Outros Blogs do meu grupo:

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Percurso de Vida






Caminho longo
percorrido
com obstáculos
que superei,
uns por mim
e outros ajudado!

Por quem?
Alguém!

No caminho longo
encontrei de tudo,
coisas boas e más.
Pessoas
que me davam a mão,
pessoas
que me traziam no coração,
mas ele era artificial!

Uns
ficaram para sempre.
Outros
ficaram pelo caminho!

Eu
continuo o percurso,
caminho longo…

José Manuel Brazão


TiChA disse...
Nunca estamos sozinhos na caminhada da nossa vida... Acredito que existe alguém que não vemos, mas que nos guia...
É bom quando temos alguém que tem a capacidade de nos ajudar a superar os obstáculos que encontramos na caminhada da vida...
É bom levar os verdadeiros amigos connosco no percurso da vida... E deixar para tras aqueles que só estão connosco por interesse...
Beijos


Helinha disse...
Sim, meu amigo...
O mais bonito da vida não é exatamente a chegada: é o caminho!
Beijos e muita luz no seu caminhar!!


O criador nos deu o livre árbitrio pra isso!para escolhermos nossos próprios caminhos.
Cada um segue o seu conforme a sua própria escolha,o seu caminho zé é florido!
pq você é uma pessoa muito iluminada e que faz o bem a todos!
Sei que há momentos ruins pra vc,assim como há momentos ruins pra todos nós.
Mais tenha certeza que,Deus e seus Amigos sempre estarão contigo!
Bjô
Nanda Costa



Agradeço estes comentários da Ticha e Nanda efectuados noutros sites, que simbolizam todas as palavras que me são dirigidas por tantos Colegas e Leitores., que me motivam neste percurso da Vida!

Tentei ser merecedor na Vida. Mas será que fui? Ficam sempre as nossas interrogações perante a Vida!

Este é um dos textos talismã da minha carreira de Escritor! Que eu possa continuar a corresponder naquilo que todos esperam de mim!
Beijos e Abraços do ZÉ
José Manuel Brazão

terça-feira, 29 de junho de 2010

Coração-Lar



Nestes dias frios queria você aqui
Não preocupe-se não, minha mãe
É só essa necessidade de aconchego
No teu doce colo-ventre-pátria
Esse cheiro do alimento vindo de ti
Minha paz e conforto instaurados
Quando estou sob teus olhares
Plenos de luz, amor e doação
É só um fim que quero dar na solidão
Desses dias longos de inverno rígido
E uma vontade de dormir abraçada a ti
Por que mãe, um dia a gente tem que sair

De onde não devia ter deixado nunca?
Por que ter que abandonar o ninho
Deixar para de vez em quando o carinho?
A vida é assim, não é, mãe?
Ambas sabemos a importância de crescer
E aprender a se fazer o conforto de outro ser
Costurarmos essa colcha de retalhos em outras teias
Sem contudo perder o sangue de nossas veias
Mas quero dizer sem ter que chorar
E se for preciso que eu chore então
Que sempre estarei agarrada à tua mão
E dentro de ti, no coração, meu lar.

Luciana Silveira




Luciana Silveira em momento poético especial - que me emocionou - e que o titular do Blog respeitará sempre!
José Manuel Brazão

Uma vida com estrelas sem céu!


Quis parar neste tempo,
olhar pela sua memória
e recordar tempos de outrora,
de passado recente,
tempos de agora!

Vi muitas estrelas na vida,
que brilhavam
iluminando meu corpo e alma
e outras apenas meu corpo.

Foi um desfile constante
em muitas noites de luar,
mas algumas
Não brilhavam como outras!

Passou tempo...
E hoje entendo
que já não brilhavam,
porque se escondiam
com vergonha
do mal que me fizeram...

Afinal
eram estrelas sem céu!

José Manuel Brazão

Caminhos da vida


Breve distância
No passo
Que célere se mantém
Em consonância
Com o traço
Do desenho que a estrada tem

Urge concluir
Esse espaço
Que não lembra a ninguém
Velozmente
Não ultrapasso
Os destinos do Além

Consome-se
O aperto do laço
A estes e a outro alguém
Desiderato
Que não desfaço
Pelos caminhos que a vida tem

António MR Martins

segunda-feira, 28 de junho de 2010

Pudesse eu escrever...


Escrevi,
escrevi muito.

Palavras sem conta;
umas levou-as o vento,
outras andam por aí,
quem sabe…
guardadas em corações,
nalgumas emoções!

Nem tudo escrevi
nem tudo escreverei,
mas o que existe,
é Verdade,
só Verdade!

Pudesse eu escrever,
tudo o que sinto,
tudo o que eu amo …

José Manuel Brazão
Lu
Te esperamos em breve: Visitantes, Colegas e Eu.

Beijo do ZÉ

Existem muitas de mim...


A loba e a presa
A louca e a sã
A inimiga e a amiga
A guerreira e a donzela
A beata e a pecadora
A mãe e a filha
A mulher e a menina
A esposa e a amante
A bela e a fera
A que odeia e a que ama
Mas todas são a mesma...
Todas sou eu...
E ...eu so queria ser
Aquela que te ama
Que estaria contigo
Que seria sua!

Solbarreto

domingo, 27 de junho de 2010

Escriba


Que nem sempre os poemas
falam de mim,
ou rasgam-me o coração
expondo-me as artérias..
Que a poesia não se atreve
a restrição, e por vezes ignora meus enfados...
deixando pra outra ocasião...
No breu da noite ou no meio do dia
envia o vento
seu fiel atalaia,
a sussurrar-me vozes
ao ouvido da alma.
Dos sussurros, dedilham-me os dedos
a rabiscar letras e versos..
Ao final desconheço o que escrevi...
Mas o atalaia fiel, em suas asas aladas
levam-nas a olhos alheios...
e já não sei o efeito que causam,
mas sei do perfume que elas deixam
em mim...

Sandra Freitas

Você é a razão


A causa de estar sonhando acordada é porque você existe na minha vida. O motivo dos olhos brilhantes; o lindo sorriso espontâneo estampado nos lábios demonstra o quanto é bom ter alguém especial. Você é o princípio natural da vida, a causa da minha alegria!


Você é a minha razão, do amor-perfeito, do relacionamento certo. Você é a razão do amor que me envolve, a razão do sentimento que brotou em meu coração.


Confesso: jamais pensei que voltaria sentir o amor em meu peito. Sim, sou uma mulher forte, mas me entreguei, me envolvi. Hoje, agradeço a Deus por ter-me mostrado que estou viva! Nunca morri, apenas adormeci perante a vida.


Você é a razão de estar sonhando! Obrigada!

Graciele Gessner




[...]



Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Conhecemo-nos
tão bem,
como se vivêssemos,
juntos
cada instante da vida!

Distante
vivo as tuas amarguras,
os teus dilemas,
o querer e não poder,
que por vezes
penso :
estamos tão próximos!

São os meus pensamentos,
distante de ti!
Estou cansado de sonhar,
mas vivo para te amar!

Há tanto tempo,
que sonho
com este momento!

Aguardo o teu sorriso!

José Manuel Brazão

Tentaram matar-me


(Como PEQUENOS ANJOS)


Deviam tratar bem toda criança
São pequenas, meigas e sensíveis
São delicadamente irresistíveis
Vivem com amor e confiança.

Como pequenos anjos, iluminam
Transformam nossas vidas nos anima
Faz o dia alegre quando suave cantam
Uma música leve, a alma aproxima

Quem dera pudéssemos eternamente
Carregar essa aura angelical e pueril
Viveríamos mais libertos, certamente.

Assim o mundo se tornaria melhor
E tudo na vida ficaria bem mais sutil,
Quiça o mal não estaria ao nosso redor

Rosangela Colares

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Sonhei
Investi
Acreditei
Paguei um preço
Alto preço
Todos sabem
Mas valeu a pena
Amei, Amo
Nunca deixarei
Chorei
Trabalhei e trabalho
Estou cansada?
Faz parte
Mas consegui
Ver um sorriso
Nos lábios
De quem não
Tinha esperança
Criança, criança, criança..................



Tentaram contra minha vida e de minha familia que estavam do carro comigo.
Foram três tiros dois pegaram no carro, um passou raspando, outro no radiador, e outro na lateral atravessou o vidro e a bala parou na chapa de aço do banco, os peritos disseram que: se tivesse passado teriam acertado o coração.
No dia 23/06.

A pergunta é: Devemos continuar em defesa da criança? Lutar por uma causa onde não encontramos apoio, segurança e nem lei?
Se não há lei que segure um estrupador na prisão?
Vale a pena, CONTINUAR?

Minha querida Rosangela

Mas estás aqui junto de nós
enquanto não chegar a viagem
necessária!

Beijo solidário do

sábado, 26 de junho de 2010

Menina-Dor


Meus olhos rasos
Assombrados de medo
Janelas fechadas
Meus segredos de dor.

Meus pés feridos
Dos sapatos altos
Demais prá minha pouca vida
Meus dedos martelados.

Meu espaço restrito
Meu grito calado
Meu sonho morto
Antes de sonhar.

Meu caminho desfeito
Antes de caminhar
Meu íntimo querer
Devassado
A minha casa
A sede da alma.

Minha infância adulterada
Minha essência forjada
No desencanto e na dor.
Meu álbum de desenhos
Recortes dolorosos
São rosas negras
Espinhosas.

Bocas de raiva
Medonhas
Dentes trincados
Tristonhas borboletas.

Ao fundo, ao lado
Ao largo das suas consciências,
Meu sinal, meu aviso:
Vejam-me
Pois eu sou na flor solitária
Na árvore solitária
Menina-dor.

Sandra Fonseca
Belo Horizonte, 26/06/10


À "Lótus", 12 anos,vítima de abuso sexual, entre os 8 e 11 anos, pelo padrinho.

Nota: Nunca ousei escrever pela via da poesia, a experiência de atender meninos e meninas violentados. É uma dor tão palpável, insidiosa, que eu supunha não haver um “ corpus” de palavras poéticas que a rescontruísse ou que a nomeasse. Dor que se testemunha, e que não se cura. Dor que se impõe na fragilidade das mãos trêmulas e pequenas, que se mostra inteira num pedaço de desenho, na flor solitária no canto do papel, nas borboletas tristonhas.

É preciso enxergar. Urge acordar o adulto que protege e educa. Há que se comover, sem se paralisar na comoção, mas agir. Salvaguardar os direitos de crianças e adolescentes é obrigação de cada um e de toda uma sociedade.

Poema do soldado


Com o olhar meio perdido
e o cabelo caído
falas-me dos tempos em que foste feliz.
Passaram alguns anos,
ninguém o pode negar...
é muito doloroso sentir o tempo passar.
Com a cara pálida
e os lábios semi cerrados
falas da glória e do auge do passado.
Cai uma gota preguiçosa
pelo teu rosto esguio
que fazem sentir o presente sombrio.
Não baixes os braços agora
meu bravo guerreiro;
Já chegou a "Primavera"
não sentes o cheiro?
Não pode "chover" para sempre
e este inverno acabou.
Respira fundo e sorri,
lembra-te daqueles que gostam muito de ti!

Vera SOL

Em Março de 2006 a minha grande e jovem amiga Vera SOL (a Verinha) quis tributar-me amáveis palavras, ao meu percurso na vida e na poesia.
Assim, entendeu transformar as palavras neste bonito poema.
Beijos do

Sem ti


A minha vida
sem ti
não faz sentido!

Amo-te
como nunca amei,
está em mim
como parte da minha vida!

Amas
e vives esta paixão
sofrendo,
cada hora, cada dia,
como se houvesse
apenas presente!

Nosso amor
é uma rosa viçosa,
Cuidada em cada dia,
e só morrerá,
quando nós também!

José Manuel Brazão

Sem ti

Rosa das rosas



Se eu pudesse …
vestia o teu corpo
de rosas vermelhas!
Olhava-te,
seduzia-te …

Ao meu redor,
exalava do teu corpo,
o aroma das rosas.

Desse corpo
de incontida paixão,
tirei uma a uma,
cada rosa vermelha.

Teu corpo ficou belo,
muito belo …
sofri,
perante o meu oásis!!!

José Manuel Brazão

Cada rosa com que enfeitaste meu corpo
De botões desabrocharam-se em flor
E são milhares de botões
Caindo em pétalas de diversos matizes
Todos eles em tons de vermelho-paixão
Lembrando-me cheiros do nosso amor
Forte, intenso e lascivo
Eternizados na beleza e na cor
Comemos cada pedaço dessa maçã-do-amor
Reminiscências de cada momento vivido
E nosso sofrer pela distância
Torna-se belo e calmo
Diante da grandeza do oásis almejado.

Luciana Silveira

A dor de ir...


Respirei fundo
Na alma
A dor
Da partida

Orei
Em poucas palavras
O destino
Da vida

Olhei
Para os céus
Para tentar
Aparar a lagrima que caia...

O momento
Era de ir
Indesejável, cruel, forte
A vida e os seus atos(fatos)....

Sem tempo
Mais para hesitar
Apressei os passos
Das lembranças,
Caminhei
Distante
De ti...

sexta-feira, 25 de junho de 2010

O meu silêncio


Invadindo
o silêncio de mim mesma
escuto o som
do infinito de meus sentimentos
e me perco na sutileza de cada afeto
que recebo ou distribuo...
Encontro sorrisos
que se eternizaram
nos olhos da minha alma
e lágrimas que lavaram
os dissabores do caminho...
Busco formas e cores
e encontro pessoas que
criaram raízes em mim
porque foram plantadas
no meu EU mais profundo...
Vejo luzes:
o brilho de um luar de prata,
e de estrelas incontáveis
e um raio de sol que ilumina
cada amanhecer da minha vida.

Rosangela Colares



Maravilhoso minha querida Amiga Rosangela!
Este Blog ficou mais iluminado com a tua presença como Autora-residente.
Beijo do



SolBarreto disse...
"Busco formas e cores
e encontro pessoas que
criaram raízes em mim
porque foram plantadas
no meu EU mais profundo..."
Tem pessoas que quando conhecemos fazem parte de nossas vidas pra sempre, porque estejam elas onde estiverem, estarão sempre conosco!
Lindo poema!

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Utopia da liberdade


A liberdade
é pássaro sem asas
que foge nos meandros da esperança
em imensos montes e vales
percorridos em utópica duração…

Vestida de branco
perdeu-se
nas capas negras do destino…

Foi um sonho
uma ilusão
que tantos poetas cantaram
e as guitarras choraram
em serões escondidos no tempo…

Ana Coelho


O teu poema que mais me emocionou até agora!
Maravilhosa a tua hiper-sensibilidade caminhando veloz para a tua rica inspiração!
Beijos do

Quando me nasce a noite na boca



(Foto de Gila -
http://olhares.aeiou.pt/vinha_foto3036320.html)




Quando me nasce a noite na boca
escolho um vinho maduro
para que me escorra na garganta o tempo
enquanto salivo luares alucinados.
O corpo tomba na foz do dia
o olhar acomoda-se naquela mancha na parede
e mastigo uma vindima com sabor a silêncio.
Oiço os cânticos daquele ano
cheiro o suor das vindimadoras e o melaço das uvas
prende-se-me aos lábios a fruta madura
em gotas grossas de vermelho paixão em hora de colheita.

Quando me nasce a noite na boca
descanso o pensamento
nas colinas argilosas viradas ao sol
que desavinham no meu peito mais uma vez.
Viro-me na madrugada que colho
no sentimento mais ébrio do momento
e adormeço na madeira de cada videira
que me alimenta na seiva da vida.

Quando me nasce a noite na boca
descanso com o granjeio de mais um ano
enquanto o prateado do luar é lençol
que protege a vinha neste cio de mão humana.

Vanda Paz

Lua no seu esplendor


Sou da noite
Borboleta noturna
Desgarrada da flor
Tecendo ilusões
Soluções inacabadas
Inesperadas
Luz da lua
Completamente nua
Exposta em raios
Dispersa no céu
Sem prumo
Rumo ao mar
Sem porto para ancorar
Sem fim.

Luciana Silveira




[...]

Este amor
vivido
nas costas da Lua,
muito sofrido
e num silêncio
que só nós sabemos
e compreendemos!

Ninguém
nos roubará
a cumplicidade,
a paixão vivida
de um amor sem igual!

Dias angustiantes
pela saudade sentida,
noites delirantes
pelo reencontro
destes amantes,
que a Vida
os encaminhou
para este grande amor,
perturbante
mas consolador…

José Manuel Brazão

Fantasias ao vento


Eu vivia no mundo da ilusão
Acreditando que te amava
E que era amada
O tempo me mostrou o quanto
Eu estava errada
Com tudo que aconteceu
Vivi muito tempo
No mundo da desilusão
Ate que finalmente fechei a ferida
E retornei ao mundo real
Agora não posso mais acreditar
Em quimeras, em suposições
Em possibilidades que nem sei
Se são reais mesmo
Não posso deixar
Você retornar para minha vida
Não mais, esse tempo já passou
E se perdeu no vento, no tempo...

Solbarreto

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Alvorecer


O céu teima em escurecer

Dele caem lágrimas de dor

Mas a lua, ainda que fraca

Ilumina esse amor

Trazem lembranças de momentos ternos

Onde pousamos nossas asas frágeis

Tentando consertá-las

Sorrimos agradecendo

Essas flores eternas

Pétalas abrindo-se ao orvalho da manhã

Iluminando-nos e cobrindo-nos

Com a roupagem verde da esperança

Depois de toda tormenta

O alvorecer.

Luciana Silveira



[..]

Olhamos o Céu
e agradecemos A Luz
que te trouxe até mim!

Chegaste,
sorriste,
estendi a mão,
o amor na minha mão
e disseste:
encontrei
a minha Paz,
a minha vida,
sou feliz!

Também sorri,
de novo olhei o Céu
e agradeci este amor,
que nasceu,
floresceu
e dará pétalas de amor!

Olhamos o Céu
que nos envia
muitas pétalas,
pétalas de amor!

José Manuel Brazão

Amor além da Vida


Um homem
Uma mulher
Unidos por um mesmo querer
Por uma mesma vontade
Vontade de amar intensamente
Amar de verdade


Duas vidas distintas
Dois caminhos diferentes
Que unidos foram pelo destino
Que se apaixonaram loucamente


Um amor incomum
Que vence qualquer distância
Amor de alma
Amor distante

Amor grande
Gigante
Que cresce a cada instante

Ambos desejam amar
Se entregar completamente
Matar a vontade
Tirar do peito a agonia
Arrancar do peito a saudade
Saudades que sentem
Saudade sofrida

Um homem
Uma mulher
Sentindo
Vivendo
Um amor além da vida.

Nanda Costa




[...]


Amo-te
como nunca amei!

O tempo passa
e no meu silêncio
amo a tua voz,
o teu pensamento,
o teu querer,
a tua paixão!

Vivemos
este amor ardente,
com admiração
um pelo outro,
com o desejo
de que o tempo pare
para nós saborearmos
este amor doce,
generoso
e carinhoso;
este amor único!

Seguiremos
nossos caminhos,
sempre unidos,
queridos,
como amantes
de uma só vida,
que nos uniu,
sorriu
e nos levará
até sempre,
ao pensamento
do meu e teu poema,
da nossa Vida
hoje aqui...
... amanhã
no além...!

José Manuel Brazão

Quando se ama de verdade, o mesmo irá além fronteiras, aquém de todos os tempos. E como escreveu Elisabeth Browning...e se Deus o quiser ainda mais te amarei depois da morte.
Parabéns a dois "monstros" da poesia.
bj
Eduarda

terça-feira, 22 de junho de 2010

Canção sublime


Espalmei das mãos
a poeira reluzente das estrelas...
Colhi o dó maior
que me trazia seu sorriso
(sem pausas),
em claves de sol..
E sua voz cantante
em meu ouvido
doce sustenido...
guardei no coração.

Vesti-me em rosas, margaridas
miosótis, girassóis....

E não me contive,
fecundei-me em vida
borbulhando emoções.
Cordas outrora rotas,
Harpa, violino, violão...
Orquestra floral melodiosa,
Celestial canção.

Fiz-me fértil
Dei-te filhos..
E neles marquei nossos traços..
contornos cantantes
desse amor melodioso..
sagrado, gostoso
Composto por anjos
na eternidade...

Sandra Freitas

Abraço o teu silêncio


Oiço um novo ritmo
no meu coração
... quebro a promessa...

Sinto o sangue quente
a ultrapassar qualquer limite.

Encontro-me infinitamente
a olhar o azul do céu,
a cheirar uma rosa vermelha
e a sorrir...

Sinto-me a planar
no significado
das tuas palavras
... uma a uma...
declamadas num livro teu.

Sinto a intensidade
do teu beijo
... letra a letra...

Abraço o teu silêncio
e sonho
um dia encontrar o teu olhar...

Vanda Paz



Flores para a Poeta residente principal do Blog a Amiga eterna Vanda Paz.
Beijo do

Um visto à saudade


Olhei o teu sorrir,
de longe...

Não sei, se me viste?

Em que estavas a pensar?
-Tinhas um sorriso triste!?
E eu? Deixei-me estar.

Até que partis-te...

Vesti-me de egoísmo
E à saudade, passei um visto

Para sentir
que o teu sorrir
Cada dia, está mais lindo...

Carrega uma luz
Que ilumina,
o meu caminho

Cristina Moita

Crianças em mim!





Meu anjo
seres criança
é um raio de esperança
Que guardo em mim!

Seres criança
e o meu anjo
no meu corpo e alma!

Seres criança
e teres amor por mim
me deixa sem jeito
me deixa
eternamente em ti!

José Manuel Brazão

Vejo nas crianças pétalas de amor duma flor especial VIDA.
Com isto renasce em mim a esperança e já com saudades do futuro.




A todas as crianças da minha Vida; em especial aos meus Netos e ainda Evinha, Isa e Rafa!


Em sonhos


Em meus sonhos pinto e bordo
Transbordo
Teço teias penetráveis
Sempre voando, bailando, cantando
Nos meus sonhos vejo a luz
Desde o início do túnel
Tinas e mais tinas de água límpida
Cachoeiras embalando sonhos alheios
Nos quais penetro sorrateira
Com cara de quem foi convidada
Em meus sonhos posso ser o que quiser
A menina zangada, mulher amada, adolescente malcriada
Posso ser até a sábia anciã, se quiser
Percorro casarões antigos
Recantos sombrios
Percorro vales verdejantes
Recantos encantados
Em meus sonhos estou sempre só
Me vejo pelo avesso
Sou de dentro pra fora
Qual observador arguto
Escuto
Vejo pessoas sorrindo, amando, chorando
Vejo além
Em meus sonhos.

Luciana Silveira

Nas palavras, uni euevocê


O tempo
Passa
E de
Passatempo
Não tem nada
Mas não é para ir
Embora ainda....
Estamos
Em boa hora
Para sentir
O sol que
Parece girar
Em torno de nós
E apreciar os girassóis
Do nosso jardim
Vamos nos unir
Sem separações, sem traços
Euevocê,
Vocêeeu
Simples assim...

Bernardo

segunda-feira, 21 de junho de 2010

SARAMAGO por Sandra Freitas


Não direi:
Que o silêncio me sufoca- e amordaça.
Calado estou, calado ficarei,
Pois que a língua que falo é doutra raça.

Palavras consumidas se acumulam,
Se represam, cisterna de águas mortas,
Ácidas mágoas em limos transformadas,
Vasa de fundo em que há raízes tortas.

Não direi:
Que nem sequer o esforço de as dizer merecem,
Palavras que não digam quanto sei
Neste retiro em que me não conhecem.

Nem só lodos se arrastam, nem só lamas,
Nem só animais boiam, mortos, medos,
Túrgidos frutos em cachos se entrelaçam
No negro poço de onde sobem dedos.

Só direi,
Crispadamente recolhido e mudo,
Que quem se cala quanto me calei
Não poderá morrer sem dizer tudo.

José Saramago





Meu coração está imensamente triste pela perda de um dos maiores escritores de todos os tempos, um revolucionário na arte da escrita. O mundo perdeu, mas nesses 87 anos ganhou e muito com suas linhas sem ponto, sem vírgula, sem convenções ortográficas, mas sempre recheadas de sentido e sensações da alma desse grande homem- escritor.

Obrigada Saramago, foi uma honra ainda viver na mesma época que você..

Sandra Freitas



Sandra
Emocionaste-me por esse teu gesto solidário e de amor. Sabendo que Saramago era convictamente ateu e tu profundamente crente em Deus, todavia não deixaste de homenagear o Homem e o Escritor!
Beijos do

Não entendo!


Às vezes parece estar caído de carinho, talvez algum amor contido; por outras me ignora, me machuca, me evita. Parece gostar de brincar com os sentimentos alheios; deve achar divertida tal situação, porque outra explicação não existe.


Lá no fundo eu já pressentia que você não era a pessoa em que pudesse confiar, jamais transpareceu segurança.


Bons momentos, tão poucos, eu tenho que admitir. Porém, o que são momentos solitários, comparados com o sentimento que sinto agora? Você foi alguém que acreditei ser possível, mas hoje, o possível talvez seja esquecer tudo que um dia vivi contigo.


E por falar em esquecer, sempre fui fria e distante em questão de esquecer pessoas sem qualquer importância na minha vida. Tenho uma enorme facilidade de esquecer tudo que me machuca. Sempre fui assim e assim permanecerei. Evitando maiores dores, mágoas, desentendimentos.


Raras foram às vezes em que chorei por “amor”. Derramei lágrimas por amores que me foram compartilhados, onde o coração, alma, corpo e a mente andaram juntos, sem qualquer restrição.


Tudo bem! Fico não entendendo tal atitude, não entendendo a postura de um ser que se comporta como um bicho recuado.


O perdão, você já recebeu, não quero levar amarguras de algo não compreensível. Ergo a cabeça, sigo em frente. Viro a página e dou início a uma nova felicidade...


Graciele Gessner


Belo texto que me comoveu!
Umas lágrimas teimosas!

Beijo Graci

Folha do pensamento




Na tua mão
uma folha de árvore;
sentas-te à sua sombra.

Acaricias a folha,
fixas o teu olhar,
corres a vida:
sorris, choras.

Com coisas belas
e sonhos perdidos
nessa corrida pela vida.

Olhas para diante
e vês a sombra de alguém,
mas quem?

Daquele
que segue o teu caminho,
que te avisa e aconselha,
daquele
que não te quer sem destino:
onde estou, para onde vou…

A estrada em que estamos,
leva-te à que procuramos:
a estrada da Vida …
Sorris para mim,
beijas a folha e partes …

José Manuel Brazão


Depois dos poemas "Pombo com ternura e fome" e "Lágrima" este é o poema mais lido!


E quantas vezes nos sentamos sem pensar. A Vida é demasiado bela para nos perdermos com coisas mínimas.

Uma trilogia mais que perfeita.
bj
Eduarda



Às vezes há momentos em que entramos dentro de nós e é quando reconhecemos os caminhos, porventura os rectificamos e constatamos que a grandeza está nas coisas simples. Estará aí o erro (incapacidade)do homem dito moderno.

Um abraço
antonius

O meu sonho impossível...



Serás sempre esse sonho.
Essa vitória sem derrota,
Esse meu sonho impossível de viver...

És busca eterna!
És esperança de viver mais um dia.
És nascer do sol,
De todas as minhas manhãs.
E é nessa esperança de surgires que vivo!

Dói o peito de imaginar-te
Sem rosto,
Sem lábios que eu beije,
Sem olhos que me olham
Para sempre desconhecida…

Às tantas imagino-te;
Dizer-me que afinal sou grande,
Pois queria eu neste mundo
Não me sentir tão pequeno
Tão insignificante!

E os dias pesam,
A esperança morre.
Nessa procura incessante
Pelo teu rosto verdadeiro.

Imagino uma luz no meu quarto,
E tempo parado nas paredes brancas
Esse solene momento
Em que descubro e redescubro
Em gestos e palavras que me dizes.

E no silêncio ouvir a tua voz.
Sussurrar-me palavras que gosto.
Sentir as tuas mãos tocar-me
Quase que doem
Sobre o meu rosto esquecido.
Os teus lábios ferem
Nesse beijo que nunca ninguém em deu…
E deitaste no peito
A ouvir a musica
Que toca o meu coração;
A ouvir-me viver…
Como numa pintura
Que eu nunca soube pintar.

Esse teu rosto invisível
Que me trás o meu sonho impossível;
Esse sonho que gostava de viver.

Essa minha história de amor
Que eu nunca escrevi.
Será então a maior;
Pois foi aquela que eu vivi! …

Tiago Freitas

domingo, 20 de junho de 2010

Sentimentos


Costurando palavras
Bordando sentimentos
Vou tecendo esse véu
Que paira sobre nós
A lua acesa no céu
Desfazendo os nós
Rompendo auroras
Na fraca luz do quarto
Abraçada ao travesseiro
Sonhos refazendo-se
Deixando apenas
O que nos resta
Colagem de alquimia
Enxoval de quimera
E tudo mais é amor
Silêncio e luz
E tudo mais é paz.

Luciana Silveira




[..]

Todos os dias
penso em ti,
como se estivesses aqui!

Anseio
por este amor
um amor em palavras,
como se fossem
cartas de amor!

Um dia
neste convívio lindo,
beijámo-nos,
muito…
…sentimos prazer,
olhámos fixamente
e sem palavras
mas com um olhar
de mil palavras!

Aquele beijo
será sempre
aquele beijo…

José Manuel Brazão

O nó que desatei!


Existia um nó,
muito apertado,
que enlaçava a vida,
a minha vida!

Desfeito o nó,
respiro a vida
com outro fôlego,
com outro olhar,
sorriso aberto,
coração renovado!

Com nó
ou sem nó,
mantive princípios,
sentimentos
e o amor,
amor intocável!

Existem nós
que asfixiam,
mas não matam!

Chegou a hora de voar!´

José Manuel Brazão


Baseado nas seguintes palavras:

Às vezes é necessario uma pausa na vida, a solidão enxertada; aquela sábia e necessária para nos manter vivos...
Luciana Silveira

Encontro


Pra vc ......


Cada vez que te encontro
Sempre fico com um gostinho
De quero mais!
Quero mais seu beijo
Quero mais seu cheiro
Quero mais seu corpo
Quero mais você!
Não me importa onde
Nem me importa quando
Só me importa que...
Quero mais
Quero mais você!

Solbarreto

sábado, 19 de junho de 2010

Preciso te esquecer en silêncio


Em um sonho secreto, e carnal.
Neblinas proibidas, desejos insaciáveis
Eu tentei viver com teus arco-íris.
Com meus olhos inflamados, aqui esta o meu inominável!

Postura de flerte fascinante e perigosa
Quando te leio, vejo-te a minha frente
Sinto-te sussurrando ao meu lado, ofegando
A sombra benéfica, sem peso! Remexo-me.

E a língua de fogo é o ouro, o sangue esquenta.
Os prazeres da carne são como brasas da lareira vermelha
Tens um absoluto prestígio e um enigma te cerca
Quem pode entender o amor do poeta?

Olhos perdidos, mãos na sua alma ocupada
Na minha mão eu acredito, preciso acreditar, na sua ausência
É cruel! Um destino selado e angélico
Não me acorde! Preciso te esquecer em silêncio...

Rosangela Colares

O segredo do meu medo


Não dispa o sol
nem vistas a noite
de saudade…
Senta-te aqui ao meu lado
contempla as correntes do rio
onde os meus olhos
se banham na tua ausência .

Escuta o cântico da gaivota,
é ela que vêm para
desvendar o segredo
do meu medo…

Senta-te
bebe da água
que os meus dedos
filtraram nos inquietos sonhos
que deambulam
longe do meu levitar…

Cobre os meus cabelos
com os fios do teu aroma
esculpidos na essência
que inspira a poesia e a vida…

Ana Coelho

Recordando: Família MARTINS - gestos e palavras de Amor








Foi

Foi, naquela altura…
em que vocês meus guerreiros,
contra o tempo, comigo lutaram!
Em dias tenebrosos e sombrios…
me deram esperança e alento.

Foi com a vossa presença,
sempre repleta de amor…
me ensinaram
que, a vida é só uma.

Mas que vivida em trio,
com harmonia e mestria,
me souberam sempre dizer…
AMAMOS-TE.
Luísa Simões Martins

António
Cá estamos, para todo o nosso sempre.
Lindo...
Beijinho


Gonçalo
Excelente poema!
Gostei muito, mãe.
Beijos grandes

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Rosa vermelha


Rosa vermelha,
de pétala molhada,
seu aroma e cor
com um cheiro
devido,
fragrância de amor.

Hoje estás marcada,
és a flor do amor
ilustre na terra,
que lindo botão
floresce
nos olhos
e no coração,
fluido do amor
de eterna paixão.

Rosa na orelha
e no peito
da mulher sem jeito...
que linda ficou!

Pétala de veludo
em vela iluminada,
gota de água derramada,
no banho o bálsamo
de um louco amor.

Rosa seca e bela
sempre volta a terra,
lágrima eternizada
por quem tanto...
amou!

Cristina Moita

Ou bem me quer, ou mal me quer


E por fim parar de chorar.
e acreditar que tudo nessa vida tem uma razão;
razão pra sofrer, pra chorar.
Para depois encontrar, alguém que te faça sentir melhor.
E aí então, ter razão.
Pra sorrir, e gritar, e cantar e pular.
De tanta emoção.
Pois esse coração tão cicatrizado,
já não aguenta mais tanta solidão, e nenhuma compaixão;
e por isso reza, agoniado.
Pedindo perdão, por tudo de errado.
E implorando pra que dessa vez seja de verdade.
Assim, esperando calorosamente, que seu pedido apaixonado.
Se torne a mais pura e bela realidade.
Se bem me quer, ou mal me quer,
isso só saberei ao final dessa temporada.

Samantha



Para a jovem Poeta Samantha (15 anos), só bem me quer; e ofereço-te num gesto de apoio aos jovens da Poesia, uma rosa simples, mas com a minha gratidão!
Beijokas do ZÉ


(Filha da minha querida Amiga Solange Barreto)