Outros Blogs do meu grupo:

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Tudo isso é amor


Você me faz tão feliz...
Você é tão parecido comigo...
Me vejo em teus olhos...
Em teu sorriso, me identifico...
Quando estou como você tudo se ilumina...
Você é tão especial... Tão único...
Por você sou capaz de atravessar um oceano...
Viajar para o espaço...
Enfrentar meus próprios medos...
Desafiar meus limites...

Você me faz sorrir...
Me faz ver o mundo de uma outra forma...
Ao seu lado tudo é belo...
Tudo é perfeito...
E não existe espaço para sentimentos tristes...
Porque sua luz afasta a escuridão...

Em você me encontro...
Me descubro a cada dia...
Você me surpreende com seus gestos...
De tão meigo que és...
De tão singelo que és...
Você cuida de mim...
Se preocupa comigo...
Me enxerga... Me vê...
Consegue ler meus pensamentos...
Consegue invadir a minh'alma...
P'ra você não consigo mentir...

Você é o meu caminho...
Meu destino...
Estamos na mesma estrada...
Possuímos o mesmo carma...
Somos ligados... Apegados...
Unidos...
Onde você vai eu vou...
Onde eu vou você vai...
Assim vivemos nosso amor...
Faço tudo por você...
Te dou minha vida se preciso for...
E para ver esse sorriso estampado em teu lindo rosto...
Sou capaz de tudo...

Tudo isso é amor...
Amor que sinto por você...
E você por mim...


*Simone*

Simone

Sempre que te leio fico com a sensação da tua maturidade perante a Vida. As tuas palavras reflectem como vês este Mundo avesso e que tu desejas e queres que seja diferente! Eu também desejo!
Muito sucesso.


Neijo do

Doces palavras (a entrega)


Quando te leio,
tuas palavras
escorrem doçura!

Mulher bela
de sorriso natural,
ternura,
dás à tua beleza
o que vai na tua alma!

Olhas-me e serena
apenas com o meu olhar!

É apenas o olhar,
porque meu coração
é um coração sofrido!

Aguenta
com as tuas doces palavras
e a ti me entrego...

José Manuel Brazão

"A intensidade está em cada palavra dita ou sentida, a beleza está em cada olhar que procura e encontra o belo em variadas formas e cores, está no coração daquele que se permite ser, de ir, de sentir e de somar com outro coração a alegria e a magia da entrega."

Maribel


Que o amor se cante em cada palavra
que nunca se cale a beleza da mulher
que nos refaçamos em cada alvorada
que sejamos capazes de merecer o amor!

Beijo, Zé.
Vóny Ferreira

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Sonhavas muito....!


É bom sonhar...
E ficamos com a sensação
duma vida ideal,
mas no acordar
vimos o real
e aí
só há um caminho:
coragem e superar,
recolhendo as pedras
que encontrámos (e ignorámos)
que serão um monte de ilusões!

Caminho livre
e avançamos
renovando a Vida,
dos hábitos,
das atitudes
e até seleccionando
os Amigos
- aqueles da forma pura de amar –
e a Vida sorrirá,
o Sol abrirá
e a Lua contemplará!

Olhando para trás
veremos o tempo perdido,
mas saberemos
que todo o Tempo é tempo
de corrigir o que errámos
e ver como a Vida se tornou mais bela!

José Manuel Brazão


Sandra
Te

Beijo carinhoso
do ZÉ

A verdade é...


Para saber da intensidade, veracidade e profundidade de um amor, é necessário esperar o tempo e a distância realizarem seu lento e por vezes doloroso trabalho.

Estes dois elementos fazem aos sentimentos o que vento faz a uma chama de fogo: a fraca e frágil ele apaga definitivamente, a forte e verdadeira ele só aumenta.

Esperemos pelos sábios ditames do tempo e da distância.

Sandra Freitas



Sandra
Texto profundo. Lindíssimo!
Beijo carinhoso
do

Estarás em mim


Pela manhã

com um sol radioso

a invandir meu espaço,

olho a tua imagem

sorrindo para mim

com encantamento,

que preenche

meu corpo e alma!

Entrego-me a ti

neste caminhar,

que nos levará

até à porta da Felicidade!
E aí te entregarei
ao Futuro...!

José Manuel Brazão

“Quando Deus tira algo de você Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor'.

ChicoXavier

Eu na Poesia visto por Luciene


Já antes do amanhecer,
O teu sentimento de poeta
Sabe os versos de cor;
É no teu coração que fazes a poesia.

Muitas poesias passarão por ti
Aonde fores com teu olhar.
Não deixarás passar
Um instante poético
E, no teu caminhar,
Levarás o amor em linhas e entrelinhas.

Bem amado és por saber amar,
Repartindo muito amor
A quem sorri, chora ou se cala;
Zerando a dor de todos, teus versos:
A continuação do teu ser,
Os caminhos para o amor.

Luciene Lima Prado

domingo, 29 de agosto de 2010

...a batalha é difícil mas a satisfação plena!


São gerados
por dois seres,
mas pela vida
quem cuida?
Quem vigia?
Quem dá o amor instinto?
A Mãe!

Assim tu és,
a zeladora
a todo o momento
para a sua felicidade
e um futuro risonho!

De tudo prescindes,
do amor que anseias
para ti,
do teu pão se fôr preciso
e até
própria vida darias.

Hoje
floresce a sua juventude
para na Vida ter atitude
e tu sorrires feliz
e nós te acompanharemos
nessa missão cumprida
a que chamaste:
...a batalha é difícil mas a satisfação plena!

José Manuel Brazão


Crescemos sempre na sombra da mãe e andamos na ânsia da protecção dos filhos.
Obrigada pelo momento.
bj
Eduarda

O que falta e o que sobra?


Falta-me aquele algo
que desliza
pela pele e alisa
a alma ao mesmo tempo.
Falta
falta tato
no tratar
apenas falta o ar
e um velho consentimento.

Falta...
sobra vento
a ausência
o ausente
ser em absorto relento
que da sentido
a ser mantido
qualquer tipo de
relacionamento.

Mas sobra...

Talvez o passar ao tempo
sobra memória
história
mas falta
esta inglória
ausência
de parceria:
falta poesia!

... e paz, e parceria, e dia-a-dia
e boemia...


Falta esperança
sobra desconfiança
no futuro
na felicidade
no crescer da idade
no julgamento!

E afinal o que sobra?

Amizade, no entanto, sem intento...

Sobra, sempre sobra o amor,
expresso em forma de algum pequeno acontecimento
um pequeno favor,um pequeno momento.

Sobra a sobra de nós dois,
o que um dia foi
um feliz casamento...

Restam dois filhos, um cachorro
e a sensação de ter superado um grande sofrimento

Restam os restos e os retratos
de muitos velhos atos
de bons e maus momentos...

De nós? Nós dois?

Restam apenas as cortinas ao farfalhar do vento
de invulgares fraternos sentimentos...

Ana Lyra


Um grande momento cheio de realidade e duma sinceridade e autenticidade sem limites da tua parte Ana!

De mim para ti uma plena admiração e respeito pela Mulher que és!

Beijo com carinho
do


Ser poeta


Ser poeta
É dar cores aos sentimentos
É conversar com as flores
Em seus doces movimentos

Ser poeta
É reter o sonho em verdade
Nos braços da realidade
Fazendo o dia melhor

Ser poeta
É beber do orvalho
É chorar chuvas de verão

Ser poeta
Mais que tudo é ser etéreo
Em sua eterna emoção.

Márcia Vilarinho
http://marciavilarinho.blogspot.com/

sábado, 28 de agosto de 2010

Partida


Estou indo de ti,
nas novas mãos
que te acariciam o rosto,
a barba desgrenhada.
Estou indo,
a cada enroscar desses
outros dedos nos anéis dos teus cabelos..
Estou indo
quando essa nova face encosta na tua...
Estou indo de ti
no tom dessa voz
que não é a minha.
indo lentamente
quando te veste nesse outro corpo
que não é o meu..
e se despe do meu corpo
que só veste o teu..
Estou indo
Pra algum lugar que
não sei onde...
Mas que importa?
Estou indo..
Para um ponto qualquer no infinito..
E se ficou algo de mim em você
me perdõe..

Sandra Freitas

Quero apenas...


Quero apenas
teu pensamento em mim
hoje e sempre.

Quero apenas
a tua generosidade
para minha serenidade.

Quero apenas
a tua fraternidade
neste mundo avesso.

Quero apenas viver
e não apenas existir!

José Manuel Brazão

Alma


A alma busca o inatingível
alcançável, pela perseverança
da visão que agarramos fazendo-a nossa.

Alice Barros

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Infinito


É com as mãos estendidas ao infinito
Que ato meu corpo junto ao teu
Nesse momento me perco
Para no futuro te encontrar
No céu, as estrelas esperam
Equanto cometas vagueiam
Em busca de nosso olhar

A eternidade nos espera, amor meu
Enquanto flores abrem suas pétalas
Para nosso futuro lar enfeitar
Entendemos juntos essa harmonia
Que desfaz-se em bolhas de sabão
Juntando todos os nós e desatando-os
Um por um, restando apenas nós

E quando cai a noite nessa cidade
Tudo o que não sinto é solidão
Sinto apressado pulsar meu coração
Na espera doce do tempo em que virás
Escrevo poesias talhadas em sentimento
Enquanto vejo na lua tua imagem
E todo o resto, é pura bobagem.

Luciana Silveira

Vive... nunca desistas!


Prendi o cabelo
Tirei o batom
Por fora o sorriso amarelo
máscara do ofício.
Por dentro
Choro e dor...
Tristeza desmedida
vontade de viver
escapando pelos dedos
Nada faz sentido..
Só a morte
Branda e doce
Me convida pra uma valsa
E hoje me apetece
Jogar-me em seus braços
Lânguidos e frios..
Fim do tormento
Noite infinita.
........................mas uma tênue chama
continua a queimar.... tendo em minhas lágrimas
seu combustível...


Sandra Freitas




[....]

Mulher sorridente,
doce,
de amor ardente,
porque não vives?

Tens medos,
hesitações;
agarrada ao passado,
que já passou!

No presente
liberta as amarras
que trazes contigo
e dá-te à Vida!

Mostra
que tens muito amor
para dar
e queres receber
de quem te compreenda
e te ame!

Mostra
que não queres o Outono
na tua vida
e esperas florescer
com uma primavera
de muita flor,
de muito encanto!

Mostra
que queres viver…
e eu estarei aqui
para que nunca desistas!

José Manuel Brazão

Seguimos sempre juntos (caminhos paralelos)!


Seguimos juntos
Na mesma direção
Sempre juntos
De mãos dadas
Corações abertos pelo caminho da felicidade e do amor
Seguimos juntos
Esta linda jornada
Apenas nossos passos marcam nosso caminho
O futuro o que nos reserva?
Ainda não sabemos o certo
Mas usamos a lupa do coração
Para entrarmos pela alma á dentro
Para descobrirmos enfim
Quem rege nossa linda caminhada
Um sentimento lindo
Forte e doce chamado
Amor
Então chegamos à conclusão exata
De que nunca nos permitiremos partir
Porque eu viverei eternamente em ti
Assim como vives em mim
De mãos dadas
Apenas
Eu
Você
E mais nada.

Nanda Costa

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Como uma ponte...


Vivemos tudo
o que havia em nós,
tudo o que sentimos,
a paixão, o amor,
a ajuda solidária,
que precisámos
e nos completou!

Vivemos
momentos felizes,
vendo as rosinhas florescer,
cuidando delas com amor!

Essas imagens de Vida
que rolam sem fantasias,
mas com a verdade
que demos um ao outro!

Hoje sereno
da vida que te dei,
vejo-te feliz,
por chegares
ao ponto de encontro
do teu caminho!

Assim
me senti
como uma ponte
entre o passado e o futuro
que te ajudou
a encontrar o que merecias:
uma plena felicidade!

Em caminhos paralelos,
nunca nos perderemos
de vista
e nos preocuparemos
com o futuro de cada um!

Tu aí
e eu aqui,
como sempre de braços abertos
pedindo
a nossa protecção divina!

José Manuel Brazão


você é um amigo que quero que seja mais chegado que um irmão.
Um amigo mais que especial pra mim.
Nanda Costa


Ingrid disse...
Quando somos ponte de amor, Deus abençoa sempre. Não importa o caminho trilhado.



quarta-feira, 25 de agosto de 2010

A vida é o caminho


Qual o ponto de chegada
qual o número da morada
que enfim irei descansar?

Quantos passos nesta estrada
quanto sol nascendo em alvorada
ainda a iluminar?

Quanto lábio ainda escondido
quanto coração repartido
em meu peito a pulsar?

Quantos passos neste caminho
quantos vôos de passarinho
meu olhos hão de sonhar?

Não há como quantificar!

A vida é o caminho
só se vive ao caminhar.

A vida não é o destino
não há ponto onde chegar.

Apenas há o ápice
deste monte que esconde cálice
sagrado graal que pode tudo transformar.

O único e real sentido de valor
o único movimento realmente transformador
A vanguarda do sentimento:
o sentido do universo em apenas um momento

"O AMOR".

Ana Lyra

Os poemas que te fiz!



Foram tantos
e tantos poemas,
poemas de amor
que te fiz!

Tu e eu
nascemos para a Poesia,
para encantar os outros,
alimentando as suas almas!

Quantas vezes
sofríamos nas nossas Vidas
e a inspiração,
superava tudo isso!

Os poemas que te fiz,
sentidos pela voz do coração,
derramaram amor,
muito amor,
que te comoveram
e davam forças
para sair de ti
Um outro poema,
suave,
expressivo,
emocionante,
iluminando
quem o lesse!

Dos poemas que te fiz,
ficam os sentimentos,
nas palavras
que o Poeta não renega
e guarda em seu coração!

José Manuel Brazão

Dedicado à minha Amiga e Poeta Nanda Costa

Zé.
Lindo poema!
Com certeza há coisas que nos inspiram
muito..e a nossa amizade é
assim muito inspiradora né? rrsrsrs
(você com certeza me ajudou muito
com teu imenso carinho)
muito obrigada viu?
bjôs
Nanda.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

Quero


Quero
Desenhar na tela do teu corpo
O meu poema,
De amor, fogo e paixão...
Arrebatando teu sentido
Fazendo de ti meu desenho preferido
Criado por minhas mãos,
Provado Por meus lábios,
Aprovado por meu corpo
Tela única
Feita só para mim
Eu quero minha obra
Perfeita, satisfeita,
Entregue em minhas mãos.
Quero te ouvir dizer
Tenho tudo que posso querer.

ISA

Tranquila sigo aprendendo


A tranquilidade

Confere-me um prazer
refinado e profundo.

Em cada dia consigo extrair
um diamante da minha rotina
existencial, porque me satisfaço
no meu quotidiano, olhando em frente.

Os prazeres,

Da pessoa ansiosa
são passageiros,
ao invés do diamante
que poderia e deveria extrair
no seu quotidiano,
ela apenas recolhe
o cascalho que contamina,
e de tão intranquila,
vai oscilando constantemente
como as ondas do mar.

Ao sentir-me

Tranquila transito
com serenidade,
nos mares das ofensas,
já uma pessoa ansiosa,
ela deixa-se invadir
por estímulos de stress
que acabam por lhe usurpar
a harmonia.

Uma pessoa,

Tranquila é forte,
mesmo que pareça frágil,
já uma pessoa irritada
ela é frágil, embora
pareça forte.

Uma pessoa

Tranquila,pensa
e cala-se antes de reagir,
uma pessoa ansiosa,
essa já reage
antes de pensar,
porém não se deixa
manipular,
mas fica de mau humor
repentinamente
e a sua irritabilidade
é evidente.

Ser tranquilo

É oxigenar
o cérebro,ser capaz
de dirigir o seu lado
psíquico, assumindo
a capacidade de manter
a serenidade durante
as tempestades e assumir
o equilíbrio, em tempos
de disputas.

Quando,

Nos nutrimos
de tranquilidade
revestimos-nos
de saúde psíquica.

Ser tranquilo,

É desenvolver
a brandura, dando tempo
ao tempo respirando
antes de tomar cada atitude
sabendo esperar,
não se deixando enervar
perante as contrariedades,
vivendo sem atropelos
e sem desesperos.

Ser tranquilo,

Em suma é ser revestido
de paciência, cultivar
a tolerância e vestir-se
de sobriedade e vigilância.

Ser tranquilo,

É abraçar e afagar
quem foi derrotado,
se sente enclausurado
estender a mão e ajudar
quem já não acredita
em si próprio.

É refazer,

caminhos usando
o silêncio, em situações
irracionais para ter serenidade
nos momentos de crise.

Escutando, submergindo,
digerindo e tranquilizando
sorrindo!

Alice Barros

VIDAS: meus Filhos e Netos





A vida é como uma felicidade,
para ser conquista e
merecida.

No João
a vida como um amor,
para ser desfrutado;

no Pedro
a vida como um desafio,
para ser enfrentado;

no Paulo
a vida como uma aventura,
para ser agarrada;

nos meus Netos
a vida como Vida,
para ser defendida!

José Manuel Brazão

Rosas amarelas (nunca estarei só)!


São as rosas que gostas:
rosas amarelas!

Belas
como o teu olhar,
o teu sorriso.

Belas
como os teus gestos,
as tuas atitudes.

Belas
como o teu amor!
Vejo rosas,
rosas amarelas,
ao meu redor.
O seu aroma
é o teu perfume.
Perfume que não me deixa
e, tu que não me abandonas!

*pensando no meu filho João que nasceu em 6.OUT.1972 e partiu
na viagem necessária em 24.AGO.1997*



José Manuel Brazão



Zé, palavras que emocionam,o amor fala do que o coração sente e nos sentidos que ainda estão ao rubro, canta a esperança que como uma melodia ecoa numas rosas que amarelas tecem memórias de um amor que se eternizou para além da dor.

Beijinhos e que a felicidade te inunde os sentidos.

Ele aguarda-te sorrindo por este tão belo amar que ecoa no céu azul e além dele...

Alice Barros

O pulmão da emoção


O pulmão da emoção
passa pelo oxigénio
do contentamento,
com certeza
com o passar dos anos
ele será cada vez mais raro
e provavelmente a emoção
irá contrair-se,
para dar lugar
ao crescimento!

Prefiro contemplar o belo
do que parar para admirá-lo!

Quando o admiro, sinto-o
mais superficialmente,
já quando o contemplo,
faço-o com os sentidos
mais apurados e aprofundados...

Quem faz do pouco muito
colherá rios de sabedoria
na multiplicação da arte
de criar do pouco,
um manancial de aprendizado
colhendo bençãos...

Seja o amor,
um orfão
para o abraço vestido
de compaixão,
lançar a semente
da multiplicação
com ventos de alegria,
numa estonteante
e eterna euforia,
dia a dia...

Derramando!

Alice Barros

A música dos anjos


Sobre as medidas do tempo, eu tenho seu nome gravado.
O seu coração e o meu com o ritmo das estações
Para que os laços de um doce amor abracem nossas vidas,
Bordando a palavra paixão à borda de nossos desejos.

No caminho, enquanto, eu planto luzes
Para iluminar o seu caminho com orações,
Tecendo estrelas na sua noite de sono
Como muitos sóis no céu infinito.

Nas sombras do tempo de choro, tristeza,
Quando escurece, às portas do destino
Eu mostrei o dia a nascer, todos os dias
Por que você passou acreditar no milagre do amor.

No relógio do tempo, eu fechei a marcação.
As horas que se desenrolam ao longo dos tempos
Na fonte de água viva da esperança
Foste bebendo desta água com mãos trepidas

E para te alegrar eu cantava, por sua vez,
A música dos anjos com suaves arpejos
Um vento com som de harpa, burburinho de seda
Iluminando o seu visual com uma maravilhosa luz



Nos sonhos do tempo, selado com um beijo
Que da aos seus lábios o gosto da eternidade.
Para que os laços do doce amor. Abrace nossos corpos,
Bordando a palavra paixão em letras de ouro fino.

Rosangela Colares

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

És um vulcão!


Me apago,
recuo,
Me afasto
Me oculto
Sou flôr
Carnívora
No cio
Espinhos
Que sangram
Dentes que se afiam.

Sou bem
Que só faz mal
Sou mal
que só quer bem.
Sou abraço que sufoca
Beijo que mata
Afago que
Envenena..
Olhar que contamina

Te ver feliz
de longe...
É minha sina..
..minha sina..


Sandra Freitas

[...]



Vida
muita vida,
no teu corpo e alma!

Acordas
tanto para viver
alegrias
como tristezas!

De longe
te vejo assim...


O dia passa…
a tristeza da manhã,
foi-se…
a noite é de alegria!

Na manhã seguinte
volta a ser assim...
... e não páras!

És mesmo um vulcão!

José Manuel Brazão

Caminhos opostos


Caminhei muito tempo
Em busca de você
Caminhei para você
Mas percebi
Que era uma caminhada inutil...
Pois a cada dia
Você caminhava para mais longe
Caminhos opostos seguimos
Linhas paralelas que nunca se encontram
Caminhamos lado a lado
Sempre juntos
Mas eternamente separados?
A vida separou a gente
Para nunca mais nos juntar?
Ou quem sabe talvez
No futuro as linhas podem se cruzar...

Solbarreto

domingo, 22 de agosto de 2010

Sob as estrelas


Não me abandones esta noite,
Pois as estrelas frisson me dão.

Tua despedida é como açoite,
Um mau-presságio, a solidão.

Se tu fores, me levas o prazer
E todo sonho que me deixa viva.

Não me abandones ao anoitecer,
Nem esperes o dia que vem à deriva.

O adeus é dor que me ata,
Faz-me quebrar de canseira.

Então, fica, sob este luar prata,
Comigo, pela vida inteira.

Luciene Lima Prado

Liberdade


Em mim existe vastidão suficiente
para percorrer o mar
navegando em meus desejos
sem inquietar-me...
matar a saudade que ainda existe
com o orvalho da noite brincando com
a luz do luar!

Sei da inutilidade dessa lágrima que cai
nessa paisagem definitiva
são inertes e inúteis todos os gestos meus...
ajuda-me a entender este querer
sem isso sinto apenas um
grande vazio...

Diante da amplitude do tempo
e da imensidão do Universo quero
que surjas em mim
para sonhar os teus sonhos

e nessa viagem louca
tendo em ti o ilimitado :
"é fascinante!"

Teu rosto
meu jardim nas sombras
meus delírios
as flores sob a lua
A alegria
saber que existes pois
mata a tristeza de não estar contigo
agora...

Dança com o vento e escuta a canção
que fala de amor
sente toda esta maravilha ...vês?
É a Liberdade
agora nós podemos voar....e viver toda
a eternidade juntos!

Celina Vasques


Talvez dos poemas mais belos que te li!

A alegria
saber que existes pois
mata a tristeza de não estar contigo
agora...


Estes versos são parte de mim de não conhecer pessoalmente a Mulher mais aconchegante da Alma, que conheci na Poesia!

Beijo com carinho
do ZÉ

Sonhos


Subo na cumieira dos meus desejos
Para gritar bem alto que sou tua
Sons alados na face da lua
E a vida esvai-se nesse sonho
Imperecível

Vejo por entre as frestas dormentes
Fragmentos de nossa história
Que tão lúcida e notória
Instalou-se em meu coração
Quimeriano

Meu olhar agudo faz-se grave
Enquanto minhas pétalas se abrem
E todos os meus poros sabem
Da tatuagem permanente desse amor
Sagrado

O labirinto conduz meus passos
Águas desembocando em foz
Em minha mente somente tua voz
Encostando-se em minha alma
Fugidia

Lua girando em minha órbita
Minhas palavras vão se dissolvendo
Nesse rio lento por você vivendo
Transbordando todo o sentir
Alimento

E são flores coloridas orvalhadas
Na eterna primavera lunática
Gotinhas em dose homeopática
Dou-te meu cerne e minha razão
Respiração.

Luciana Silveira



[...]


Sonhas
como alimento da vida!

Sonhas
com o amor ideal
e paixões vagueantes,
palavras sedutoras
em noites delirantes
de prazer sem fim.

Sonhas
por mim,
com o mistério
de ser quem sou
e de me teres.

Sonhas
em cada noite
o amor que desejas,
o amor que esperas,
com o teu coração,
suspirando entrega.

Sonhas
delirando amor,
muito amor!

José Manuel Brazão

Dialogo


Quando dialogamos não ousemos pensar
que o diálogo é espontâneo se este
não for sincero e singelo, com gestos
doseados, para que possamos abrir
o livro da nossa vida.

Através das nossas palavras
e expressões faciais, os outros
fazem uma leitura da nossa vida.

Quando dialogamos devemos falar
sobre aquilo que as pessoas
necessitam de ouvir e não apenas
sobre aquilo que nos dá prazer.

Dialogar é também ouvir aquilo
que os outros têm para nos dizer,
e não aquilo que queremos ouvir.

Dialogar não é falar por falar,
emitir sons e falando do que é usual
ou trivial dizer-se.

Dialogar é entregarmos-nos para que
possamos com todos os sentidos
ter consciência de que dialogar
não é conversar...

Diálogo é o aprimoramento
e aprofundamento do conhecimento
do outro, é tirar as máscaras sociais,
chorar, falar de fragilidades, derramar
as inseguranças, diluir os temores,
restaurar os traumas, confortar e edificar.

Quando aprofundarmos os nosso diálogos
veremos que o verdadeiro conhecimento
que os outros têm de nós se revela
através do nível do nosso diálogo com eles.

Dialogar em suma, é certamente sair da esfera
do egoísmo para abraçar sem heroísmo a esfera
do humanismo, doando-nos em troca da paz que sentimos
ao abraçar este compromisso sentindo
e sorrindo sendo feliz pela partilha e doacção.

Alice Barros

sábado, 21 de agosto de 2010

Quando amanheceu dentro de ti!


Viste a minha imagem,
que te pareceu;
a luz da tua vida!

O teu Sol raiou
e saíste da noite
de solidão sem fim!

Dias
e mais dias viriam,
sem entenderes,
que eu não era o Sol,
a luz, a esperança,
mas um homem,
apenas um homem
nesta Vida,
que valorizou a Mulher
generosa
carente de compreensão,
harmonia e amor!

Tudo isso te dei
e foste a Mulher
que muito amei
para conquistares
a vida sonhada!

Tudo me deste
em gratidão,
paixão e amor,
numa entrega
dum completar o outro!
..................
..................

Passou tempo ...

... e hoje existe
o amanhecer de cada dia,
dentro de ti e de mim!

Seguiremos sempre juntos,
com uma amizade de coração,
mas com destinos diferentes,
sempre com fé e esperança
que dias melhores virão
e que nos reencontraremos
num amor para além da Vida!

José Manuel Brazão

* Para ti, para nós o poema do nosso futuro e destino *

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

A Luz do luar


Sinto teu toque
E sussurro de amor
Sussurros repetitivos
Gemidos
Corpos quentes
Iluminados pela luz da lua

A lua nos observa
Encantada com tamanha entrega
Enquanto seus dedos dedilham meu corpo nu

A luz do luar é nossa testemunha ocular
De todo amor que em nosso peito há
Não há como fugir do encanto
Da magia
A lua nos ilumina
Aquece
Hipnotiza
É ela a lua que nos ensina
A verdadeira forma de amar

E sobre a luz do luar hipnotizante
Iluminados amantes
Entregam-se ao querer
Um querer de alma
Poder que acalma
Total prazer

E no ápice do amor
Esquecemos a dor da distância
Somos meninos
Crianças
Dançando a mais doce ciranda
De um amor que iluminado foi
Pela luz da lua
Lua cheia do nosso amor.

Nanda Costa


Nanda
O teu Amigo de coração estará sempre na tua caminhada. Não olhes para trás...
Vai e caminha ao encontro da felicidade. Quando a encontrares sê feliz e eu também serei!
Beijo com carinho do

Perdoa-me (ISA e ZÉ)



Uma adaptação do meu poema "Perdoa-me" com a colaboração da minha Colega e Amiga de coração a Poeta ISA (Retalhos).

Perdoa
este amor assim!

um amor
arrebatador,
sem limites,
mas querendo
teu corpo e tua alma!

Um amor
que sinto
sem saber explicar,
mas apenas viver
com ele
e para ele!

Porque pedes-me perdão
se este amor tirou-me do chão.


Um amor
que morrerá comigo,
porque
só eu o entendo,
só eu o sinto
e quero sofrer
Assim…

Não sofras pois esse amor
amou-me tanto que deu-me vida
Perdoe-me por sorver tanto desse amor!


Isa
José Manuel Brazão

Lágrimas


Era madrugada,
o meu coração
balançava no sonho,
as estrelas seguravam
as pontas dos lençóis!

A lua cobria-me de seda fina
o céu era o limite onde me perdia,
ligada ao azul, iluminado
por pontinhos reluzentes,
via o rosto de Deus.

Passava por entre as nuvens
que mudavam de forma
e movia-se bem ali,
debaixo dos meus olhos
que ávidos o seguiam.

Inventava as imagens que passavam,
e ali ficava a tecer figuras,
conforme as visualizava
deparei-me com uma menina que chorava!

Ao ver o seu pranto,
o meu coração comoveu-se
e logo fui a correr,perguntar-lhe
o motivo das suas lágrimas.

Ela contou-me a dor
em que se encontrava,
chorava mas não se resignava,
abracei-a e chorei com ela,
pude sentir o sabor
das suas lágrimas...

De repente vi uma mão,
com uma salva de prata
que recolhia as suas lágrimas,
foi aí que me apercebi,
que Deus as guardava.

Olhei para Deus e percebi
que Ele as recolhia com amor,
agora elas são ainda
lágrimas amargas
mas sofrerão a maturação
e se transformarão
num delicioso néctar.

São agora lágrimas de alegria
que sofreram a maturação
porque Deus as recolheu
e a seu tempo elas
se transformaram
num delicioso néctar.

Não devemos sufocar as lágrimas
senão elas se transformarão
em amargura, tristeza, depressão,
decepção e desilusão, devemos chorá-las
para que Deus as transforme em vinho...

Alice Barros

Palco da Vida


Parecia longe da tua mão
Para juntar cada pedaço
da Vida que te escapou,
mas atento fiquei
e um a um juntei

os teus antigos desejos,
os teus presentes anseios
e fui buscar mais luz
ao fundo do tunel;
a tua Vida voltou a brilhar,
o teu amor renasceu
numa vida
que te parecia sumida,
mas não...

O palco da Vida
está aí...
reacenderam-se as luzes,
a Vida está iluminada
e tu, só tu
vês tantos espectadores
(Amigos),
sorris, ris,
para os aplausos:
Na primeira fila
estou eu gritando:
Bravo Mulher
continuemos
a Vida que Deus sabe...

José Manuel Brazão

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Esperando...



Me perco contornando os vincos das linhas do seu rosto.
Desenhando no ar meu encosto, sereno e doce, pronto pra mim..
E assim deslizo as mãos em sua barba,minha áspera seda sonhada
pela sutil imaginação dos meus dedos.
E nessa hora sou grande e me atrevo a expulsar os velhos vultos
do medo...de me perder de ti dentro de mim.
E alardeio essa tal felicidade, companheira desmedida da verdade
sem início, sem meio, sem fim.
Me regalo com o embalo dos pedaços, costurados, tricotados,
emendados, que transformam nossa história em um nó.
Me deslumbro com sua suposta ausência, me trazendo
mais e mais sua presença, amarrando nossas almas numa só...
Não me ocupo de sofrer pela distância,
muito menos desse tempo a intolerância
que insiste em dizer não e nunca sim..
Pois embora tudo seja incoerência
Para mim, apenas claras evidências
da eternidade desse amor dentro de mim.

Sandra Freitas



[...]

És a mulher
que me compreende,
tolera, serena
e pacifica minha alma!

No teu canto do silêncio,
preocupas-te comigo,
confortando
os meus anseios,
os meus desejos
de amar
de te amar,
mas por vezes perdidos
e agora reencontrados!

És a mulher
que me perdoas,
o desencontro com a vida,
seduzido por paixões
umas vezes levianas,
de puro prazer
e nada mais!

És a mulher
enfim;
que me deseja
no teu canto do silêncio,
vagueando pelo passado,
tão recente,
que eu ia perdendo,
se não fosses um anjo,
o anjo que um dia
me apareceu
em nome da Paz
E ficou pacientemente
Esperando por mim!

De braços alongados,
envolveste meu corpo
e disseste:

Sou eu
o amor da tua vida,
confiante
e esperando por ti!

José Manuel Brazão

Adeus meiguice


Um dia briguei com a meiguice
Porque o meu pranto era latente
A minha dor era doente
A minha realidade era dura
A doença competia com a vida
E a vida competiu com a morte
E levou o meu tesouro de amor e norte
E sofri tanto, mas tanto, e tão sentidamente
Que coloquei a meiguice de castigo
Dentro do guarda roupa do meu quarto
Esquecida indefinidamente
E só assim o meu pranto acabou
A minha dor amainou
A realidade passou a ser o que eu queria
Meu nome era Força, era Trabalho
União, Nostalgia, Amizade, Lealdade
Fúria, Rebeldia, Destemor, Temor, Braveza
Realeza, Aspereza, Soberba, Arrogância
Riso, Alegria
Um pouco de cada, em cada canto
Em cada gesto
Em cada dia
E a vida nunca mais competiu com a morte
E ninguém se atreveu ao mote
De repente eis que por um descuido
Um desses sentimentos puros
Que você imagina não acabará jamais
Fui convocada pelas sensações
Que me aliciaram e arrebataram
Docemente em palavras tão sonoras
Em gestos tão sinceros
Em tão bonitos modos
Tão falsa assim seria a minha leitura?
Preponderou a beleza da amizade
A certeza da sinceridade
De ser querida e estimada
E mais ainda eu queria e estimava
Além do mais agradecia
E mais que tudo
Eu confiava
Provas não faltaram
Eu as tive
Valorizei todas
Diamantes raros
Feitos vidros de substâncias mágicas
Estáticas
Poções, Goles
No cofre do coração
Esse perfume inebriante
Ainda que falho
Carregarei comigo vida afora
Mas você meiguice
Diga adeus
Por que estou fora.

Márcia Fernandes Vilarinho Lopes


Com convicção direi que foi o mais belo poema que li até agora no ano 2010.
Leio muito diariamente para assistir aos meus Blogs e aprender mais!
Saio da sua página feliz por isso e por si Márcia!

Beijo do

O vestido negro


O calor inquieto obrigou-a a recolher-se na sombra de um quarto com sabor a mel. Despiu-se das roupas deixando a vida escorregar com elas. O calor era um diabo que atormentava. Escorreu-lhe a água no corpo limpando o resto do dia e vestiu o vestido negro, aquele vestido que tinha comprado não sabe onde pensando em ninguém. Olhou-se ao espelho e viu com agrado os seios descansarem naquele espaço minúsculo que os amparava. Era um vestido negro de algodão que lhe massajava a pele, sentia-se bem, sentia-se mulher. Amarrou o cabelo e sentou-se a apanhar letras de um livro. Feliz, sentia o momento a arrepiar-lhe a alma com leveza. Mesmo que o calor não o trouxesse era um momento de sorriso nos lábios, mas a porta abriu-se, como a ansiedade escondida no peito. Os olhos alegres brincaram com os dela mas foi no vestido que se prenderam. Era um vestido com formas suaves de corpo robusto, era a tentação do beijo naquele corpo vestido de um negro que realçava o calor que era diabo também no corpo dele. As mãos transformaram-se em brisas suaves que lhe acariciavam o corpo enquanto os lábios eram chamas intensas que se inflamavam em cada toque. Aninharam-se no prazer gozando a frescura daquele vestido negro enquanto lá fora o calor era um diabo que morria com o dia. A noite nasceu de negro com o céu mesclado de carne rubra escondida nas formas de um vestido.

Vanda Paz

Dor de minh'alma


Lateja minh'alma de saudades
tormento de quem viveu
momentos felizes e foram
arrancados sem compaixão
o acaso talvez...
pela metade do que fomos ...
a paixão que partiu!

Desencantei
foi extinta a chama ardente
os olhos molhados insanos
deste ser que ainda te ama
lágrimas que derramei
aguas que rolaram e que não
pude esconder!

Ah! Tristeza que dói...
meu coração corrói
deste louco amor que viveu
alienado em ti
dependente de teus sentires
derramado...e qual cinzas
espalhado
voando ao vento...levado pela brisa
tragado pelo mar...

E eu tentando recolher
os pedaços ...na amargura
dos longos dias à espera de ti!

Celina Vasques

Uma rosa a florir


Pouco tempo
passou
para entrares
neste planeta:
a Terra
e para felicidade
da mulher
que te pôs
neste Mundo!:

Mulher
sempre mulher,
bondosa,
carinhosa
e mimosa
para as suas rosas,
rosas da minha vida!


Cai-me lágrima,
sabendo
quanto importante
é o crescimento
e o desenvolvimento,
de uma criança!

Serão as guerreiras
do futuro (uma nova era)
que elas transformarão,
destruindo
a inveja, o ciúme,
a indiferença,
a falta de compaixão
e distribuirão
muitas pétalas de amor!


Já muito escrevi sobre o Amor, mas ao longo da minha vida neste mundo dos escritos, as crianças estarão sempre presentes, enquanto Deus me permitir escrever sobre ELAS!

O meu pensamento para todas ELAS simbolizado neste poema e em muitos outros!

O futuro espera por vós!

Beijokas do Pai, Avô e Amigo


José Manuel Brazão