Outros Blogs do meu grupo:

segunda-feira, 28 de abril de 2014

Depois de ti...

Sonhei com um lugar
somente nosso,
onde vivessemos
olhos nos olhos
os silencios
dos nossos pensamentos.

Uma distância que nos separa,
uma vontade que nos aproxima,
um desejo que nos une!

Cada dia que passa
existe ansiedade neste viver
em que sabes
que o meu coração é teu.

E junto de ti
apenas desejo,
que o meu sorriso final
seja em teus braços ficar!



José Manuel Brazão

domingo, 27 de abril de 2014

No pulsar da tua Vida

Recordo todos os momentos
das tuas palavras desconcertantes,
sem limites de desejo
num perfeito sonhar
sem querer acordar,
mas antes acreditando
tudo ser possível
e nada impossível!

E assim te amei

nesse pulsar da tua Vida
em que tudo era libertação
de nossos corpos
em paixão ardente
e amor prazeroso!

Alguém “acordou” esse sonho

antes do teu tempo,
do teu momento certo!

Assim mal acordada

desse tempo,
que não viveste
com a tua plenitude,
criou-te a angústia, a ansiedade,
de hoje hesitares na atitude!

Agora revive:

descobre minha carne,
toca minha pele,
sacia-te em mim,
suga minha alma!



José Manuel Brazão

quinta-feira, 24 de abril de 2014

segunda-feira, 21 de abril de 2014

Nessa onda vem teu amor

Na praia da tua reflexão,
olhas o horizonte sem fim,
tuas mãos afagam a areia
como se fosse o meu corpo,
pulsando forte o teu coração
e teus pensamentos ardentes
vêm até mim, permanentes.

Teu olhar sempre no mar
que te chama e nessa onda
abraças e beijas
como uma lembrança
do teu amor
que chegará até mim
neste sonho concretizado
em felicidade prometida
e agora consumada!

José Manuel Brazão

domingo, 20 de abril de 2014

Nossa Casa...Minha Casa

Eu não me despedirei dessa Casa nunca
Porque ela não foi plasmada na terra
E nossas almas assim unidas
Despidas
Morarão nela pra sempre
Porque construída no coração
Da Poesia
Do Mestre Poeta
Que lá de cima
A fez revestida de cristal
Para que recebesse o impacto
Translúcido
Nítido
Indestrutível
Da própria Criação
E então em ciranda os poetas
Unidos se enlaçam
E a você Renato
Entrego
Este poema
Feito apenas de Luz
Somada
Irradiada por todos nós
Num imenso abraço
Plasmado em gratidão
.
Márcia Vilarinho -  Pra sempre

Como foi bom conviver com a Márcia nestes cinco anos...
Beijo de gratidão
do ZÉ


Ah! O AMOR

Sentimento que vive cá dentro
Faz da vida momentos de ternura,
Deixa saudades quando vai embora
Os olhos mareados ficam quando Adeus,
pois ele continua cá dentro...
Adormece no peito ,
fica quetinho, num cantinho escondido
e quando ressurge, vem recheado de paixão...
Eh! Sentimento que não se domina,
Do nada... Aparece, toma conta de tudo.
É uma tristeza, quando não correspondido...
Tão forte! Deixa-nos rendidos..
Ah! O Amor...
Abre os caminhos para a felicidade plena
Tão fácil sentir
Tão difícil esquecer
Ah! O Amor.


Su Simon

quinta-feira, 17 de abril de 2014

terça-feira, 15 de abril de 2014

Como vivo na Poesia

Como vivo na Poesia

Tão simples a minha vivência com e na Poesia!

Quando comecei a escrever poemas, admirado com o que estava a suceder-me naquela altura da Vida – sempre escrevi prosa – mostrei a pessoas autorizadas na matéria e uma delas disse-me: mas você tem um dom. O poema está muito bom! Continue e verá!

Assim, nasceu a poesia em mim!

Não mais parei, mas sempre com o pensamento que isto seria mais uma missão na minha Vida!

E por missão nunca recebi um cêntimo por publicações e colaborações neste mundo da Poesia!

Entendi alargar esta missão criando um Blog “No caminho das emoções” por onde passassem os Autores consagrados e Autores meus convidados tendo por objectivo apresentar poesia de qualidade e Autores que eu respeitasse e admirasse o seu trabalho!

O Blog foi criando uma dimensão tal, que nunca imaginei! Visitantes desde a China ao Brasil!

Muitos Colegas perceberam a minha intenção de divulgar ao máximo a Poesia,
Poucos não perceberam a minha ideia!

Interesso-me pelos muitos!

Em Janeiro de 2009 tive necessidade de criar o Blog “Poesia com emoções” para concentrar os meus textos e que já são algumas centenas”!

As manifestações de carinho, simpatia e até muita ternura vieram modificar no bom sentido, a minha tão simples vivência com e na Poesia!

José Manuel Brazão

2

domingo, 13 de abril de 2014

Na noite fria

Se encolhia todo num canto
 O corpo cansado tremia
 No rosto a palidez
 No peito nenhuma alegria

 Dormia sempre ao relento
 E naquela noite tão fria
 Veio chuva e rajadas de vento
 Destruindo o pouco que tinha

 Era tanto o sofrimento
 Que a Deus ele pedia
 Um pouco mais de piedade
 E a morte que alivia

 regina ragazzi


quinta-feira, 10 de abril de 2014

Tudo se resume a nada

Incompreensível é a voz
Que vive no fundo de mim
Vinho derramado e quente

Inquieto é o sabor
Do próprio pensamento
Mãos fugazes e ausentes

Tudo se resume a nada
Ao nada que persiste
Ao nada que faz o caminho

Que se agiganta
Que não para
Que não termina.

Vanda Paz


quarta-feira, 9 de abril de 2014

Amor por ti

Amo-te
e sempre te amarei!

Somos
um para o outro!
Tu mulher de paixão
eu suando amor,
dá um grande amor!

Vivemos este amor
em nossos silêncios,
com sofrimentos,
com lutas interiores,
mas com corações
entregues a este amor,
arrebatador,
lindo e profundo!

Sofres muito
por mim!
Vês duas pombas a voar
e acenas para a favorita!

A da Paz!

Já poisou
muitas vezes no teu ombro
e tu choras
por tanto carinho
e por não a levares contigo!

Sabes
que ela voltará
todos os dias,
à mesma hora
e aparece a tua alegria
dum amor vivido,
conquistado!

Continuamos
os nossos silêncios,
sempre com saudade,
até ao momento
em que este amor,
será amor eterno …

José Manuel Brazão

segunda-feira, 7 de abril de 2014