Outros Blogs do meu grupo:

domingo, 17 de novembro de 2013

Ainda espero

ainda espero
a dobragem do caminho
amplo e aberto
em que se fazem as visitas a tantos
campos alheios a descoberto

ainda espero a nova fórmula
do desejo prometido
onde se vertem as saudades
do último encanto adormecido
entre o duro sofrimento
de uma morte
jamais aliviada

ainda espero o iluminar
coerente e intenso
que faça desenvolver novos pretextos
inovadores num transitar repleto
de inquietação
mas virtuoso nos seus desígnios

ainda espero o que nunca alcançarei
como num sonho imaturo
desmedido
tão imaginário
na réstia da moldura visível
que se afronta ao meu olhar
a cada segundo intemporal
de um tempo incontável

sem reveses
sem contemplações
sem palavras
em silêncio

ainda espero

António MR Martins


Sem comentários: