Outros Blogs do meu grupo:

sábado, 2 de novembro de 2013

Dom... dom... dom...

Meu irmão tinha um violão
Não!
Um violão tinha o meu irmão
Ficou pior!!
Eu tinha um irmão que tinha um violão
Tá quase...
Eu tenho um irmão (ou será que não?)
Que tinha um violão...
Deixa assim...

Naquele tempo, a gente sentava na escada de casa
com alguns amigos
E enquanto ele dedilhava, a gente cantava
Alguns bebiam, outros fumavam
A maioria bebia e fumava
Eu não bebia, nem fumava... só cantava

Eram noites lindas de lua e estrela
Éramos tão jovens e cheios de sonhos
Ficávamos ali até de madrugada
Envolvidos pela música, pela lua, pela brisa
Só isso nos bastava

Naquele tempo, eu não gostava de poesia
Eu já gostava de escrever, mas nunca poesia
Mas ela já estava em mim
Naqueles versos que eu ouvia e que me encantavam
Naqueles acordes...
Talvez se tivéssemos continuado nos reunindo assim
Certamente a poesia teria se aflorado mais cedo em mim
Mas...
Um dia o violão ficou mudo...
Não!
Meu irmão ficou mudo
Também não
Acho que a nossa cantoria estava incomodando 
alguém lá de cima
Então, eu não sei, 
Esse alguém desceu e ao invés de levar o violão
levou meu irmão...
Nesse dia não tinha lua, nem estrela
Caiu uma chuva forte
Acabou a nossa alegria

O violão foi passando de mão em mão
Mas ninguém conseguia tocar nele
com a mesma melodia
Apesar dos acordes serem os mesmos...

Depois disso, já vieram e se foram
muitas noites enluaradas
Mas nenhuma como aquelas...

De vez em quando olho lá pra cima 
e ouço um cântico lindo
Acho que o levaram por isso...

regina ragazzi

Sem comentários: