Outros Blogs do meu grupo:

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Disfarce

Em minha aparente nudez vou enganando a vida
Estou vestida de medos e angústias
Barreiras, escudos que criei e que me protegem
Posso até ser tocada, mas nunca invadida
Sou bicho arisco, me encolho toda quando acuada

Há uma porta invisível em mim que nunca se abre,
só quando eu permito...
Ainda assim tenho feridas que não cicatrizam
Elas ficam em mim como um aviso, um alerta
E se por qualquer motivo eu me arrisco,
 elas me sangram,me doem...então eu desisto
E assim aparentemente me dispo.


Regina ragazzi

1 comentário:

Ana Bailune disse...

Com a marca e a personalidade de Regina.
Muito bom, José.