Outros Blogs do meu grupo:

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Infindo delírio


Ah, infindo delírio
Anseios de carícias e beijos...
Ardentes e apaixonados.
o teu desejo é sempre o meu desejo
Vem... Exorciza-me!

Perco-me no labirinto
desse jardim que é só teu
toco cada flor delicada do teu corpo...
Sinto o aroma inebriante do cheiro...
- Que exalas-
Mergulho nas pétalas orvalhadas das flores
desse vergel perdido no tempo...

Escuto-as chorar nessa terra lavrada pelo pranto
garoa incandescente e mágica
das manhãs invernais...
E no silêncio que grita
estremecendo-me docemente
Sinto-me seduzida, acariciada... amada...
Enlouquecida!
Sedenta de querer sorver…
todo este amor que me tens pra dar...

celina vasques 

Família

Falar de família, é não falar de muitos, é apenas falar da minha mãe e de pessoas amigas. Não tive o privilégio de ter uma família convencional, mas tive uma mãe capaz de educar uma filha que pudesse enfrentar o mundo.


Dias atrás, perdi uma tia que tive pouco convívio, mas que me aproximei sem pedir licença, sem falar nada para a minha mãe. Queria evitar mais problemas na família, que por hora, anda em guerra desde que o meu avô materno faleceu. Bem, qual é a família que não se estranha? Sempre tem uma guerra, um mal-entendido que ninguém dá o braço a torcer para rever os motivos.


É por estas e por outras que escrever sobre família, é como se tivesse dando um tiro pela culatra. Ao menos sei que a minha parte fiz. Se necessário, sempre farei o que for possível. Obviamente, hoje tenho a minha própria personalidade, os meus ideais, e se precisar ignorar qualquer parentesco que não faz nenhuma diferença, eu ignoro. Pois, aprendi que não sou saco de pancada para ficar levando soco de quem nunca esteve ao meu lado.


A família para mim é a minha mãe e as pessoas que tenho apreço... Na falta da família, procuramos substitutos. Sem falar das famílias adotivas que fazem um importante papel na sociedade quando pais irresponsáveis abandonam seus filhos. É claro, que nesta eventual “fatalidade”, sempre terá os dois lados da história.


Falar da família é mexer no íntimo de cada pessoa. Família é um alicerce intocável em muitos casos.

Graciele Gessner

Flores da tua alma


Noite muito linda
para jamais esquecer!

Um sonho tranquilo,
sereno e colorido
como jardineiro
das flores da tua alma!

Tenho muito amor
por essas flores viçosas
e formosas
que vivem em ti na tua alma!

Nem precisariam do jardineiro,
porque são diferentes,
com um aroma especial,
não precisam de água,
apenas se alimentam do carinho,
da ternura que lhes dou!

Será sempre
o jardim do meu encanto
e tu Mulher com essa alma
reflectes em mim
um amor como nunca tive
por sentires tudo o que te dou
e às flores da tua alma!

José Manuel Brazão

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Desvendando mistério


VONTADES

Esse meu gênio inquieto
Deixa-me fascinada por tuas manias
Essa agressividade louca
de gostar de frases de efeito
me alucina.
Curiosa por ouvir-te
fico insaciável.
Surpreende? Surpreendo!
Atração pela força do pensamento.
Querer desvendar seus mistérios
entrar nas entrelinhas de tuas memórias
Me prende. Me apreende.
Tudo me atrai pra você
Então lembro:
São apenas vontades.

Sueli Rodrigues

Sinto na alma a ânsia de navegar


Olho este mar imenso
e sinto na alma
a ânsia de navegar
nas águas profundas do teu ser!

Antes fui porto de abrigo
do nosso amor,
hoje és tu o porto seguro
que acolhes meu corpo
e não hesito em navegar,
quando a saudade vem visitar
e ainda não conseguiu apagar
a tua imagem e o teu olhar!

José Manuel Brazão


segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

No recanto da tarde


Hoje saí dos lábios da chuva e fiz-me rosa desfolhada ao vento
Prendeu-me a alma o cheiro da terra molhada que me humedeceu o olhar
É no recanto desta tarde cinzenta que me elevo aos sonhos
Carregando comigo esta vontade de me ausentar de tudo

Da boca nascem notas quase surdas que encantam o silêncio
Enquanto os braços aconchegam as horas que correm para a noite

O pensamento regressa do livro no desfolhar de cada página
E pára na sombra do domingo que se agiganta para uma nova semana

Uma tarde calma em contraste ao agreste da vida lá fora
E ao carrego da responsabilidade de viver dentro de nós

Da janela vejo o rio espalhar-se no mar e fazer-lhe tranças brancas
Que crescem e se desmancham em cada onda

A chuva vai beijando devagar o vento espalhando a serenidade nas marés.

Vanda Paz



domingo, 27 de janeiro de 2013

O amor dos amores


Amores que entraram
e ficaram em mim
como se fossem eternos!

Vivi cada um
me dando de corpo e alma
esquecendo a vida,
a minha vida,
sonhando
e vivendo esses amores,
como se fossem os únicos,
os mais belos
com entrega,romantismo,
beleza e emoção...

Todos guardados
em mim
neste coração infinito
que não abandona
quem amou e ama
e levará consigo
após o sorriso final,
o amor desses amores!

José Manuel Brazão

Amor impossível?


SEGREDOS

Ah! Esse amor que invade meu peito
transforma meu mundo,
invade a alma...
Tão bom vivê-lo.
É néctar para a vida.
Aquece o coração.

E aquela sensação
de proibido, pecado...
deixa-nos sem chão.

Ah! amor
se proibido não fosse,
viveria cada momento
feito realidade.

Mas é amor impossível,
viverei-o em meus sonhos
sentindo cada minuto
meu coração batendo mais forte;
Como se amar-te não fosse errado.

Ah! amor impossível,
mas não menos belo
que o amor vivido.

Afinal... Nada é impossível!

Sueli Rodrigues

Paraíso


Sonhei paraíso
Voar até as nuvens,
pisar de leve estrelas
E o que me vem
são horizontes sem cores
e nuvens negras
tocando águas turvas,
impedindo meu voo

As águas me chamam
Me fazem promessas
de azuis profundos,
de abismos/paraisos
Por um momento vacilo
E  quase mergulho...

regina ragazzi

sábado, 26 de janeiro de 2013

Márcia Fernandes Vilarinho Lopes [Poeta Brasileira]


Márcia Fernandes Vilarinho Lopes, brasileira, viúva de um grande amor, vem de uma família em que a literatura preponderava. Filha de jornalista, desde muito cedo, aprendeu o valor da reflexão, da troca de conhecimentos, da pesquisa, da observação e da expansão de cada ser. Apreendeu, com tudo isso, que seria, como é, eterna aprendiz. Caminhante das estradas postas na vida, em trilhas em que o destino parece construir, acabou por se acidentar quando se valia de um táxi, em 1980, passando a usar um tipo de sapatos diferentes, quer seja uma cadeira de rodas, que muitas vezes se transformou em cadeira de rosas, tal a grandeza de amor que experimentou, de e por seu marido, de e por seus amigos, de e por seus familiares, pais e irmã. À época dos fatos sua primeira filha estava com 10 (dez meses). Sete anos após o acidente, em fruto de amor gerou e trouxe ao mundo o segundo filho. Mãe da Graziela e do Tiago, pois, muito com eles aprendeu e muito a eles ensinou, na troca que a vida representa para o crescimento. Viúva desde 1997, quando trancafiou no guarda roupas do quarto de dormir, seus sentimentos pessoais mais valiosos. Foi membro da direção do Grupo Escoteiro Nove de Julho, formado por pessoas especialíssimas, entre quem o seu filho. Praticou, com o companheirismo de todos, várias trilhas naturais, tanto em cadeira comum, como em cadeira motorizada. Participante ativa do Movimento pelos Direitos das Pessoas Deficientes, esse o nome então, de 1980 a 1985, inaugurado com a Carta Programa da ONU, procura levar, por onde passa, de maneira prática e objetiva a naturalidade com que as pessoas acidentadas devem viver, sem ter a vergonha de ser feliz, como diz a melodia, vencendo barreiras arquitetônicas, tanto quanto vencemos, todos, as diferentes barreiras que a cada um sói acontecer. Acredita que ser diferente é o normal, no sentido reflexivo da frase.

A autora é membro da Academia Virtual Brasileira de Letras e da Casa da Poesia.


Entrei pela noite


Entrei pela noite
 De mãos cheias
 De vento
 Abracei o vazio
 Afoguei-me no tempo

 Estendeste-me o silêncio
 Agarrei-o
 Com esperança
 Mostraste-me o caminho
 Com olhar de criança

 Colhemos prazeres
 Transformámos
 Os corpos
 Arrasámos a vida
 Em poemas já mortos

 Percorremos o sonho
 Em desenfreada
 Loucura
 Encantámos futuros
 Esquecendo a amargura

 Acordo agora
 A transpirar o que fomos
 De lágrimas escorridas
 Na realidade de quem somos.

Vanda Paz

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Um coração só nosso


Um amor assim,
vivido e alimentado por nós,
só de quem ama com alma!

Um amor
no tempo em silêncio,
na memória do tempo,
com lágrimas guardadas na alma
e outras escondidas na sombra da Lua!

No resto do nosso caminho,
até final desta vivência,
amar-te-ei para sempre,
meu coração é teu
e sabes disso!

José Manuel Brazão

[...]

Tanto sei que é meu seu coração,
que para sempre, hei de amá-lo!
Não deixarei nem veneno bom dentro dele,
para que seu pranto seja melodia.

Essa vivência não findará,
Pois as lágrimas guardadas na alma
E as outras escondidas na sombra da lua,
deixarei que rolem até os lábios
Para selar esse amor terno e infinito.

E o resto do caminho será  luz.
O amor assim vivido
transpõe fronteiras
E no final ter a certeza
Que o meu coração também é seu
E esse amor será para sempre!

Sueli Rodrigues



Deve ser amor


DEFINITIVAMENTE

Deve ser amor
esse sentir sem sentido,
essa felicidade sem nome,
esse desejo insaciável...

Deve ser amor
essa pele arrepiando
quando lembro seu nome,
quando ouço sua voz.

Deve ser amor
Essa emoção no peito.
Essa ilusão na mente.
Esse querer sem poder.

Só pode ser amor...
Esse sentimento,
assim, sem sentido...
Belo, natural, lindo!


Definitivamente...
Não pode ser medo,
esse sentir que alegra o coração...
Definitivamente. Só pode ser amor!

Sueli Rodrigues

O pássaro e a flor


Logo pela manhã
o pássaro
voava por esse céu
ao encontro do amor!

A flor
todos os dias
esperava por aquele momento
de encantar com o seu aroma!

E quando se dava o encontro
ele com melodias de canto
e ela abria suas pétalas de amor
para um abraço de ternura!

Assim vive a natureza
doando cânticos de amor!

José Manuel Brazão

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

O amor viverá sempre em nós!


Vivemos um ontem
como se não houvesse tempo,
mas todos os instantes foram encanto,
e hoje distantes existe o espanto
da ausência com uma presença desejada,
em que ambos pensamos
que o amor viverá sempre em nós
como raízes profundas duma árvore especial
a Vida ...

José Manuel Brazão

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O tempo passa e o amor fica!


O tempo vai passando
e este amor vai ficando!
Vivemo-lo no nosso silêncio,
com encontros e desencontros,
mas sempre com carinho,
com a vontade que ele não morra!

Vigiamos atentos
a chama desse amor,
que brilha como o Sol,
aquecendo o nosso abrigo,
o nosso ninho de amor!

Temos caminhos a trilhar.
mas sempre paralelos,
em que nos avistamos
e desejamos um dia
abraçarmos nossos corpos
sedentos de amor
e não mais estarmos distantes!

José Manuel Brazão

Dor das dores


Saudade dor das dores...
Corta, dilacera, divide
a vida em metades
que parecem jamais se encontrar...
Esperemos que a eternidade
nos una em um dia pleno de sol!
E então, neste lapso de tempo,
terei novamente teus olhos cravados
em meus doces olhos...
E esse amor que insiste
em não acabar, enfim, terá valido,
pleno de energias muito puras!
Tua por toda a eternidade
desse infindo Amor.

Celina Vasques

domingo, 20 de janeiro de 2013

Labirinto romântico


Dueto eterno



É quando me agarras as palavras
pela cintura
e me envolves na dança de um poema
que me desarmas.
Em tom de tango
contornas-me o corpo
e resgatas-me a alma
num movimento sublime e intenso.
O fado dos teus lábios nos meus
é o dueto eterno em que navegamos
neste rio onde te recebo ao sabor da lua.
Tenho sede de ti.
Seca-me a voz quando te respiro
e te sinto ancorado
naquele miradouro à procura de nós.
Não me deixes agora,
devolve-me a esperança
de encontrar aquilo que fomos
e juntos despertarmos o abraço,
o beijo e o prazer de sermos um só.

Vanda Paz

sábado, 19 de janeiro de 2013

Partiste...


...E tu foste de mim
Levaste o amor que te dei
os momentos felizes e das noites
o esplendor da lua... As estrelas e a minha alma nua...
Arrastaste o brilho do dia e o perfume de todas as flores...
Sabe não deixaste nada
levaste contigo minha essência impregnada...
e o meu coração apaixonado.

Celina Vasques

Sonho no teu sonho

Sonhas
como alimento da vida!

Sonhas
com o amor ideal
e paixões vagueantes,
palavras sedutoras
em noites delirantes
de prazer sem fim.

Sonhas
por mim,
com o mistério
de ser quem sou
e de não me teres.

Sonhas
em cada noite
o amor que desejas,
o amor que esperas,
com o teu coração,
suspirando entrega.

Sonhas
delirando amor,
muito amor!

E eu sonho
no teu sonho!

José Manuel Brazão

Alenquer


Venham poetas
ver a minha terra
vislumbrem o seu cariz natural
o aroma fundamental
das colinas a dançarem
nas margens do rio...

Olha terra minha
para os poetas
descendência involuntária
de Camões
que por aqui passou
inspirou versos dos Lusíadas...

Chama a ti a cultura
acolhe no teu seio
as poesias de aquém e além fronteiras
para despertar os filhos da terra
a infinda beleza da literatura
que os dias de hoje escrevem
e ficará para lá do efémero...

Venham todos à minha terra
façam dela uma realidade na quimera
respirem o presépio eterno
nela plural estado antes da Primavera...

Terra minha
beija a inspiração dos poetas
com a tua alma de paixão
aberta na ilusão
de realizar a união aqui e além
toda a criatividade de uma humanidade
que das palavras faz a diversidade
na fonte da fantasia ...

Ana Coelho

Uma alma amanhecendo


Hoje meu dia amanheceu triste
Talvez seja o sol que não apareceu
Cai uma chuva fina lá fora
Em mim escorrem rios de lágrimas

Minha alma se encostou a um canto
Não quer mais sair de lá
Tenho pena dessa alma que chora
E nem sabe quando vai parar.

regina ragazzi

[....]

O nosso amanhecer será radioso,
nascerá dentro de ti
e passarei a vivê-lo!

O anoitecer não o verei,
esquecerei!

Nosso amor estará vivo,
com o amanhecer,
após outro amanhecer…
… e assim será…
até sempre!

José Manuel Brazão


sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

Confissão


Pequei,
Quando amei menos
Do que deveria amar
Quando doei menos
Do que poderia doar
Quando fechei os olhos
Só pra não enxergar
Pequei,
E levo meus pecados
Como sombras apoiadas em meus ombros
Cochichando aos meus ouvidos
O tempo todo a me lembrar
Pequei, sim,
Eu confesso
E agora a culpa que carrego
Não me deixa descansar

regina ragazzi

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Um coração que canta e encanta


Existe o dia e a noite
nesta nossa vida
de amor
num só corpo e alma,
alma gêmea!

Teu coração
pulsa, canta
e encanta
com hinos de amor!

Na memória do tempo
ficará esse amor
que ele derrama
e eu recebo e guardo
como presente divino!

Por ti e em ti
ficarei em teu colo
ouvindo sereno
esses cantos
e encantos
das tuas melodias de amor!

José Manuel Brazão

Mesmo assim...


Um verso de água
brotava da neblina inflamada.
Sôfrego
bebia o azul do mar
até lhe sobrar apenas o incolor.

Os olhos sabiam do abismo do mar
e sabiam do delírio do verso
que voava rente à fluidez da espuma.
Sabiam ainda que o azul não ressuscitava.

Mesmo assim
entre línguas de areia
o verso surpreendeu os lábios
num beijo de cristal.

E o verso naufragou.

Marta Vasil

EU


Eu,
Adulta, dotada de instrumentos
cognitivos evoluídos, madura,
racional, ciente da impossibilidade total
de ter seu corpo  pulsando sobre o meu.

Mas meus poros nada entendem de abismos,
nem ausências.
Minha pele não sabe de  privações.
Minha carne  não concebe distâncias.
Meus instintos são libertos de prisões.

O suor escorre em prece,
O cheiro evapora lembranças
descompassando o coração
E minhas sensações caminham
 na contra-mão da razão.

Sandra Freitas

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Espero...


Espero
que este amor verdadeiro
viva além da Vida
e além do amor!

O nosso vento amigo
leva as minhas saudades
e traz-me de ti
essas lágrimas  de nostalgia!

Só espero
o tempo seja tempo
de avivar
os nossos momentos lindos
guardados em nossos peitos,
nunca esquecidos
e sempre lembrados!

A vida inteira será pouco tempo,
mas ainda espero!

José Manuel Brazão

A medo


Murcham as pétalas das rosas pela ausência dos beijos
E chovem as lágrimas do céu pela ausência da esperança
Enquanto na terra nasce um lago de um intenso vermelho
Com peixes de asas brancas que nadam e voam ao sabor do sonho

Os ramos das árvores cantam a neve fofa e fria
E as mãos crescem ao vento pelo grito que bate contra a montanha
Enquanto a floresta acorda num verde raiado de sol que se espreguiça da morte
Com o rio a escorrer do leito para um (a) mar desconhecido

Os passos recusam o caminho pelo cansaço das promessas
O corpo cego pelo passado descobre um futuro vendado pelo medo

Enquanto o olhar brilhante e o sorriso inquieto avançam mais um dia.

Vanda Paz


terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Espero-te!


Todos os dias,
espero-te.

Passam as horas,
parecem-me longas!
Chegas, dizes-me “olá”,
dás-me um beijo
de amor e de saudade.

Sentas-te no chão
e poisas a cabeça
no meu peito;
pedes-me mimos
e eu dou!

Sou homem de paixão
que olha para ti
e emociono-me
pela beleza que mimo;
acaricio o teu corpo,
ficas serena,
olhas para mim
e vejo os teus olhos
brilhantes, húmidos
e com lágrimas.

Que tens?
Sorris e dizes-me:
São lágrimas de amor
e de alegria!

Também preciso de ti
e espero-te sempre…

José Manuel Brazão


Tempo perdido


SONHOS INTERROMPIDOS

Encontrei o tempo perdido,
todo arrependido
por me deixar esperar...

Encontrei-o partindo
sem rumo, sem carinho
encharcado num rio 
da tristeza de um olhar...

Teve sonhos interrompidos,
bem no momento 
em que a paixão explodia...

Não leu os versos apaixonados,
amorosos e carinhosos...
com nossos segredinhos
cravados nas entrelinhas...

Não entendeu que 
os melhores sonhos
são vividos de dia.

 Seguiu seu caminho
sem rumo, sem destino
tentando resgatar 
um amor perdido...


Sueli Rodrigues

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Apenas um instante


Um instante no tempo...
Quando todos os meus sonhos não mais
Tiverem uma resposta ao meu destino...
Quando meus olhos não mais brilharem
Quais fogueiras queimando
chamas de amor desconhecidas...

Se eu jamais souber se tu
me amaste como eu
Amei-te e amarei até o fim...

Quando eu já não tiver notas
Musicais a embalar minhas

canções de amor...
Quando os meus poemas não
mais tiverem rimas
Só peço um instante ao tempo...
Para que eu possa conhecer
a eternidade e deixá-la
Nos meus mais profundos versos
e se não tiveres partido...
Amar-te ainda neste
último instante de vida!

Celina vasques

Virá



Abro a janela dos meus sonhos
Por entre as frestas, arriscam-se luzes
Desejos cintilam em azuis violáceos
Arrisco uma nota sol em meu vilolino imaginário
Estrelas cadentes pousam neste instrumento
Então, nada mais causa-me tormento
A voz do vento a susurrar
Eternizado em nosso bailar
Pedaços de uma vida solidária
E, hoje vejo, nada solitária
Ver vir o sentimento inerte
Agora, sim, sempre
É querer queimar-se em fogo brando
É saber-se nascida para doar
É saber que virá
E virá, e virá...
De ti, quero o corpo e o alento
De resto, quero-te em mim.

Luciana Silveira

Diz que me amas!


Deixa-me em teus braços em silêncio,
E minhas mãos a percorrer teu corpo a te descobrir,
Encanta-me fascina-me arrasta-me para junto a ti,
Me faz caricias coloca-me no teu colo e me beija.

Deixa-me aninhar em ti, me veja em risos de amar,
Embala-me bem de mansinho no teu respirar,
Diga baixinho as mais doces palavras de amor,
Faz meu coração palpitar e diz que me ama.

Angélica Mattos
em participação especial

domingo, 13 de janeiro de 2013

Fome de horizonte


SEUS OLHOS

Seus olhos tem fome de horizonte...
Observam tudo.
Captam tudo.
Tem fome de vida, luz, sedução.
Quando encontram o horizonte
se perdem na miragem,
contemplam o fascínio
oriundo do esplendor.
Consomem maravilhados
o céu, a terra e o mar.
Se alimentam da natureza.
Fonte de vida doada pelo universo.
Seus olhos tem fome de horizonte
à noite, um alimento leve:
Uma brisa de vento
e o brilho dos vaga lumes, da lua, das estrelas...
Seus olhos tem fome de horizonte...

Sueli Rodrigues

Se tu me amasses


Ah! se tu me amasses
eu seria a vela que o vento sopraria
no mar da tua paixão...
eu seria a ventania nas noites de chuva
e no inverno te daria as cores da primavera

Ah! eu faria versos
seria poeta
só para agradar-te...e nas rimas
nas minhas humildes rimas
te diria desse grande amor que vive em mim...
(faz tempo!)

Ah! Se tu me amasses eu seria todas
as flores dos jardins
e ao te ver passar soltaria todas as pétalas
para que te cobrisse de aromas mil...não há versos
que exprimam essa paixão!

Ah! se tu me amasses eu navegaria por entre mares
não me importaria com as tormentas no oceano
seria levada pela brisa como canções de amor ...

Ah! se tu me amasses nunca mais eu sofreria...
seria feliz para os restos de meus dias....
essa força que transborda...essa sensação
que estremece em mim...
poderia ir além do tempo...e dizer-te
eu hoje posso tudo...eu tenho a ti! 

Celina Vasques

Delírios


o fim de tudo ficaram as sombras do que não fui.
E são elas que me atormentam, me dizem dessa vida única
Nesse mesmo corpo com braços e pernas
E esse rosto que jamais será o mesmo em outra vida qualquer
E me dizem do que não fiz
O que passou...passou...
Não se volta aos 10 , mas pode se chegar ao 100...
Pra que 100?
Sem jeito, sem graça, sem vida, sem nada...
Ah, essa febre que não passa...delírios...


regina ragazzi

sábado, 12 de janeiro de 2013

Voltarei...


Pensei em voltar
Retomar as rédias da minha
felicidade...

Deixar de lado a maldade
e me entregar...

Pensei voltar
Sentir os ecos da poesia
e causar
sonhos e fantasias
que embalam a vida...

Pensei voltar
Pra junto dos versos,
e dos ecos das palavras...
Que tanto me fascinam!

Ah! pensei voltar
dar sentido aos sentimentos,
ao amor e a esperança...

Então penso
como é difícil
ficar longe de um amor,
mas mais difícil é a dor
de ser incompreendido...

Então, digo
Voltarei sim...
Assim que tiver
certeza...
Que será só felicidade...
Me aguarde...
Estou voltando amor...

Sueli Rodrigues


 [....]


Sinto na minha alma
o eco das tuas palavras,
palavras vividas
sofridas por uma vida
sem sentido,
sem amor,
mas com esperança!

Vida por viver,
mas sonhada!

Através dos sonhos
de cada dia,
constróis os castelos
do carinho, do amor
que deste,
mas não recebeste!


Sinto ainda
o eco das tuas palavras
envoltas em lágrimas
que lavarão o passado,
para olhares o futuro,
com ansiedade...

Meu amor
não aguento mais
Estar longe de ti;
Voltarei sim
com o direito
à nossa felicidade!

José Manuel Brazão

Por te amar tanto!


Noites agitadas que passo
com tua imagem presente.
Relembro a tua vida,
a nossa vida:
que já não é como antes;
acompanhavas-me,
escutavas-me,
parecias feliz!
O tempo avançou,
nuns dias pareces triste,
atormentada,
noutros, pareces serena,
como se tudo estivesse bem!

Por te amar tanto
minhas noites são agitadas,
não descanso
por te ver assim,
por estares longe de mim,
por não ver teus olhos:
que me escondem
o que te vai na Alma!

Por te amar tanto,
meus braços estão abertos,
para conforto do teu corpo
e do teu amor!

José Manuel Brazão


Um desejo confuso


Ao anoitecer, as vozes da saudade sussurram,
Vem do vento, sustentando o voo dos pássaros.
Durante uma temporada de inverno,
Decidi explorá-lo mais de perto.

É setembro, é segundo domingo do mês,
Uma rosa silvestre mostrou-se exuberante!
Assim que o lago fica mais quente,
A floração é frequente.

Descobri que há um pequeno bosque
E viajo pelos meus pensamentos, imaginando.
Quando estipulado o tempo que resta,
Torço que seja uma corrida de tartaruga.

É um desejo confuso, obscuro.
O sonho desta deliciosa fantasia
Quero que se torne realidade;
Duas almas tornem-se apenas uma.

Graciele Gessner.

sexta-feira, 11 de janeiro de 2013

Num amor, só amor!


Meu coração
vagueou
por aqui, por ali
esperando um afecto,
uma palavra, um consolo
um futuro amor!

Mas encontrei-te
sorrindo como um Sol,
iluminando meu coração
e tu atenta sem hesitação
de braços abertos avançaste
para mim e abraçaste,
não mais ficámos longe!

A vida permitiu
nossos corações
de novo pulsarem,
num amor, só amor!

José Manuel Brazão

Livre


Livre como o sol
A alma
O sorriso e os abraços
O olhar
As minhas mãos
As palavras e a voz
O poema
Para ti
Na direção do sopro
Ao encontro da pele
Um beijo.

Vanda Paz

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Sem ti!

A minha vida
sem ti
não faz sentido!

Amo-te
como nunca amei,
está em mim
como parte da minha vida!

Amas
e vives esta paixão
sofrendo,
cada hora, cada dia,
como se houvesse
apenas presente!

Nosso amor
é uma rosa viçosa,
Cuidada em cada dia,
e só morrerá,
quando nós também!

José Manuel Brazão






Nenhum mal é pleno


Retire  tuas mãos do fogo
E torne tua voz bem doce
O que te anseias é todo dor
Nenhum mal é pleno
Quando se tem amor
O que doas...te volta em dobro
Retire tuas mãos do fogo....

regina ragazzi

Longe de mim


DISTANCIA-ME

Tire de perto de mim
seus recalques,
suas angústias,
seu preconceito barato.

Leve pra longe daqui
Sua falsa verdade,
seu sonho de mentira
sua depressão enganosa.

Quero distância
de tolos ciúmes,
de gente infeliz
de donos do mundo...

Pensas que sabe tudo,
porém seus segredos
são falsos.

Aqui, só entra
amor, paz e harmonia...
Tudo que proporciona prazer,
volúpia e felicidade...
Esse é meu jeito feliz
de viver sonhos e realidade!

Sueli Rodrigues

Ouves-me...


A minha voz
ecoa na tua mente!

Pensas
nas minhas palavras;
o meu coração fala
e tu escutas!

Reflectes
e achas a razão;
compreendo-te
e tu ouves-me…

queres responder,
mas tens medo de te perder!

José Manuel Brazão


Destino em flor


Flor formosa vaidosa e amorosa
Que em terras exatas transforma-se 
Desabrocha de tão bem cultivada
Flor de vários formosos nomes
Como se fosse desde sempre...esse
Que não me canso de ouvir quando sussurrado
Cresce minha alma quando fecho meus olhos 
Resgato a essência do que sempre fui
E me ergo em face e  sorriso 
Para profundamente respirar 
Injetar vida ao meu espírito
Sair sem rumo certo
Simplesmente sair por aí
Quem sabe encontrar meu caminho reto
De dedicar meus dias, meus sonhos e versos
E ser cuidada com o esmero que mereço
E claro...espero!
Povoar de belezas singelas
Minhas manhãs chovosas ou de sol
Com todas as janelas bem abertas
Sentindo respingos, ou dourando a pele
Aquecendo todos os sentidos
Em um dia, e mais outro...imensidão
Com cada coisa em seu lindo lugar
Muitos recantos com arte
Paredes para apreciar
Isso é predestinação abençoada
Paz bem no meio da alma e da cidade
Desfrutando o tempo que se apresenta inteiro
E enfim se esqueceu de mim
Simplesmente me deixou existir
Agora vou viajando no barco da vida
Como que no embalo das marolas
E do porto, de onde hoje parto
Espero uma hora destas aportar
Buscando chão firme e bonito para pisar
Lugar que quero conhecer, desvendar, desfrutar
Para onde eu tenha sempre vontade de ficar
Para onde eu queira sempre voltar.

Beatriz Prestes
em participação especial