Outros Blogs do meu grupo:

quarta-feira, 18 de maio de 2011

És um Homem feito poema!


Poesia,
fascínio e magia!

Como te adoro
e serás eterna,
no meu escrever
e no meu viver!

Poemas
que afastaram
os meus dilemas,
renovaram
a minha alma,
confirmaram
o meu amor
e já não passo
sem ti:
Poesia!

Neste amor
pelo mundo da Poesia,
sinto e dizem-me,
és um homem feito poema!

José Manuel Brazão

Dedicado aos Poetas e em especial a Maria Valadas
Que me chamou “És um homem feito poema”.



"..O Problema da Sinceridade do Poeta

O poeta superior diz o que efectivamente sente. O poeta médio diz o que decide sentir. O poeta inferior diz o que julga que deve sentir. Nada disto tem que ver com a sinceridade. Em primeiro lugar, ninguém sabe o que verdadeiramente sente: é possível sentirmos alívio com a morte de alguém querido, e julgar que estamos sentindo pena, porque é isso que se deve sentir nessas ocasiões. A maioria da gente sente convencionalmente, embora com a maior sinceridade humana; o que não sente é com qualquer espécie ou grau de sinceridade intelectual, e essa é que importa no poeta. Tanto assim é que não creio que haja, em toda a já longa história da Poesia, mais que uns quatro ou cinco poetas, que dissessem o que verdadeiramente, e não só efectivamente, sentiam. Há alguns, muito grandes, que nunca o disseram, que foram sempre incapazes de o dizer. Quando muito há, em certos poetas, momentos em que dizem o que sentem. .."

Fernando pessoa.

Sem comentários: