Outros Blogs do meu grupo:

sábado, 21 de maio de 2011

O que alguém escreveu sobre mim!



Encontramo-nos nas emoções fortes desta alentejana. Sentimos o ardor, a temeridade, a angústia esculpidas pelas suas palavras. Vibramos com a sua natureza 
descontente, de menina-moça-mulher, que faz com os temores por si sentidos sejam os nossos, transmutando as tristezas e as alegrias naquelas que se encontram dentro de nós. Há palavras que nos fazem encontrar com aqueles que deixámos ou perdemos, que nos fazem sonhar com aquilo que fomos ou que poderiamos ter sido.
Sentimos toda essa dor, a saudade, a angústia, mas também a alegria, e um renascer nas palavras de Maria. Cada linha, cada verso, cada poema é uma ode ao passado,às nossas origens, tocando-nos numa comunhão universal,fazendo-nos reviver todos os momentos que guiaram o nosso percurso. São gritos de angústia, de dor e de perda, mas também de comunhão e de reencontro.
Encontrar a poesia de Maria Valadas encontrar a nossa própria existência, encontrar fragmentos e retalhos das nossas memórias, os momentos inesquecíveis que nos
transformaram. As suas palavras esboçam telas de lugares e emoções, e cada viagem neste imaginário í­ntimo, é memorável, tocando-nos no mais recôndito âmago. 
Como diz Maria: " Sinto a necessidade de experimentar/ De escolher e saborear tudo", convidando-nos para a acompanhar na viagem da sua alma e percorrer os caminhos que nos levam à  nossa descoberta."



( Prefácio do meu livro, COLECTÃNEA I... escrito pela minha sobrinha MªAlexandra Bule Valadas).

Sem comentários: