Outros Blogs do meu grupo:

sexta-feira, 10 de abril de 2015

VANDA PAZ

Existe um borboletear no meu pensamento
Uma inquietude de mãos cheias de nada
Um remoinho de sentidos que se exaltam
Mas as palavras encolhem-se no olhar
E as frases escorregam pelo canto da boca
Enquanto os dedos saltam de folha em folha
À espera de um branco ausente
Tempo houve em que cruzei oceanos
Falei com as estrelas
Lutei com montanhas e sonhei ser mulher
Chorava com as nuvens, deitada na maré
Colhia o sorriso das crianças e sentia-me poema
As palavras corriam alinhadas de noite e de dia
Da dureza da vida fica o branco
Até à chegada voluptuosa da primavera
Onde o peito cresce e o sorriso alarga
E o frenesim dos dedos agiganta
Desenho sentimentos de cores garridas
Escrevo a saudade na madrugada
E de braços bem abertos recebo a poesia

Vanda Paz

Fico feliz pelo teu regresso à Poesia...


Sem comentários: