo da cama, tentando vê-lo deixando os ovos de Páscoa".

Meus cabelos curtinhos, minhas mãos curtinhas, meus braços curtinhos, meus pequenos pezinhos, e uma grande, grande vontade de ver o coelhinho! O lençol branco da cama que ficava a uns 10 centímetros de tocar o chão e deixava a luz passar por debaixo um pouquinho... Eu o erguia num impulso e abaixava a cabeça bem rapidinho, meus cabelinhos esvoaçavam e eu nem tinha que me curvar tanto, com uns quatro ou cinco aninhos somente... Luz branquinha iluminando o piso de taco, mostrando a parede branca do outro lado iluminada pela luz da janela, e que me fazia acreditar que me mostraria o coelhinho, que eu ia mesmo  vê-lo. Um coelhinho branco, que eu só queria mesmo poder acariciar.

"Naquele tempo, não tinha maldade. E as pessoas não achavam isso uma coisa ruim, nem criticavam", minha mãe comentou enquanto eu ainda assistia a lembrança no cinema da mente.

E com um suspiro desapontado estava legendava a cena. Ia ter que ficar pro outro ano, de novo, eu encontrar o coelhinho. Mas ele não perdia por esperar pelo ano seguinte! Eu tinha certeza que na Páscoa seguinte eu é que ia surpreendê-lo.

Mas foi mesmo o contrário. Além dos Ovos de Chocolate tão gostosos, o coelhinho também foi me trazendo poesia em pozinho de pirlimpimpim, e só agora, anos mais tarde, eu pude ver como as histórias inocentes como a do coelhinho fizeram bem para mim.

---

Pelo dia de Páscoa, meus cumprimentos a todos! Alegria, paz, e muitos chocolates pra quem pode comer, rsssssss.

Jacqueline Collodo Gomes


1 comentário:

Evanir disse...

Páscoa é ajudar mais gente a ser gente,
é viver em constante libertação, é crer na vida que vence a morte.
Páscoa é renascimento, é recomeço,
é uma nova chance pra gente melhorar as coisas que não gostamos em nós.
Para sermos mais felizes por conhecermos a nós mesmos mais um pouquinho
e vermos que hoje somos melhores do que fomos ontem.
Uma Pascoa Abençoado com carinho.
Evanir..