Outros Blogs do meu grupo:

domingo, 30 de setembro de 2012

Tão só...


O que me trouxe a noite
foi uma tristeza profunda
Uma solidão absurda
e inexplicável...

Eu sei que vai passar
Mas é tão ruim...

Escuto tantas palavras
Não digo nenhuma palavra
Guardo tudo para mim

Depois fico assim
Precisando de um ombro
De um consolo
De alguém que cuide de mim

regina ragazzi

sábado, 29 de setembro de 2012

Ventos do tempo


Escrevo palavras
de insônia
de sonho e infinito..
algemado desejo
levado em agonia..
Doce ironia..
Que caminhar deixa
repetida sinfonia
sem tons ou harmonia?

Rima de ventania
que leva a vida
em tempos
de calmaria..
Sabe-se talvez
que a tirania
da vontade
animaria..

Deitar ao chão
o amor e a dor
tentando reviver
a pele e o coração
que arde..

E que não seja tarde..

Ingrid Caldas

Abraçando a solidão


Por vezes nem estamos sozinhos, mas nos sentimos como se estivéssemos. O abraço da solidão nos envolve, e nem se quer percebemos. Quantos mais deixaremos ser abraçados pela solidão?

Quando estou escrevendo ou tentando colocar algum sentimento no papel, vejo-me abraçada com a solidão. A solidão tem o dom de acalmar a minha agitação e, assim, a quietude me permite escrever.

Há algo que todos ou quase todos vão concordar, nascemos e morremos sozinhos. Só vivemos sozinhos porque escolhemos esta situação.

 Um abraço solitário...

Graciele Gessner.

Eclipse


FEITO SOL E LUA

Nosso amor é assim:
dois astros a brilhar
no mesmo céu azul.

Um ilumina o dia 
O outro embala os sonhos

Nosso amor é assim:
respeito um pelo outro,
brilham a sua maneira
sem ofuscar o brilho do outro.

Nosso amor é assim:
às vezes um eclipse total
a lua a encobrir o sol
ou sol a encobrir a lua
numa explosão de amor

Eu e você
se amando noite e dia
feito a lua e o sol
dividindo o mesmo céu.

Sueli Rodrigues

Canção inacabada...


Eu sou uma canção inacabada
Nas notas do meu piano...
De uma melodia triste... Tantas vezes tocada...

Perdi-me…
Nos versos que guardei para a poesia
E encontrei-me ao escrever estes reversos...
Na manhã submersa de névoas onde
O ocaso teceu seu disfarce

Abrem-se os segredos nas lembranças...
Vence o abandono das memórias...

Meu olhar marejado vê
Deslizar suavemente as últimas
Gotas de lágrimas... Que brotam docemente
No silêncio da saudade dessa alma magoada.

O tempo prosseguirá... Implacável...
Sentimentos do querer deste coração... Desprezado!

celina vasques

No embalo da canção...


No embalo da canção
Levarei meu corpo...
Dançarei nesta sintonia
Sentindo toda emoção.

Nesta dança,me despedirei
De toda tristeza e dor
Ninguém me segurará
Em cada passo o amor.

Toda emoção será sentida
Toda vibração será vivida
Te convido vem dançar?
Sinta também esta emoção
Entre no embalo desta canção.

A dança cura a alma,
Ela traz a calma...
Tira toda angústia e desilusão
E acalma o coração.

Vem... vamos dançar?
Acompanha-me...
Pegue minha mão..
Viajaremos neste embalo
Neste mesmo compasso.

Já me sinto tão bem!
Vem você também...
Deixe as tristezas de lado
Da uma vibra nela e jogue-a
Pra bem longe,para o além.

Vem...Vem, você...Também?
Que alegria,que emoção
Amei essa canção!

E sempre,sempre...
Quando triste estiver
Com coração ferido machucado
Lembrarei desta dança
E dançarei como se você
Estivesse ao meu lado
Te amo meu amado.

Belarose


Entregando o coração


Adormeço sonhando
com o eco das tuas palavras,
num amor que não morre!

Amanheço com o Sol
raiando em mim,
e deixando o calor
do teu corpo desejado
nestes momentos de entrega
do meu coração ao teu encanto!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Talvez eu possa!



Posso não te ver neste instante,
Mas sinto-o perto de mim.
Posso não sentir o seu cheiro,
Mas as lembranças me fazem recordar.
Posso não estar ao seu lado agora,
Mas os meus pensamentos me levam até você.
Posso não sentir seus lábios,
Mas em meus sonhos beijo-te ardentemente.
Posso não declarar os meus sentimentos,
Mas o que vem do coração é sincero.
Posso até um dia dizer adeus,
Mas confesso que vivi grandes e pequenos momentos.

Graciele Gessner

quinta-feira, 27 de setembro de 2012

Quem ama



Quem ama
não mente,
luta decentemente!

Só chora
e sente,
na procura
de ser gente!

Quem não luta
decentemente,
é porque mente
e não é gente!

Assim como
quem escreve
o que sente
e não mente!

Quem ama
decentemente,
vai à luta,
vai amar
eternamente!

Cristrina P. Moita

Não te quero só!


Chega até mim
o eco das tuas palavras
o pulsar do teu coração
o cheiro do teu corpo
a Luz da tua alma!

E por esta nuvém de amor
envio o conforto para a tua dor,
dor que flagela meu coração,
um coração vivido,
mas cansado de tanta solidão,
entre quereres e sentires!

E neste dar e receber
os corpos ficam sós,
mas as almas se juntam
em perfeita sintonia!

José Manuel Brazão

Suspiros voluntários!


Ao chegar ao portão
Já se exala o aroma
vindo do interior da escola.

Chega de mansinho
formando um rastro...
de fumaça branquinha
brincando com o vento
Em forma de espiral.

Suave sensação... Sensacional!
Sentir os sonhos suspirando
suspiros de amor.
Doce encontro previsto.

Deliciosa sensação!
Crocante por fora:
Crec, crec, crec...
ao contato com os lábios...

Macio por dentro:
derrete todo ao contato
quente da língua.

Explosão de prazer.

Ah! Sensação suspirante...
Whow! Uf!
Decorados amorosamente,
por mãos voluntárias,
trazendo encanto
ao coração da gente.

Olhares curiosos...
Atentos ao passo a passo
Que vira obra de arte.
Doce sensação de alegria.

E lá fora esperando...
Ansioso e apressado,
O menino pergunta:
Já está pronto?

Ah! Suspiros voluntários!

Sueli Rodrigues

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Sem pressa


no agasalho da noite
faço-te poema declamado
segredando baixinho
à luz da lua,
ao encanto do silêncio,
a ânsia de um amanhã 


que chega



…sem pressa,



devagarinho…

Vanda Paz

Cuidando do jardim


Tenho o meu jardim
sempre florido,
com rosas
dos amores, paixões
pelas mulheres da minha vida!

Existem rebentos
a florescer
como rosinhas,
as rosinhas da minha Vida!

Todos os dias
olho para o jardim
e  meus olhos se encantam
vendo em cada flor
uma parte de mim!

Aproximo-me de cada uma
e acarinho, dou amor
e sorrio…

… cada flor
é uma história vivida,
com encanto,
paixão e amor!

O jardim do meu encanto
ficará…
e eu um dia
partirei
com o meu corpo coberto
de pétalas de amor!

José Manuel Brazão

Enquanto durmo...


Enquanto durmo
Cai um orvalho na flor
O vento passa num sussurro
Num doce cantar...

A lua ainda não se deitou
Nem vai se deitar tão cedo!
Ela é a musa
Quantos poetas nela
Essa noite vão se inspirar...

Enquanto durmo
A rua está quase deserta
Quase...
 Vez em quando alguém passa por lá
Alguém chegando de uma festa
Alguém indo trabalhar...

Um cão notívago late
A noite inteira
Procura companhia
Na noite fria...

Enquanto durmo
Uma meia luz
Dentro de um quarto
Um casal acordado...

Em outro
Uma janela aberta
Uma cortina aberta
A flor na janela
É primavera...

Enquanto durmo
Silêncio e escuridão
Não vejo a vida passar
Mas eu sonho...

E no meu sonho a vida passa
Cheia de luzes e cores...
Enquanto durmo
Não tenho pressa de acordar...

regina ragazzi 

terça-feira, 25 de setembro de 2012

Amo-te


Nuvens que correm para o mar
E saudade no horizonte do coração
Prendeste-me no céu do teu olhar
E enlaçada me envolvi nesta paixão.

Um sentimento com tanta ternura
Nos lençóis dos meus pensamentos
Respiro em busca de sua doçura
Pois te amo com encantamento.

Há um anseio íntimo de te encontrar
Um murmúrio intenso nesta saudade
Mas ondulas hesitações neste lugar
Onde devias reinar a cumplicidade.

É a razão da minha felicidade
Pois me perco no seu encanto...
Em tua voz, em tuas palavras, em tua verdade...
Encontro o bálsamo para cessar meu pranto.

Belarose

Vestes o silêncio e amas...


Nasceu este amor
como gratidão ao Sol!

Iluminou nossas almas
que andavam desavindas.

Cresceu este amor,
entre lágrimas e sorrisos.
Dei-me todo a esta paixão,
que não pára
neste palpitante coração!

Choras, porque o desejas,
mas …
Vestes o silêncio
e amas …

Guardas para ti
este amor,
esta loucura,
esta paixão...

... e a tua alma
está sempre em mim!

José Manuel Brazão

Soneto que sorri


Do rosto o sorriso é doce pintura,
Dos pacíficos lábios partitura;
Irmão dos olhos e suspiro da alma,
Porto de quem chega, porto que salva.

Sorriso, preenchido de calmaria,
Bálsamo que as dores cura e alivia;
Ele chega sem pressa e permanece,
Chamando as estrelas que a noite tece.

Doce pintura do rosto é o sorriso,
Pautado em vontade, inspiração e siso;
Ponte segura de toda amizade.

Sorriso, consolador da saudade,
Desabrocha sob o sereno olhar,
Pousa passarinho em quem sabe amar.

Luciene Lima Prado

Poema e Poesia


Depende do meu olhar
a intensidade da minha poesia
Pode ser que um dia
ao abrir a minha janela,
eu veja em meu jardim
um amontoado de estrelas
ao invés de flores
Pode ser...

Pode ser
que eu nunca veja estrelas
onde há flores,
e que as flores sejam mesmo
só flores no meu jardim


Depende da minha poesia
a construção do meu poema
Sem ela, ele seria só versos
sem cor, sem brilho, sem emoção
E as flores do meu jardim
jamais poderiam ser estrelas
Não poderiam ...


O que faz de mim um  poeta
É ter olhar de sonhos
e uma alma de arco-íris
que guarda em cada cor
uma emoção que sinto

Quando sonho,
ela as derrama nas
imagens que crio
e então esses sonhos
ganham vida
 e em minhas mãos
viram poemas
Poemas com poesia

regina ragazzi

Sinto o que está em ti...


Teu amor
é cada parte de mim...
aloja-se em meu corpo
acomoda-se na minha alma
e mesmo sem juras
sinto esse grande amor
com que vagueamos na Vida
e neste silêncio
nossos olhares convencem;
 denunciamos tudo
o que só nós entendemos!

José Manuel Brazão

segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Momentos com Vinícius de Moraes


Amor em paz

Eu amei
Eu amei, ai de mim, muito mais
Do que devia amar
E chorei
Ao sentir que iria sofrer
E me desesperar

Foi então
Que da minha infinita tristeza
Aconteceu você
Encontrei em você a razão de viver
E de amar em paz
E não sofrer mais
Nunca mais
Porque o amor é a coisa mais triste
Quando se desfaz

Chega de Saudade

Vai, minha tristeza, e diz a ela
Que sem ela não pode ser
Diz-lhe, numa prece, que ela regresse
Porque eu não posso mais sofrer

Chega de saudade, a realidade é que sem ela
Não há paz, não há beleza
É só tristeza e a melancolia
Que não sai de mim, não sai de mim, não sai

Mas, se ela voltar, se ela voltar
Que coisa linda, que coisa louca
Pois há menos peixinhos a nadar no mar
Do que os beijinhos que eu darei na sua boca

Dentro dos meus braços
Os abraços hão de ser milhões de abraços
Apertado assim, colado assim, calado assim
Abraços e beijinhos e carinhos sem ter fim

Que é pra acabar com esse negócio de viver longe de mim
Não quero mais esse negócio de você viver assim
Vamos deixar desse negócio de você viver sem mim.

Eu não existo sem você

Eu sei e você sabe, já que a vida quis assim
Que nada nesse mundo levará você de mim
Eu sei e você sabe que a distância não existe
Que todo grande amor
Só é bem grande se for triste
Por isso, meu amor
Não tenha medo de sofrer
Que todos os caminhos
Me encaminham pra você

Assim como o oceano
Só é belo com luar
Assim como a canção
Só tem razão se se cantar
Assim como uma nuvem
Só acontece se chover
Assim como o poeta
Só é grande se sofrer
Assim como viver
Sem ter amor não é viver
Não há você sem mim
Eu não existo sem você.

Soneto de Fidelidade

De tudo ao meu amor serei atento
Antes, e com tal zelo, e sempre, e tanto
Que mesmo em face do maior encanto
Dele se encante mais meu pensamento.

Quero vivê-lo em cada vão momento
E em seu louvor hei de espalhar meu canto
E rir meu riso e derramar meu pranto
Ao seu pesar ou seu contentamento

E assim, quando mais tarde me procure
Quem sabe a morte, angústia de quem vive
Quem sabe a solidão, fim de quem ama

Eu possa me dizer do amor (que tive):
Que não seja imortal, posto que é chama
Mas que seja infinito enquanto dure.

Vinícius de Moraes

No quarto


Eu me mostro
me visto
me dispo
sem-vergonha
obra do complexo-simples
mas ainda ruborizo quando seus olhos me leem.

Sandra Freitas

Deixemos o tempo assim...


Tenho dias assim
de acordar alma
Abrir as janelas
e mirar o infinito
E ali eu fico
a buscar lembranças
a viver saudades...

Sinto uma inexplicável calma
me envolver, me proteger
Porque em dias assim
me permito expor
toda a minha fragilidade
de alma....de coração...
toda a minha vulnerabilidade

E não me importo com a tristeza
que eu possa sentir
Nem com as dores
que venham me apertar o peito
Eu apenas vivo o momento
É o meu desejo...

Dias assim
Me mostram que não preciso
ser fortaleza
Que não preciso ser perfeita
Que tenho que ser apenas "eu"
Do meu jeito

Dias assim
fazem maravilhas em mim
porque sou capaz de passar por eles
vivê-los intensamente
e depois deixá-los ir.

Regina Ragazzi


[....]

Deixo o tempo
esquecer as mágoas que vivi,
os desenlaces que superei,
as lutas que travei.

Deixo o tempo
lembrar as alegrias que vivi,
as tristezas que superei
e este amor que sempre viverei!

Deixo o tempo
fazer-me acreditar
em tudo o que não vejo,
mas sinto...

José Manuel Brazão

domingo, 23 de setembro de 2012

Ritual que o olhar canta


Da Primavera colho o sol
estendido nos dias sem colheitas...
Quando caem as folhas
gosto de caminhar
no ruído seco do chão
com os pés alinhados nas mãos...

Os aromas castanhos
a inspirar as noites longas
os dias ténues
das árvores despidas...

Quando o Inverno chega
aconchego-me
no ritual que o olhar canta
com as gotas finas na janela
revestidas das estações...

Aguardo a corrente serena dos rios
com a primeira estação
de novo na mão
a germinar as sementeiras
no colorido dos braços da paz
que vou buscar
nas pontas dos relâmpagos
sem vendavais...

Ana Coelho

Destino


Ontem passou tão depressa
E ver seu frio olhar,
Entristeceu o coração.
Sem entender, sem querer, já estava sem você.

E você era tudo:
O mundo colorido,
O herói, o amigo.
O amor, a paixão!

Ver os sonhos destruídos,
Ver o mundo se partindo,
A alegria se perdendo,
O chão se abrindo.

Trancar você no coração,
absorver esta paixão.
Seguir em frente, sem você.
Ter que sobreviver.

E você era tudo:
O mundo colorido,
O herói, o amigo.
O amor, a paixão!

O tempo passou tão depressa...
Aos poucos... Você está voltando,
Alegria  ressurgindo
Reacendeu o coração.


A Alma ficando leve
O Coração acelerado
O Sorriso irradiando...
Ah! Vida... que peça do destino

Sueli Rodrigues

Neste texto onde me perco


Reservo-me nas horas que preenchem os dias que faltam. Cruzo o olhar com a espera, enquanto os lábios respondem ao silêncio. Submersos, os sentimentos reclamam o amanhã, fugindo aos olhares inquisidores. Entorna-se então o pensamento, em auxílio, num lânguido momento, onde a linha do meu corpo reclama as tuas mãos. As minhas, vazias, lembram o suor da tua pele ateando o fogo às palavras que escrevo. Fecho os olhos e encontro-me no teu respirar, gemendo a saudade e suspirando a distância. Beijo-te longamente o sorriso. Desmaio devagar no teu anseio e deixo que me faças tua, afogando os sentidos em prazer profundo. Renascemos em cópula, numa estreita cumplicidade que grita no horizonte o futuro, que espero, neste texto onde me perco.

Tália

GRACIELE GESSNER - Feliz aniversário!


Graci tem tudo o que se pode pedir a um ser humano como Mulher (Filha e Mãe) e Escritora: determinada, exigente, generosa, carinhosa e bondosa sem limites. Conheço bem nela todos estes adjectivos, porque tenho o privilégio de ter recebido dela grande parte deles!

E neste dia desejo-te que sejas feliz
naquilo que ambicionaste para a tua Vida!

Beijooo
do ZÉ
José Manuel Brazão


Novelo da Vida

Às vezes parece que o fio que foi puxado gira em torno de uma situação enganadora. Quanto mais se tenta desenrolar mais se complica.
A vida de alguma maneira também se projeta num verdadeiro novelo, aonde muitas vezes não se chega a nenhum resultado. E assim, vamos vivendo num emaranhado de fios. O começo já se perdeu e o fim está longe de ser encontrado.
Por que será que a vida nos prega tantas armadilhas?
Por que temos que nos desprender de tantos rolos?
Por que a vida só se torna interessante movida num novelo de situações complicadas?
Há tantas perguntas sem respostas; como há tantas emoções para serem vivenciadas. Vamos vivendo esta vida recheada de impasses, onde as incertezas sempre existirão e que darão o colorido que muitas vezes faltava.
Viva a vida em sua plenitude sem se preocupar com as opiniões de outros, mas sabendo que somente você é o responsável por sua vida. Não há ninguém que possa impedir seus erros e enganos; como também não há ninguém que nos possa mostrar o caminho a ser escolhido.
A vida é este novelo sem fim e todo instante nos mostra o quanto estamos evoluindo.
08.09.2011
Graciele Gessner.

sábado, 22 de setembro de 2012

Porque hoje dói-me o peito


Percebo o olhar
de alguém
que já permaneceu
num beijo teu.

Entendo o silêncio
de alguém
que já te sentiu na carne.

Também eu
trago um beijo teu
pendurado nos lábios.

Pegas no pé
do cálice dos sentimentos
e agitas
absorvendo os aromas que desejas.

Construíste uma árvore
feita de troncos frágeis
onde sacias a sede do prazer,
escolhendo tu a fonte amante.

É para lá que vou,
mas ausento-me do teu olhar
porque hoje dói-me o peito.

Vanda Paz

Chove chuva...


E é tanta água caindo
E eu fico olhando
E achando lindo
É só chuva
Mas que chuva bonita
Que chuva gostosa
Que cheiro bom
O céu ta bonito
Sem estrela, sem lua
O céu ta cinza
Mas que cinza lindo
Ah, como é bom ver a chuva lá fora
Como é bom não ta chovendo aqui dentro....

regina ragazzi

Até um dia


Até um dia
não sei  quando será,
mas sei que amanhecerá
em nossas vidas
para receber alegria
e findará a fantasia!

E nesse até um dia
diante de nós a realidade
com a esperança
dum acordar promissor
para continuar este amor,
grande amor pela Vida!

José Manuel Brazão

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Alento


Teu corpo é meu espelho
E nele encontra-se
Cada pedaço de mim
E navego sem naufrágio
Sem medo ou ilusão
Em teu mar sem fim
Nas noites frias, sem luar
Fico horas a lembrar
Nosso eterno enraizar
Olho teu retrato tatuado
Na janela da lembrança
E beijo-te, meu amado
Nas horas de solidão
Firmo-me em tua existência
Pois acalma meu coração
Que bate em disrtimia
No segundo seguinte
Pela nossa alquimia
Quero de ti, o vento
O amor feito, sagrado
Seja sempre meu alento
Tudo nesta vida é ilusão
Mas quando penso em nós,
Você e eu, não!

Luciana Silveira

Ao seu lado


Às vezes nos sentimos ausentes
Tão distante da realidade deste mundo.
Muitas vezes desejaríamos estar “off-line”,
Nos desligando por algum segundo.

Assim é estar ao seu lado.
Bocas se tocam;
Declarações são feitas;
Abraços se entrelaçam.

Ao seu lado o meu sorriso é sol!
A minha alegria volta a brilhar
Num constante cintilar.

Ao seu lado a vida se acalma,
O mar revolto se torna brando.
Seus carinhos me estremecem
E meus desejos secretos renascem.

Cada minuto ao seu lado se torna segundo
E não temos o domínio de parar o mundo.
Esta chamada máquina do tempo,
Um dia há de se tornar fato ocorrido.

Ao seu lado tudo é alto-astral!
Nossa reciprocidade é total
E nosso sentimento é igual.

Graciele Gessner.
28.10.2007

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Considerações sobre a inspiração


Inspirada eu quis que parecesse
mas inspiração, nem vã, havia
qual o que
em qualquer lugar
inspiração há!

Luciana Silveira

Vento amigo



Vejo a tua imagem
sempre em mim;
penso e escrevo
o amor que me envolve
as nossas vidas
e te envio
por esse vento amigo
minhas palavras
em poemas
que atravessam este mar imenso
e chegam a ti
pousando em teu colo.
Abraças e beijas
cada uma delas,
acaricias
como se fosse meu corpo!
Olhas o horizonte,
fixas o mar,
esperas pelo vento
que me trará
teus pensamentos
de paixão e amor,
que guardavas em teu coração!

E este vento amigo
de mim tudo levou
e de ti trouxe a esperança
de sermos felizes
no resto dos nossos caminhos!

José Manuel Brazão

A verdade


Emociona
transpõe e transmite
É inalterável
não tem idade mesmo que seja
pouco importante ou poderosa
na sua forma de exprimir.

É permanente
constante
imutável nos tempos
porque ela não abala os
que pensam e agem
com amplidão.

Os autenticos, os leais,
os sinceros sabem falar
sobre a dúvida
pois não a escondem
dúvida não é Mentira
é o caminho da Verdade!

Quem ama a verdade
tem o dom de olhar
atentamente o mundo
pois guarda para si
o testemunho de saber
distinguir os acontecimentos
e quem sabe ativa
a infinita virtude
de perdoar!

Celina Vasques

São lágrimas requintadas


Lágrimas que correm
pelas nossas faces
com emoção
pela Vida em plenitude
que vivemos
e convivemos
numa amizade sã,
que vai-vem
por esse mar imenso,
mas nos aproxima
nos laços fraternos,
sinceros e intensos.

Assim vivemos tu e eu
Poetas que se prezam
de ser mensageiros de Amor!

Não, não basta
escrever versos
é preciso vivê-los,
praticá-los
com o perfil do Poeta.

Sorrio para ti
meu mano,
aperto a minha mão na tua
escorrendo ambas, Amor !

José Manuel Brazão

As lágrimas falam por nós dois,
são lágrimas requintadas de apreço e emoção.
Mário Brois