Outros Blogs do meu grupo:

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Teu sorriso é meu!


Sorri
para o teu sorriso!

Encantas-me
quando apareces
e sem uma palavra,
entendo-te
pelo teu sorriso!

Sorrir
é saudável,
é carinho, afecto,
amor …

Teu sorriso é meu!

José Manuel Brazão

Mar


A vida é repleta de gratas surpresas
E muitas e muitas tristezas
Difícil é não pisar em poças
Difícil é não desmoronar a cada esquina
Quando me acalmo
Duvido deste destino à crayon esboçado para mim

Não sou só eu quem responde pelo outro
Não sou só eu quem responde por mim mesmo
Somos muitos: de muitos cheiros e de muitas cores
Em diversas direções e sentidos opostos
Um universo em constante desalinho
Desapadrinhados
Da esquiva de um
Ao encontro de outro
Sempre

Sou apenas como o mar
Sombrio alguns dias
Gentil em dias par
De nuances diversas e
Em eterna persistência
Alimento de muitos
Sepulcro de outros

Não creio mesmo em Deus
Embora agradecida pela oportunidade de estar aqui agora
Que Ele nos proteja sempre
Amém

Ana Heide

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Esqueço-me de mim!


Amo-te
como nunca amei.
Quando
penso ti,
perco-me no tempo
e esqueço-me de mim!

És tudo na minha vida,
sem ti,
fica um vazio,
a mente adormecida!

És o meu destino,
o meu anjo,
a sombra
que me acompanha
na vida
que eu quero de alegria,
libertando-me da tristeza.

Espero-te a qualquer tempo,
porque de ti não esqueço!

José Manuel Brazão



Este amor é louco!


Amo-te
e desejo-te
como nunca amei
ou desejei alguém!

Não sei se me amas,
tão pouco se me desejas!

Este amor é louco,
porque sofro
por uma mulher,
que vive no silêncio
dos seus pensamentos,
dos seus sentimentos,
deixando-me nesta loucura,
à procura
da mulher dos meus sonhos!

José Manuel Brazão

Amor sem recuo


Abraço-te com fervor.
contemplo-te e sinto
cada vez mais amor!

Meus braços
aconchegam o teu corpo,
minhas mãos
acarinham-te,
mimam-te!

Dos teus olhos
correm lágrimas,
que recolho-as
p’ra minha memória.

Teus lábios ficam trémulos,
sorrimos, beijamo-nos,
continuamos abraçados,
como se fossemos
donos do tempo, da vida.

Os teus olhos
continuam brilhantes,
vejo-me neles…

Nossos lábios
voltam a beijar-se,
com volúpia,
com amor,
com ternura,
com loucura,
sentindo-nos partir
até ao tecto do amor!

Este amor não pára,
com momentos belos,
momentos felizes,
que ninguém nos roubará!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

Vestir um poema


O poeta tem de ser um bom costureiro do poema para que o leitor o entenda e se possível se reveja nele; que lhe assente bem.

Assim nasce um bom vestido ou um bom fato!

Quero falar do meu estilo a escrever: poesia ou prosa. Utilizo uma linguagem simples e que trate das coisas da Vida.

Muitas vezes utilizo a primeira pessoa (eu) para dar mais força ao texto, mas nem sempre aquilo se passou comigo.

Observo as pessoas e algumas delas servem como meus personagens consoante o que pretendo escrever.

Existem muitas mulheres que nem imaginam que são elas as protagonistas dos poemas!

Escrevo sobre a paz, a harmonia e o amor em que estas vertentes se interligam: não há harmonia sem paz e não há amor sem paz e harmonia!

Porque escrevo muito sobre o amor?

Sou um discípulo e um admirador de Vinícius de Moraes e da sua vasta Obra.
Estou influenciado pela forma como ele escrevia o amor e a mulher!
De linguagem simples conseguiu com esse método transformar textos simples em textos grandiosos e históricos. Marcou-me bastante “A arte de ser velho”, “Samba da benção” e “Soneto da fidelidade” e este soneto termina de forma realista e exemplar:

“Eu possa dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja eterno enquanto dure.

Vinicius dizia com frequência: “ …. a vida é mesmo assim …”

De facto é assim que tenho usado na Poesia.

Tive um bom professor e esforço-me para em cada dia e em cada texto melhorar a minha função de trabalhar para que a vida seja mesmo assim!

Vinicius,

espero ter sido um aluno razoável!

José Manuel Brazão

Homenagem ao Poeta


O poeta tem o fio da ideia, mente pensante
mãos que escrevem no enredo que traça
condutas e reacções, dramas e comédias
vidas e amores, dores e fulgores
O poeta tem inspiração, olhar furtivo
palavras sussurradas, um amor, um desamor
um é frio, outro é calor
às vezes rica rima, outras sem metrificar
Tem sempre o toque mágico
É poema... É poeta
a rosa chora, o vento geme
a chuva escorre na janela
A flor que brota, a palavra brota
o sorriso brota,
na mão do poeta tudo brota!
Risos e alegrias, e viva a criação
Ele faz luz, apaga as trevas
Planta o infinito
canta o amor
vibra as cordas da viola
canta o amor e canta a trova
e a dor que não consola
sempre tem os seus amores
chora a agonia a separação
o inevitável o condenável
chora o amor que foi perdido
o afecto inalcançável
sofre pelo ter e o não ter
sofre o esquecer e o perder
e certamente com tudo e por tudo isto
aprendeu a viver, amar e sofrer
Porque cria e desafia
até a dor de todo dia
sem forma ou fórmula
sem momento, é apenas um instrumento
"do amor...., sublime amor"!!!
E VIVA O POETA !!!

Rosa Mel

domingo, 19 de outubro de 2008

Já não estou aqui...


Parti
em busca do amor,
que me acalme,
me compreenda,
não me desiluda!

Não quero um amor,
mentiroso,
dividido, indeciso,
desgastante…

Quero um amor,
leal,
apaixonante,
de mãos dadas,
que acabe com
o sei que estás aí,
quando
já não estou aqui…

José Manuel Brazão

Saudade do teu olhar


O teu olhar
levou-me à paixão.
depois ao amor!

É um amor sem limites,
sem hesitação,
bebendo as tuas palavras,
a tua dedicação,
o teu amor em silêncio,
por vezes escondido,
outras vezes assumido!

Ninguém roubará
este amor que corre,
que se alimenta em nós!

Já não chega
a saudade do teu olhar;

O meu amor
pede
o teu corpo,
a tua alma!

José Manuel Brazão

Abro-me ao Mundo


Sonhando
vou por aí,
sinto-me
entre a terra e o céu!

Percorro
montes e vales,
rios e oceanos,
países e continentes.

E o que vejo?

Fome e miséria,
iminentes mortes.

Bem –estar,
muito bem-estar,
ignorando os carentes.

Atroz egoísmo
num planeta
com guerras,
ódios, invejas;
amor onde paras?

O sonho
vai partindo
e deixa-me a imagem
de que existem dois mundos!!

José Manuel Brazão

sábado, 18 de outubro de 2008

Beijo de anjo


Que me acontece quando penso em você... (?)
Alicias-me em pensamento...
Com teu silencio me provoca...
Meus devaneios, surdos
Tentam traduzi-lo...
Fico me perguntando...
O dia em que me beijar.
Me beijará lentamente,
Sorvendo minha boca
Como se fora um vinho bom?
Ou será, que com fome
De pescador, que chega do mar
Após meses de reclusão??
Que coisa louca...
Guarda-lo assim dentro de mim
Velando teus beijos
Onde minha alma
Segura nas mãos fechadas
Protegendo e guardando...
Os beijos que sonho para minha boca!...

Glória Salles

Sou um girassol


Quem me procura,
gosta de mim!

Sinto-me uma flor,
desabrochando
como quis a Natureza!

Sou um girassol,
girando com o Sol,
recebendo a sua luz,
que iluminará
meu corpo e minha alma!

Giro, giro
e vou girando
para que a minha luz
irradie amor…
José Manuel Brazão

Meus escritos, meu legado


Quando em devaneios remexo os meus sentidos
E voando meus avessos, releio segredos sussurrados
Faço-me abissal, saboreio desejos ainda incontidos
Nos vãos e nesgas dos velhos sonhos alimentados

Os estilhaços colhidos no chão do meu coração
São restos de memórias em cantos, esquecidas
Lembranças de vôos alimentados, fascinação
Reflexões, sentimentos presos, dentro das rimas

Porem alivia-me não ver, perambulando escravas
Memórias torpes, em sonhos dispersos, perdidos
Vejo sim nas mesmas paginas tantos poemas erguidos

Que a rudeza dos meus dedos, escancare as palavras
Destile lealdade nos versos nus que terei deixado
Escritos na ultima página... Este será meu legado...

Gloria Salles

O meu roseiral


És a minha flor,
uma rosa amarela!

Olho o meu roseiral,
e tu és especial.
Trato as rosas,
paro ao pé de ti,
contemplo-te,
mimo-te
e protejo-te!

És a minha flor,
uma rosa amarela,
com pétalas de amor!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Toque rosado


Rumo à montanha rente ao céu,
sinto a terra, o sol e o vento...
Insaciada, imploro o alento
do mar salgado, o meu troféu.

Onda vestida em tons de amor
à luz da lua que me invade...
No interior, rompe a verdade
descubro, em vida, outro sabor.

Sem ela, esqueço o que procuro,
perco-me sem o tal toque rosado…
quanto mais forte, tanto mais puro!

Por ela, raptava cada estrela,
deixando negro alto, apagado...
Antes o mar sem luar, a perdê-la!
Diana Correia

A rosa


O mundo
cabe numa rosa
uma rosa
cabe no mundo.
Que farei
desta rosa
que o mundo
não quer?
Rosa suave
tão linda
uma menina
Ainda
e já é mulher

Teresa Sá Carvalho

Renascer


Nasci
para um caminho.

Cresci
a percorrê-lo
parando
aqui e acolá,
pensando
na linha da vida!

Vivi
entre hesitações,
sensações
e tentações!

Vivo
numa curva do caminho,
procurando meu destino,
sempre
com o olhar
em quem passa,
nos que vou conhecendo:
que me acarinham,
me sorriem
e nos que me amam!

Renascerei
para ser melhor,
do que fui ontem…

José Manuel Brazão



Amor ferido



Mulher
de amor e paixão,
generosa,
determinada,
pouco amada,
dá-se,
dá-se aos outros
com aquele coração,
palpitando,
com veias de amor!

Mulher
bela e cativante,
estonteante
de fácil sedução,
sempre
comigo à espera,
para lhe estender a mão!

Mulher
à procura do amor
que não recebe.
Carente de amor,
amor solidário,
que encontra em mim,
o seu amigo
de hoje e amanhã,
da amizade sã.

Mulher
de amor ferido

Mulher
de amor que não morreu…

José Manuel Brazão

quinta-feira, 16 de outubro de 2008

A você meu amigo


Há momentos recebi um presente da Gloria – chama-me anjo lindo - que nesta hora me apareceu sim, como um Anjo para aliviar o meu dia! Glória não é minha intenção comentar o poema, mas para te dizer que guardá-lo-ei como se fosse uma prece!
Este espaço ficou com as minhas lágrimas teimosas, mas são lágrimas de alegria por ti e por todos os que estão contigo agora e sempre.
José Manuel Brazão
A você meu amigo

J á havia desistido de crer na real amizade
O verdadeiro carinho, leal, desinteressado
S e ocultava, e com dúvidas dividia espaço
É nessa falta de fé que peguei a mão estendida

M estre, depois de tanto ler tuas pérolas
A minha poesia parece até menos torta
N eles agora pareço ver muito mais sentido
U ns fios coloridos nos traçados versos
E ao Lê-los, após ter teu aprendizado
l ogo vejo frestas preenchidas pelo saber

B rindo hoje, nosso encontro querido amigo
R econhecendo o presente que a vida deu
A gradeço-te por tanto carinho e apreço
Z onzas, as palavras de repente se perdem
à lgumas ,em qualquer compasso é redundante
O uro enfim, jóia rara, inestimável é nossa amizade...

Glória Salles
16 outubro 2008

Compreendes-me


Pensas em mim,
sentes-me
e compreendes-me!

Teu olhar,
carinho, ternura,
guardo no meu coração!

Dia
em que não falemos,
não é dia!

Na nossa vida,
não existe noite (escuridão).
Apenas Luz,
muita Luz!

Quando não dormes,
eu acordo.
Quando estás triste,
sinto tristeza!
Quando estás alegre,
sinto muita alegria!

Quando dizes:
Amo-te,
sinto amor,
muito amor…

José Manuel Brazão

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Até amanhã, meu amor!


Partiste
em nova missão,
fiquei triste,
palpitante o coração!

Deixaste
o teu rasto:
cheio de Luz,
amor sorridente,
palavras meigas!

Deixaste
muito amor.
que eu abraço,
sentindo o teu corpo,
a tua alma,
a tua presença.

Partiste
com a esperança
de nos vermos,
nos abraçarmos,
nos beijarmos
e nos amarmos,
Loucamente…

Voltarás
e serás o sol da minha vida.

Até amanhã, meu amor!

José Manuel Brazão

Hora de renascer



Mereces que te cante o cheiro das rosas, que te encante quando liberto a vela do meu corpo. Sou o navio de palavras onde navegas embriagado pelo ondular do mar dos meus olhos. Mereces a lua com brincos de estrelas, o rio quente pelos raios do sol da minha manhã. Sopro-te a águia, voará ao teu encontro onde te entregará a madrugada do meu peito. Receberás os azuis do meu céu, o calor das minhas mãos que te escrevem no silêncio do teu abraço.Abre a tua janela, aquela virada a norte, onde recebes o cheiro do meu desejo que te atraiçoa nas noites de Outono. Ofereceste-me a morada da tua sombra, entregaste-me a chave do quarto onde me encontro com as tuas ilusões, noites e noites sem fim. Tu sabes que fui sempre, sentes no sabor de um toque de dedos que em poema se conheceram. Tens-me no sal dos teus lábios, no brilho to teu sorriso, na terra fértil da tua memória. Morro e renasço nos teus sentidos, agora, é hora de renascer…


Vanda Paz


terça-feira, 14 de outubro de 2008

Sorriso para amar


Como é belo
olhar o teu sorriso!

Sinto-o
como um carinho,
um afecto, um beijo.

Estamos distantes,
estendemos as mãos
e ficamos próximos!

Olhamo-nos,
abraçamo-nos
e juramos
um ao outro
fidelidade
e felicidade,
sem fim…

José Manuel Brazão

Vou encontrar


Teresa Sá Carvalho - hoje uma Amiga - que encontrei na Poesia, pela qual nutro uma simpatia muito especial. Gostei muito deste poema, porque a Teresa demonstra a sua determinação na vida. São dela estas palavras: "...tenho fé no futuro e continuarei a chorar sempre que for preciso, para voltar a sorrir de novo.".
José Manuel Brazão


Vou encontrar

Amar, amar
Esquecer-me de ti
Eu sinto desejo
Do abraço forte
Do calor dum beijo
De tomar um norte
Eu vou encontrar
A concha na areia
A chama do fogo
Que a mim incendeia.

Teresa Sá Carvalho

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

Oração ao amor


Que no teu corpo eu me revele,
Que na tua alma eu me encontre
Que o teu olhar me espelhe,
Para que eu possa ser sempre a tua eterna amada,
A tua eterna vida, o teu eterno sonho.
Que nossos tempos sejam sempre de glória,
Que nossas dores sejam sempre pequenas,
Que nosso amor seja sempre infinito,
Para que possamos voar sempre nas asas da magia.
Que o sol brilhe sempre para nós,
E a chuva seja sempre passageira.
Que a lua nos sorria sempre,
E as estrelas iluminem sempre o nosso caminho,
Para que possamos viver em complemento,
E em pura união.
Para que até ao fim dos nossos dias,
Sejamos sempre felizes.

Catarina Camacho (Texto e imagem)

Sabores


Preciso
dos sabores
para provar
os amores
e as paixões.

As amadas
e as apaixonadas
dizem:
tens bom paladar
e apetite
não te falta…!

José Manuel Brazão

O amor precisa de humor

domingo, 12 de outubro de 2008

Fome de você




É um poema forte, intenso, com imagem riquíssima da paixão, do desejo e do prazer!
José Manuel Brazão




Fome de você

O meu corpo te espera, boca pedindo a tua
Te olho, provoco, quero tua alucinação
Teus olhos dizem "sim", quero sua loucura
Os delírios de teu prazer, sob teu corpo estão.

Olhando-me com fome cego, e quente...
Desafogando as vontades e minhas fantasias
Faz de mim sua loucura, dá todo teu êxtase.
Porque agora, minhas vontades são tuas...


Então mergulha teu corpo, mata nosso desejo.
Invade meu corpo febril, húmido e já desnudo.
Quero tua boca, a saliva, a textura do beijo.
Gestos ousados, atrevidos, nos deixando mudos.

Cada parte de mim, mostra que te cobiça.
Quer te ver alucinado, perdido de prazer.
Nas ondas das minhas curvas, tua delicia.
E nua nos meus lençóis, vem, quero te ter.

Corpos nus se entranhando, loucos, se tocando.
Movem-se cadenciados, desvendando cada trilho.
Bocas enlouquecidas, mãos, pernas se enroscando.
Sangue fervendo nas veias, prazer em estribilho.

Despudorada e louca, dou-me só pra você moço...
Olhando nos teus olhos, enquanto te sinto em mim
E alucinada, insana, contorcendo em gemidos te ouço.
Vem agora moça que eu amo, vem... Explode em mim.

Glória Salles (texto e imagem)

Palavras



Perco-me quando escrevo...
Me perderia de qualquer forma.
Afinal, tudo é perda...
E calar é muito mais...
Escrevo porque preciso.
Escrever é como droga.
Vício do qual não me abstenho,
e no qual vivo.
É como veneno necessário.
Se compõe de fragmentos do sentimento.
Nos recantos dos sonhos é colhido.
Das margens bucólicas dos rios da alma.
Essas águas deixo escorrer por meus dedos.
Não quero o silêncio...
Por isso...

Que meu coração jamais se cale.
E o que eu não ouso dizer...

Isso ele fale.
E que o faça claramente.
Nunca com ambiguidade...
E sejam suas palavras, como rio
Que incógnito nasceu,
Cuja maré alta transforma em foz.

Gloria Salles (texto e imagem)


Amor não será vadio...


O amor
viverá comigo,
Aqui ou Além!

Andarei por aí,
vivendo
e convivendo
com o mundo.

Serei guerreiro
por um mundo melhor,
onde as minhas mãos
até doerem
clamem mensagens:

amor sem hesitação
amor em silêncio,
amor, para onde me levas,
amor pela noite,
amor calado,
amor na minha mão,
amor sem limites,
derramo amor,
o amor dá-se,
espero-te,
amor pela noite…

…e tantos outros amores
que saem das minhas mãos
e do meu coração;

comigo:
amor não será vadio…

José Manuel Brazão

sábado, 11 de outubro de 2008

Apenas amor


Amor frágil,
Magoado pelo tempo...
Amor forte,
Por resistir a essa mágoa...
Amor sonhador,
Por se deixar levar pela magia dos olhares...
Amor...
Simplesmente amor...
O que guardo dentro de mim...
Simplesmente amor em mim...

Ci – Cidália Oliveira

Momentos de paixão


Desde muito jovens que todos temos paixões!

Muitas vezes intensas e noutras ocasiões vivendo em sonhos.

Intensas, porque achamos que aquela pessoa é a mulher ou o homem ideal para a nossa vida!

Porém, a vida não é tão fácil nessa matéria. Exige racionalismo!

A paixão é momento porque passamos para se concluir: ou é efémera ou terá “casamento” com o amor.

Por outro lado e entrando na realidade em que vivemos – salvo as excepções – quem tem ao se lado o homem ou a mulher ideais?

A natureza da vida muitas vezes põe-nos à prova com um(a) companheiro (a) distinto (a) de nós!

Aí na convivência do dia-a-dia ou se constrói ou se ofusca aquilo que se ambicionava.

Citando palavras da nossa colega Fáti - Fátima Theobald ,que encontrei algures: “um convite para o amor: Aquele que talvez possa durar para sempre, ou aquele que diz: seja eterno enquanto dure...”

E assim é: a vida de um homem e de uma mulher tende a ser uma incógnita!

Se soubéssemos o futuro…!

José Manuel Brazão

Por que esperas?


Dois segundos já passaram
e ainda divagas,hesitas.
Presa nos pensamentos
dementes,
ciente de que o tempo
não espera,
não pára.

Porque esperas......

Se sonhas e sentes
mas tens asas
dormentes
em correntes atadas?
... Se nasces e crias
sem notar que
os dias
são dias que passam
e mais nada?

Crês no que vês?
Na palhaçada deprimida
agravada pelas gentes
descontentes
de sua vida fingida?

Por que esperas......

Para te libertares
dessa herdade
cansada,
desde sempre condenada
e agora consumida?.
.. Para conquistares
a tal verdade
iluminada
seres tu a mais amada
por ti, na tua vida?

A tua natureza há-de te abraçar,
um dia.

Diana Correia (texto e imagem)

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Tu e eu


Amo-te
e não liberto
esta paixão
que não abandona
o meu coração!

Amas-me
e não libertas
essa paixão
que não abandona
o teu coração!

Tu e eu
somos um,
na paixão
e no amor!

José Manuel Brazão

Ivone, Mãe querida


Desde que partiste,
minha Mãe,
Ivone, Mãe querida
raro é o dia:
que não te pressinta,
não te sinta,
que não te recorde,
que não te tenha presente.
Para outros
estás ausente!

Quanto mais tempo passa,
mais recorro a ti
meu anjo da guarda
de todos os dias
da minha Vida!

Deste muito amor
e pouco recebeste!

Serás recompensada,
muito iluminada,
minha Mãe,

Ivone, Mãe querida
de todos os dias…
(Dedicado a todas as Mães)

José Manuel Brazão

quinta-feira, 9 de outubro de 2008

Palco da Vida


Como somos óptimos actores
todos os dias estamos a contracenar.
Sempre com espectadores a assistir
Ver cenas da vida a desenrolar.
O palco não se poderá escolher
Porque nele está a vida a decorrer.
Actor ser... não é nenhuma opção
nesta vida há que saber sobreviver.
Somos actores activos nesta vida,
com vários papeis a representar.
Embora estejamos em desvantagem,
Não se é actor por assim desejar.
Ser actores é a nossa obrigação
quantas vezes se seguram as lágrimas
p´ra dar lugar a um grande sorriso!?
Se, se estiver de cara amarrada,
muitos espectadores irão especular!
Embora papeis iguais tenham representado
e neste mesmo palco da vida actuado.

Com os pés assentes no chão
a vida vamos ter que levar.
Cada dia é sempre uma conquista
Se não se precisar de representar!
Leo Marques

Um Avô!



Passa o tempo
sem dar por isso!

Os netos crescem,
procuram-me
e não me encontram!

Ando por aí,
olhando por este,
ajudando aquele.

Passa o tempo
e meus netos crescem!

Não os vejo,
mas imagino
o amor
que nos atravessa.

Não os vejo,
mas sinto-os
a todo o instante!

Não me encontram,
mas sabem
que estou vivo,
sempre com o amor
por mensagem…

José Manuel Brazão

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Liberta-te


Liberta as palavras que trazes nos dedos,
deixa-as falar pela voz dos sentidos.

Entrega-te ao mar imenso das emoções
e plana, qual gaivota ávida de alimento.

Poucas são as frases que correm nos rios
… estão secos, pelo teu silêncio…

Em jeito de segredo:
Podes sempre procurar a palavra na nascente.


Vanda Paz

Palavras



Palavras
só palavras!
Tantas gastas
e pouco usadas.

Quando procuro
quem as disse
ou escreveu,
fico desiludido!

O poder da palavra
é infinito!

As palavras
estimulam
ou desmotivam.

As palavras
criam paz
ou convulsões.

As palavras
causam desavenças,
em vez de uniões …

Para mim

as palavras
são um dom da natureza
para se conviver bem
com elas
e um elo de aproximidade
e de fraternidade …

José Manuel Brazão

Imagem de João Farias

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Apenas em ti ...


Apenas em ti,
Encontro o que procuro...
Apenas em ti, Me perco e me encontro...
Apenas em ti quero estar...
Apenas em ti estou...
Cidália Oliveira

Desencantos


Nesta vida já não sei quem sou...
Este meu enleio, esta angustia estranha,
De uma tristíssima paixão que por mim passou...
Uma impossível mágoa sempre me acompanha.

Que doloroso mal sofrer tanto sozinha!
Na penumbra do meu Alentejo encantado
Trago tantas dores a habitar dentro da minha!
Em gritos de dor, tomba o coração desprezado...

Neste mundo coberto de sonhos e pecados.
Talvez um dia entenda a vida, esse mistério...
Os muitos murmúrios tristes e desolados.
Quando eu um dia alcançar a paz no cemitério!

Luisa Raposo (texto e imagem)

Histórias !!!


Na vida
existirão histórias,
sempre!

Uns
serão bons contadores
outros
péssimos actores!

Mesmo assim,
não deixarão
de ser histórias…

José Manuel Brazão

Teu corpo


Linda.
muito linda!

Teu corpo
lindo, esbelto,
deixa
por onde passas,
um rasto de sol,
um perfume,
um desejo…

Sigo-te
com o olhar
e fico a pensar:

Beleza
do teu corpo,
não nego!

E da tua alma?

José Manuel Brazão


Amor sem limites


Quando amor
se deixa dormir,
acordo-o!

Não posso viver
sem ele a funcionar!

Muitos esperam
a minha palavra,
o meu carinho
até
a minha tolerância!

A todos acudo.
Para uns
basta a minha presença,
o meu olá,
ou um até breve!
Para outros
um conselho,
uma prece,
uma esperança.

Para mim
fica o consolo
do bem procurar
e o mal evitar!

Para mim
fica o que basta,
não importa…

dou
o amor sem limites…

José Manuel Brazão

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Raízes


Colo da terra.
Cemitério de raízes sem vigor.
Raízes abolorecidas
pelo tempo que não as nutriu
pelas palavras traçadas sem esboço
pelas navalhas que as penetraram
pelo amor que não as abalroou
pelas fresas que as gastaram
pelas reminiscências que as olvidaram
pela distância de vida que as apartou.
Raízes sem seiva
no colo da terra.
Marta Vasil

Suspiros


Ai...
a falta que me faz
um anjinho-sentimento
que me aceita
e me traz
ternos risos com o vento.

Ah...
amigo emocionante
que seduz até a vida.
Telepatia
inebriante,
cumplicidade prometida.

Oh...
já rendido à Altair,
no olhar luz o encanto
de quem brinda
a uma Mulher,
a seus olhos e a seu canto.
(A quem ama tanto, tanto)
Diana Correia (Texto e imagem)

Percurso


Caminho longo
percorrido
com obstáculos
que superei,
uns por mim
e outros ajudado!

Por quem?
Alguém!

No caminho longo
encontrei de tudo,
coisas boas e más.
Pessoas
que me davam a mão,
pessoas
que me traziam no coração,
mas ele era artificial!

Uns
ficaram para sempre.
Outros
ficaram pelo caminho!

Eu
continuo o percurso,
caminho longo…

José Manuel Brazão

Soluços Trágicos dum Momento


O passado é uma longa espiral de sombras.O bom percurso não é aquele que nos prende ao que já não existe, mas o que nos deixa avançar, prosseguir ainda que essa caminhada de Luz nos cegue por completo...Sinto por vezes que estou assistindo aos meus erros e falhas como se fosse uma segunda pessoa e vivesse fora do meu Eu, da minha Alma, abstractamente fora de mim.Tempo é muito mais do que um relógio;O tempo é sempre o que queremos fazer dele, tal como o presente, é um presente que nos pode deslumbrar todos os dias;O futuro será certamente a mistura dos dois.Futuro é e sempre será o eterno enigma, impossível de adivinhar, impossível de prever, sempre condicionado pelo nosso presente, como um castelo de cartas que não podemos construir ao contrario...Eu precisei sempre de imaginar o futuro para viver o meu presente, necessito de sonhos, preciso deles pra viver, para amar, escrever e ser feliz, porque sou como todos os mortais, também desejo muitos e eternos momentos de plena felicidade.Nós as mulheres alimentamo-nos sempre profundamente do amor...Vivemos em amor, respiramos amor, com os filhos, com a família, com os amigos, com a natureza...Na minha dimensão de Mulher falta um tipo de amor que há séculos exaustamente procuro.Um amor supremo e incondicional por um Homem;Amor forte e muito seguro capaz de me proteger das crueldades e dos ódios;Um amor real, ao invés de um amontoado de sonhos em que vivo mergulhada quase desde que me conheço.Um amor que sei que algures no futuro espera por mim...

Luisa Raposo (Texto e imagem)

domingo, 5 de outubro de 2008

Aguardo-te


Sempre te escrevo,
sempre te entrego palavras
que adormecem ao vento.
Talvez algumas te beijem
na madrugada dos teus lábios
e outras te abracem
com o orvalhar dos teus olhos.

Não te chego, não te toco,
por vezes não sei se existo em ti.

Sei
que hoje encontrei o mar
que ouviu o silêncio de nós dois
e a duna que guarda
um segredo com asas,
num céu aberto e proibido.
Ambos se encontravam lá,
tal como eu, a pensar em ti.

Em breve estarei no teu olhar
e tu de mãos dadas com o meu sorriso.

Não sei se escorregaremos
em lençóis de silêncios
ou se nos tentaremos a mergulhar
neste mar que nos rodeia.

Aguardo-te
com o desejo de te voltar a ter em mim.

Vanda Paz ( texto e imagem )

Gratidão


Amigos, sempre!

Não é frase feita,
mas sentida,
por quem sabe
o que é o amor,
o carinho, a compaixão,
a solidariedade, a dor,
a tristeza.

Tudo isto
como coisas da Vida,
que nos contempla
ou nos entristece.

Nestas horas,
existem Amigos
e aparece a gratidão,
como uma virtude,
como uma atitude
que faz :
de amigos, sempre,
a frase perfeita!

José Manuel Brazão

Amigos, sempre!


Amigos,
já não passo
sem vós!

Cada dia
quando acordo,
sorriu
porque vivo
e por ter amigos.

Grande família
que me rodeia,
me conforta;
que me serena,
me dá forças,
acalenta
e me dá amor,
com seus gestos
e seus carinhos!

Que posso pedir mais?

Que Deus
me deixe continuar
o meu caminho,
sempre na companhia
do amor
e das amizades…

José Manuel Brazão

(Dedicado a todos que me têm acompanhado na Vida e mais recente aos Luso-Poetas)