Outros Blogs do meu grupo:

domingo, 31 de outubro de 2010

Rosa das rosas




Se eu pudesse …
vestia o teu corpo
de rosas vermelhas!
Olhava-te,
seduzia-te …

Ao meu redor,
exalava do teu corpo,
o aroma das rosas.

Desse corpo
de incontida paixão,
tirei uma a uma,
cada rosa vermelha.

Teu corpo ficou belo,
muito belo …
sofri,
perante o meu oásis!!!

José Manuel Brazão

Cada rosa com que enfeitaste meu corpo
De botões desabrocharam-se em flor
E são milhares de botões
Caindo em pétalas de diversos matizes
Todos eles em tons de vermelho-paixão
Lembrando-me cheiros do nosso amor
Forte, intenso e lascivo
Eternizados na beleza e na cor
Comemos cada pedaço dessa maçã-do-amor
Reminiscências de cada momento vivido
E nosso sofrer pela distância
Torna-se belo e calmo
Diante da grandeza do oásis almejado.

Luciana Silveira

Esse teu olhar





Admiro o teu olhar.
fixo os meus olhos
nos teus…
pensas na vida.
nos sonhos que te invadem,
nas ilusões que tiveste,
nos dramas que esqueceste.

Os teus olhos
procuram os meus gestos,
a minha alegria de viver,
os meus mimos …

Sorris
e os lábios mexem,
com palavras de encanto,
tornando-os sensuais,
desejados
por um amor sonhado,
por um amor contido.

José Manuel Brazão

sábado, 30 de outubro de 2010

Chovem teus olhos fechados


Hoje subi aos céus,
águia de asas empenadas
pelo tempo da espera.
Hoje, porque chovia
a tua imagem no meu peito.

Cruzei-me com os ventos
que traziam os nossos momentos,
nos braços,
crianças órfãs
de duas aves que não têm chão
onde poisar.
Cruzei-me com os desejos
que ficaram no ar enquanto te lia.
Cruzei-me com o calor,
que recordava,
do teu corpo enquanto poesia.

Hoje subi aos céus
de peito aberto para amar,
numa esperança, um tanto louca…
….de te encontrar.



Chove a chuva, chove o desejo, chove o tempo…
... chovem teus olhos fechados, no meu pensamento

Vanda Paz

Tsunami



Quantas lágrimas pode segurar o oceano?
Quais os livros de história
Não te dizer é que
O Oceano Índico formou
Por milhares de anos
Das lágrimas que fluíam de
Os pescadores da ilha de Sumatra.
Sua dor era insuportável.
Sua pobreza era imensurável.
Pouco para comer, pouco para o desgaste,
Pouco a aprender, muito pouco trabalho.
Abandonado e abandonado
Profundamente dentro de seus corações partidos em silêncio
Um eco foi ouvido, a terra tremeu pouco -
Como ele não podia mais segurar as lágrimas.

Dezenas de milhares de lágrimas transbordaram
ondas mortais, caindo em terra
Varrendo a sua dor para fora sob
Seus tapetes esfarrapados do empobrecimento -
Saída para as páginas dos jornais em todo o mundo.
Finalmente, o mundo tomou conhecimento de suas lágrimas:
Eles enviaram pacotes de cuidado da alimentação, vestuário, habitação, escolas e dinheiro.
Eles enviaram pacotes de cuidado da compaixão, da misericórdia, tolerância e amor.
As lágrimas do pescador trouxe nova vida a dezenas de milhares de dor.
Salgado, salgados, água do mar, as lágrimas dos caídos.
Salgado, salgados, água do mar, cura as feridas do desgosto.
Quais os livros de história não lhe dizer é
Quantas lágrimas de um coração humano pode realizar
Antes que as rachaduras abaixo da superfície
A partir da tensão e dor e incha aberto
E aprende a amar.

Felipa Florença

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

A Gratidão



Caminhei no jardim florido do seu coração
tantas flores contei nele,
mas cada uma delas é unicamente especial!


Pessoa que transborda amor e compaixão.


Tens uma mão sempre estendida ao que precisa!
Jamais esquecerei que passei em sua vida
e que em minha lembrança viverás!


Tão amado amigo,
que minhas lágrimas colheu,
e delas lindos poemas nasceu.


Eu te admiro muito
e o meu carinho é imenso!


ISA




[....]


Como existe em ti
o belo sentimento
da gratidão,
a tua gratidão!


Encontrei-te
desfeita,
ultrajada,
consumida,
desorientada,
sem um rumo!
Viveste
muitos sofrimentos,
silêncios, angústias,
tristezas,
incertezas,
dores de Alma,
quase destruída!


Ajudei-te,
sarei feridas,
retirei medos!


Renasceu
em ti, outra mulher,
que sentiu Luz,
não mais se sentiu só!


Enriqueceste
a generosidade,
a bondade,
o carinho e o perdão!


Tivémos o nosso reencontro
e sempre unidos
numa amizade pura,
não teremos mais desencontros
e sentirás a minha presença,
para tua serenidade!


José Manuel Brazão



A gratidão é um sentimento grandioso, que possamos, ter sempre um coração grato por todos aqueles que ao nosso lado caminham participando ou não das nossas vidas, louvo a Deus pela vida de todos aqueles que directa ou indirectamente participam da nossa vida, desde o padeiro, o leiteiro, o agricultor, os médicos, professores, família amigos, vizinhos, etc... Grata sou ao Senhor, por tudo aquilo que Ele permite nas nossas vidas...

Que seja a amizade sempre o espelho do amor!

Beijos meu amigo Zé que possas sempre subir os degraus da vida com alegria e regozijo, pelos amigos que são tesouros inigualáveis.

Grata pela sua amizade.

Beijos meu amigo, poeta do amor.

Menino sem idade... esta frase é minha...rsrrs

Alice Barros

Ele é quem



É meu desejo, minha fantasia
A centelha da minha vida
O sorriso em meu olhar
O murmúrio no meu passo
Tempero no meu dia
Sensual e sutil
Forte, claro
Ele é meu amor.
Felipa Florença

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Lágrimas



Me vejo...
Me busco nos braços da noite
E procuro o que
Sorri o meu espelho...
De quando em vez ele me olha e diz:
Enxerga-te!

No fundo
Algo reflete
Numa dor angustiante
São os meus sentidos, não sentidos
Perdidos
Sofridos
E ficam além da imagem torpe
A vontade de se ver retina
Brilhando sem
Lágrimas nos olhos!

Marcia Grossi

em participação especial



BEIJO CARINHOSO MARCIA
DO ZÉ

Esse teu olhar é a poesia que eu entendo!


Leio os teus poemas
e sinto
que escreves o amor
sonhando,
lutando,
tornando-o
emocionante,
suave, doce!

Esse teu olhar
percorre a Vida,
na busca
do teu ideal de Vida!

O teu anjo,
o teu
anjo meu,
sorri,
mas ajuda;
ajuda sempre
com a sua mão,
o seu olhar
a sua voz
e o seu coração
pulsando
bondade e amizade,
com laços de amor!

Esse teu olhar…
é poesia que eu entendo!

Sabes
que está sempre perto,
o teu
anjo meu!

E ficará
esse teu olhar
e a tua poesia que entendo!

José Manuel Brazão








Um dia te encontrarei...



Palavras sorrindo...




Quando te leio
ou ouço,
sinto
as palavras sorrindo!

Palavras envoltas
em generosidade,
que só tu sabes…

Conforto-me
com a tua imagem,
sempre atenta
no meu bem estar!

Nada pedimos,
apenas
laços de amor
nesta felicidade,
vestida de amizade,
neste caminho
de encanto,
muito encanto!

Palavras,
palavras sorrindo
e sentimo-las…

José  Manuel Brazão

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Teus olhos são diamantes!


Mulher admirável
com determinação,
mas de generoso coração,
estás comigo
no momento certo,
que precisamos do Amigo!

No tempo
cultivámos a Amizade
que cresceu,
cresceu muito;
que ninguém
de jeito algum
nos separará!

Quando penso em ti
e vejo a tua imagem
na foto preferida,
noto os teus olhos,
muito brilhantes,
como diamantes,
na mulher
que no seu todo,
para mim
é uma pedra preciosa!



José Manuel Brazão


* Assim é a minha queria Amiga a Poeta Sandra Freitas *

Nunca morri, apenas adormeci perante a vida!



Não,nunca morri,
apenas adormeci
perante a Vida!

Quando acordei
questionei
os sonhos havidos,
a sua razão,
o meu optimismo,
a minha esperança,
a minha doação.

Deixei
o tempo correr;
em cada instante
oportunidades perdidas,
mas valeu a pena
este percurso de Vida,
porque acordei a tempo
de recuperar
o tempo adormecido
e ter-te conhecido!

José Manuel Brazão

*Ao ler o texto “Você é a razão” de Graciele Gessner gostei tanto da frase final, que dei título a este poema*

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Início do 4º ano de publicação do Blog: NO CAMINHO DAS EMOÇÕES (texto nº 2.039)




Eu e Vanda Paz desde a primeira hora; juntaram-se vários Autores residentes, Autores consagrados, Colaboradores especiais e jovens Autores.
A todos os visitantes e a esta vasta equipa o meu agradecimento de coração!
José Manuel Brazão


Poeta

Trazes a poesia enraizada
em terra de palavras,
regada de sentimentos
e ansiosa de musas inspiradoras
que te alimentam o ego
e te fazem forte como árvore
que não verga com os ventos.

Mas as lágrimas
são a poção mágica
de tudo o que é mais belo.

E o sorriso
o barco que te leva
o poema à volta do mundo.

Vanda Paz














Coração poeta

Vives, escreves,
usas as palavras,
sempre,
sempre com o coração!
Mulher de paixão,
sonhas a vida,
com magia, alegria,
sempre com o coração!
Amas
o som dos pássaros,
amas
o som do mar,
envolves-te com as ondas,
abraça-las com amor.
Amas
o horizonte,
as pessoas …
Acaba o sonho!
Vem a ilusão …
Viverás
sempre com o coração;
coração poeta …

José Manuel Brazão

Rindo na chuva




Calendário Ninguém 
regido nossos passos 
com a primeira luz 
muito antes do sol se levantar 
sobre o oceano azul ardósia 

Vagando entre palmeiras e flores brilhantes 
em nosso próprio mundo 
juntos 

Observando os beija-flores 
elevada nos ramos acima de nós 
câmera captura os momentos 

De repente, as escuras nuvens 
para tirar o calor equatorial 
Rindo na chuva 
sem cuidado ou detentor 

Estávamos encharcados 
e no amor 
sós 
na ilha. 

Felipa

Afectos



Onde estão?
Parecem perdidos,
por onde andarão?

Eu tenho os meus
e dou,
dou ao próximo
sem pedir nada.

Por isso os procuro
e não encontro.
Neste desencontro,
paro e penso:
não os mereço?

Com esperança
vejo uma Luz
e agradeço:
são afectos os que recebi …

José Manuel Brazão

_

O meu poema: 26 de Outubro






Beijo de LUZ  para ti João
e a tua Glória Eterna




26 de Outubro
João Grossi






José Manuel Brazão

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Recordo o dia...






Recordo o dia
que nos conhecemos,
como se fosse o presente!

Amanheceu em nós
um Sol
que nos iluminou
e virou
um grande amor!

Vivido
com sonhos,
realidades
que marcam
as nossas Vidas!

Um mar imenso
entre nós,
mas sentimos
a chama,
o encanto
desse amor!

E o futuro
virá até nós
para vivermos
esta Amizade,
muito nossa,
que durará
enquanto o tempo
for tempo!

José Manuel Brazão



"Cada um que passa na nossa vida, 
Passa sozinho...
Porque cada pessoa é única para nós,
E nenhuma substitui a outra...


Cada um que passa n...a nossa vida,
Passa sozinho,
Mas não vai só...
Cada um que passa na nossa vida,
Leva um pouco de nós mesmo,
E deixa-nos um pouco de si mesmo...


Há os que levam muito,
Mas há os que não levam nada...
Há os que deixam muito,
Mas há os que não deixam nada...


Esta é a mais bela realidade da vida.


A prova tremenda
da importância de cada um,
É que ninguém se aproxima
do outro por acaso..."


(de, Antoine de Saint Exupéry)



Porque trago você tatuado em mim!

Por que açoita o meu corpo
Com seus beijos tão ardentes

Deixando marcas permanentes
Por toda a minha pele

Por que tortura-me com suas mãos tão quentes
Incendiando meu corpo deixando-me em brasas

Por que castiga minha nuca com arrepios tão envolventes

Por que entra em mim de maneira tão única

Por que faz como ninguém mais

É porque sou tua
Minha pele te chama
Meu corpo te ama
Meu coração te conhece
E minha cama te reclama...

Porque trago você tatuado em mim!


ISA

Soneto à flor dos teus sentidos


Não lhe poderei dizer com firmeza,
Se nos poemas minha alma exponho;
A poesia é carne, caminho e sonho,
Em que todos têm a mesma beleza.

Alma que pode ser a tua ou a de um anjo,
Não a distingo de mim nem da canção;
Na poesia tenho mais de um coração
Que palpitam formando um belo arranjo.

Se disser que sou flor mesmo não sendo,
A verdade de outrem é meu rebento;
Pois eu digo: outras almas são minhas.

Contudo, se de mim duvidas tanto,
Se a ti provoco desmedido espanto,
Tenha fé, então, nas minhas entrelinhas.

Luciene Lima Prado 

LU
o teu mais belo soneto.
Beijo do ZÉ

Inocência



Por detrás da inocência de um olhar, existe uma doçura estonteante, jamais alguma ingenuidade lhe turvará o pensamento, que a simplicidade e a humildade lhe ofertaram 
quando a vida lhe estendeu os degraus da ascensão galgou uma a uma todas as dificuldades e sem lamentos cresceu, gatinhando,tropeçando e caindo, até aprender a ser...

Alice Barros


domingo, 24 de outubro de 2010

Recordando: Perdoa-me (ISA e ZÉ)



Perdoa
este amor assim!

um amor
arrebatador,
sem limites,
mas querendo
teu corpo e tua alma!

Um amor
que sinto
sem saber explicar,
mas apenas viver
com ele
e para ele!

Porque pedes-me perdão
se este amor tirou-me do chão.

Um amor
que morrerá comigo,
porque
só eu o entendo,
só eu o sinto
e quero sofrer
Assim…

Não sofras pois esse amor 
amou-me tanto que deu-me vida
Perdoe-me por sorver tanto desse amor!

ISA

José Manuel Brazão





Do lado negro da Lua



Do outro lado da lua a magia torna-se negra. As palavras são pedaços engasgados de vaidades que dançam nuas ao som de erros amorosos.
Destrói-se a certeza do que é certo, masturbam-se os sonhos como se fossem vontades insanas de serem superiores em cada orgasmo. E a vontade de ler o corpo, é banal e suja, tornando o texto viciado e odioso.
A poesia sai dos murmúrios em blasfémia, pelos empurrões da obrigação de ser algo bonito. O bonito, aqui deste lado da lua, não existe. Não há esforço que vença a vaidade. São apenas letras amorfas que se juntam para ouvir mentiras em abraços fingidos.
Fogosa é a certeza, de querer continuar num roubo, delirante e perverso, da paciência de quem luta pelo sol. Afogam-se as intenções de ser sério e humilde, passando ao ataque sempre que se muda uma vírgula.

Murmuro baixinho as lágrimas, enquanto grito contigo a raiva de me doer a cada dia.
Mas é da liberdade que vive a águia, no voo picado por cada presa, mesmo aqui, neste lado negro da lua.
Vanda Paz

sábado, 23 de outubro de 2010

Memória do Tempo




Recordo,
as primeiras palavras;
palavras vividas
e revividas,
com saudade
da tua mocidade!

Nasceu a amizade:
envolvida em mares,
nunca navegados,
envolvida em palavras,
palavras sentidas,
cobertas de emoção,
por vezes:
vestidas de paixão!

Recordo,
muitas palavras,
de amor,
amor ao próximo,
com autenticidade
e cumplicidade,
que guardo no tempo,
na memória do tempo …


José Manuel Brazão

Meu anjo Rafael (Rafa)


Seres criança
é um raio de esperança
que guardo em mim!

Seres criança
e o meu anjo Rafael (Rafa)
se instala
no meu corpo e alma!

Seres criança
e teres amor por mim
me deixa sem jeito
me deixa
eternamente em ti!

José Manuel Brazão


Para o meu querido Amigo Rafael-Rafa com sete anos e pureza na Alma





TU e EU seguimos...


Descobri que habito em mim mesma, assim descortinei o mundo lá fora...
Todos os meus zelos foram inúteis.
Toda a minha graça encoberta, agora desperta, pulsa em mim.
Não caibo em mim de tanto amor.
Não caibo nesse mundo inverso, mas humildemente o revelo.
Sigo maravilhada diante de cada descoberta.
Sigo feliz.

Luciana Silveira



[...]

Procuro sonhando
o que não encontro acordado.
Sonho com a vida
que me falta conhecer;
sonho com as pessoas
que amo em silêncio
e que quero ajudar:
amando!

Sonho com as pessoas
que me ouçam,
me entendam.

É bom sentir-me vivo,
olhando para trás
e vendo
que não posso viver
um novo começo,
mas que posso viver
um novo fim.

Sigo
a esperança
de ser feliz,
sigo …

José Manuel Brazão

Uma saudade





Família me lembra um tanto de tempo
Me lembra um tanto de tudo
Um tanto de carinho e sonhos
Um absurdo de saudades...

E foi-se ao vento o cheiro de mais uma flor,
E virou-se mais uma página desse tempo que não entendo...
Aquele lugar, lá de novo , retornando as lágrimas
Hoje a saudade apertou o peito e a vontade de girar momentos passaram mil vezes pela idéia
E passaram também filmes e telas
Telas pintadas com vivências...
E foi triste a despedida
Foi triste ouvir murmúrios e gritos que não se consolarão
E veio o nó
Que finalmente
Escorreu pelo rosto...
As preces feitas
Os remorsos por não se fazer mais
E passou uma geração de sonhos
De histórias
De lutas
Hoje eu vi que não te abracei o suficiente, e me percebi
Como parte desse mundo que ainda tenho tanto pra sentir
E sua história mesma com a página virada, está escrita no começo do meu livro
Sem você meu livro seria uma página em branco

Feliz aniversário
Onde você estiver... Te amo muitoooooo e jamais apagarei você da minha vida.
Marcia Grossi
em participação especial

" Deus tira de nós o que mais amamos. Quando menos esperamos e sem nenhum aviso. E a culpa? A culpa é da vida que tem inicio, meio e fim. A nossa culpa está apenas em amar tanto e sentir tanto perder alguém. Mas o tempo é remédio e nele conquistamos o consolo, com ele pensamos nos bons momentos. E no fim apenas a saudade e uma certeza: não importa onde esteja, estará sempre comigo." (Autor desconhecido)

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Dorme meu menino! (João Grossi)










Dorme esse sono tranquilo,
na Paz dos Anjos,
nesse Além do Azul
cheio de estrelas cintilantes
e um dia
estaremos junto de ti...

Dorme meu menino!

José Manuel Brazão






JOÃO: O teu aniversário no Céu e com todos. nós


quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Meu Pai

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

O abraço do mar


Dia qualquer e essa saudade me trouxe...
Não quis pensar, pausei tudo aqui em mim
Antes que o tempo me engolisse lentamente
Sem traçar caminhos, decorei as idas e vim

Em frente o mar imenso, imolar essa imagem
Este azul profundo que me impregnou a alma
Corpo inteiro imerso nas águas dessa paisagem
A pele macia da mão do mar acariciou-me a alma

Na garganta da noite, todo meu sentir pausado
Vou, deixo atrás o mar, e nele meus fragmentos
Questionando-me a voz rouca dos pensamentos

Ainda pareço ouvir das ondas o som cantado
Se nas marcas da areia, deixar meu eu, me custa
Muito mais a idéia de dormir sem você assusta...

Glória Salles

Quando amanheceu dentro de ti!


Viste a minha imagem,
que te pareceu;
a luz da tua vida!

O teu Sol raiou
e saíste da noite
de solidão sem fim!

Dias
e mais dias viriam,
sem entenderes,
que eu não era o Sol,
a luz, a esperança,
mas um homem,
apenas um homem
nesta Vida,
que valorizou a Mulher
generosa
carente de compreensão,
harmonia e amor!

Tudo isso te dei
e foste a Mulher
que muito amei
para conquistares
a vida sonhada!

Tudo me deste
em gratidão,
paixão e amor,
numa entrega
dum completar o outro!
..................
..................

Passou tempo ...

... e hoje existe
o amanhecer de cada dia,
dentro de ti e de mim!

Seguiremos sempre juntos,
com uma amizade de coração,
mas com destinos diferentes,
sempre com fé e esperança
que dias melhores virão
e que nos reencontraremos
num amor para além da Vida!

José Manuel Brazão

* Para ti, para nós o poema do nosso futuro e destino *

O Sol e a Lua






Ela passa ao lado,
distante e na sua
Ele a fixa
nos olhos,
No sol que destapa
Ela já é sua…
Fica assanhado
Já a vê nua…

Está alucinado
Procura nos olhos
Um tanto corado
A sorte é sua

Nas mãos que agita
Lhe toca
Vem o vento da lua
Sopra na saia
Arrepiou na nuca
Ela corre assustada
Vai desvairada
Com medo da lua

Ele fica zangado
Um tanto amuado
Já ficou preso…
Entre o sol e a lua

Cristina Moita 

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Manto negro




Perdida na escuridão, 
o manto negro da noite
envolve-me com um arrepio 
que percorre meu corpo
O medo toma conta dos meus sentidos, 
estou só
Era de você que vinha minha segurança
minha proteção, 
onde escondeu-se
 príncipe da noite
Meu Rei, 
Minha Vida,
Já nem sei como chamar, 
tornou-se dono de tudo
que vejo meu, 
tua poesia acalentava minha alma triste
e ganhava sempre um sorriso...
A noite vestida de ébano levou tudo
levou meu amor...
Serei sempre a lágrima triste que corre na face 
gelada pelo o frio da noite.

Isa

Nostalgia


Sim,
Há muito não escrevo pra ti.
Mas as ondas que se quebram
em minha pele
são maiores.
E me impulsionam
a abrir a chancela das palavras.
Todos os meus poros
suplicam por seu calor,
Por seu abraço.
É um querer mais que a mera união de dois corpos sedentos.
É a união de duas almas famintas,
por um desejo perdido no tempo,
Perdido no espaço.
Roubado por uma estrela cadente.
Um desejo que
talvez jamais se concretize.
(Não nessas órbitas reais.)
Então me restam os sonhos.
Assim não desfaleço,
e rego a secura das minhas entranhas,
que aguardam desde sempre
pelo selo do teu amor.

Sandra Freitas



[...]

Foram tantos
e tantos poemas,
poemas de amor
que te fiz!

Tu e eu
nascemos para a Poesia,
para encantar os outros,
alimentando as suas almas!

Quantas vezes
sofríamos nas nossas Vidas
e a inspiração,
superava tudo isso!

Os poemas que te fiz,
sentidos pela voz do coração,
derramaram amor,
muito amor,
que te comoveram
e davam forças
para sair de ti
Um outro poema,
suave,
expressivo,
emocionante,
iluminando
quem o lesse!

Dos poemas que te fiz,
ficam os sentimentos,
nas palavras
que o Poeta não renega
e guarda em seu coração!

José Manuel Brazão

Amor e beleza despida




No grito que dilacera a minha alma
hoje canto, um louvor de gratidão
de uma paixão imensa,pelo Criador
Ilumina-me meu Senhor, dá-me a Tua
luz profunda desse Amor, que do trono
jorra como uma chama incandescente.
Um delírio de Amor profundo,há em mim
por ti meu Deus, arrebataste-me a alma
de uma só vez, e agora vejo-te
sou o brilho de um Anjo cintilante,
que agora ofuscante te busca e te segura
pela mão com medo de me perder de Ti.
Tornaste-Te cada vez mais desejado.
Não consigo guardar em mim,tamanha
gratidão dentro do meu coração
tão grande amor, Amor e beleza despida,
Que na fusão do Teu Espírito resulta,
Num oceano de águas cristalinas
que tudo transforma em vida.
Numa fonte de sonhos guardados,
e em ti mergulhados, sonho os teus sonhos
Tenho saudades de sentir o perfume,
inebriante do Espírito jorrar,
através das comportas abertas
do céu, e mil alegrias em mim derramar.
Deste-me a Tua alegria Senhor
e nesta luz cintilante que brota de mim
ainda acredito que um novo milagre
florescerá e me renovará por fim.

Alice Barros








Ausência



Nesta tarde gélida,
sinto a tua ausência!


Sento-me
junto à lareira,
recordo o passado,
com fotos.
Cada uma tem
significado,
momento,
ou evento!


Por mais voltas
que dê ao passado,
não devo continuar;
sentindo a tua ausência!


Cresce a saudade
e a minha vida anoitece!


José Manuel Brazão

sábado, 16 de outubro de 2010

Constatação do óbvio



A vida esvai-se num gotejar de lágrimas sólidas, alcançando em cheio o alvo-coração, já cansado da lida sem prazeres, sem tempo para de ti me refazer, caiadas, pintadas, falsas paredes, em torno ainda desse muro rochoso, coberto de musgos e puro mofo...estou vegetando sem você, meu amódio. E ainda caminho em abismos insondáveis, tento em vão respirar outros ares, escrava que sou de teu corpo-refúgio. O que me rasga a alma, é amor.


Luciana Silveira

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

Então... não voltará


Foi com lágrimas nos olhos que vi você partir
Pedi chorei implorei não vá


Mas foi...


Arrastando a mala pesada
Cheia de lembranças
De beijos, abraços
 Amor 


No meio do caminho parou 
Olhou para traz
Quis voltar, mas não teve coragem


É uma longa caminhada de volta
Continuou andando com sua mala pesada


Por vezes o vi parar, olhar o nada
Parecendo pensar:

Será que ela ainda está lá
A minha espera...


Ainda espero, mas o frio e a dor
  Mata a esperança...


Por quanto tempo irei agüentar...


A mala fica cada dia mais leve
Logo não terá mais nada


Então você não voltará...

ISA